Revista da Faculdade de Odontologia - UPF https://seer.upf.br/index.php/rfo <p>A RFO UPF é uma publicação de fluxo contínuo dirigida à classe odontológica que tem por objetivo disseminar e promover o intercâmbio de informações científicas, divulgando artigos inéditos de investigação científica; relatos de casos clínicos e artigos de revisão sistemática e narrativa que representam contribuição efetiva para a área do conhecimento odontológico.</p> pt-BR <p><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license"><img style="border-width: 0;" src="https://i.creativecommons.org/l/by-nc-nd/4.0/88x31.png" alt="Licença Creative Commons"></a><br>Este periódico bem como seus artigos estão licenciados com a licença <a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license">Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional</a>.</p> revfo@upf.br (Coordenação de Editoração da REVFO-UPF) revfo@upf.br (Odontologia (On-Line)) Seg, 25 Mar 2024 09:18:54 -0300 OJS 3.2.1.1 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Condições periodontais em pacientes com deficiências. Uma revisão de literatura https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15615 <p><span class="jCAhz ChMk0b"><span class="ryNqvb">Objetivo: Trata-se de uma revisão de literatura que tem como objetivo identificar as condições periodontais mais prevalentes em pacientes com deficiência e discutir o atendimento odontológico a esses pacientes.</span></span> <span class="jCAhz ChMk0b"><span class="ryNqvb">Revisão da literatura: As bases de dados Pubmed, Scielo, Scopus e Google acadêmico foram utilizadas para pesquisa de agosto de 2022 a julho de 2023. Os termos de pesquisa utilizados foram "necessidades especiais", "indivíduos com deficiência", "deficiência intelectual", "paralisia cerebral",</span></span> <span class="jCAhz ChMk0b"><span class="ryNqvb">"espectro autista", "síndrome de Down", "saúde bucal", "doenças periodontais", "tratamento periodontal" e "atendimento odontológico".</span></span> <span class="jCAhz ChMk0b"><span class="ryNqvb">Não houve limitação de idioma e as referências recentes tiveram prioridade.</span></span> <span class="jCAhz ChMk0b"><span class="ryNqvb">Os principais achados mostram que os dentistas frequentemente tratam pacientes com transtorno do espectro autista, síndrome de Down e paralisia cerebral.</span></span> <span class="jCAhz ChMk0b"><span class="ryNqvb">A dificuldade em manter a higiene bucal, tanto do paciente quanto do cuidador, contribui para o desenvolvimento de patologias bucais, principalmente doenças periodontais.</span></span> Considerações finais: <span class="jCAhz ChMk0b"><span class="ryNqvb">As condições periodontais mais comuns encontradas nesses pacientes são gengivite induzida por placa, periodontite e hiperplasia gengival medicamentosa.</span></span> <span class="jCAhz ChMk0b"><span class="ryNqvb">Os profissionais devem desenvolver estratégias de prevenção e identificação de fatores de risco para oferecer uma condição bucal mais saudável e melhor qualidade de vida a estes pacientes.</span></span></p> Felipe Berwaldt Islabão, Valentina Lessa Soares, Kelem Soares Konflanz, Victoria Ketlen Moreira, Mariana da Silva Munõz, Natália Marcumini Pola Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15615 Dom, 14 Abr 2024 00:00:00 -0300 Alteração de cor em dentes e materiais restauradores provocadas pelo cigarro eletrônico: revisão da literatura https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15784 <p>Jovens e adultos têm se preocupado cada vez mais com a estética do sorriso, optando por lentes em resina composta e cerâmica. Algumas pessoas desse grupo são fumantes do cigarro eletrônico e, por esse motivo, viu-se a necessidade de saber se essa nova ferramenta, que está cada vez mais substituindo o cigarro convencional, é capaz de causar manchamento nos dentes e materiais restauradores. <strong>Objetivo</strong>: avaliar se cigarros eletrônicos provocam um manchamento dos tecidos dentários duros e dos materiais restauradores. <strong>Métodos</strong>: foi realizada uma busca na literatura através do portal PubMed, utilizando termos relacionados aos objetivos do estudo. As informações dos estudos selecionados foram agrupadas em uma tabela, sintetizando aspectos metodológicos e os principais resultados de cada estudo. <strong>Resultados</strong>: sete estudos foram incluídos na revisão, três avaliaram o manchamento provocado pelo cigarro eletrônico em dentes e quatro avaliaram o manchamento em materiais restauradores. Todos os estudos demostram que o cigarro eletrônico provoca alteração de cor nos tecidos dentários e materiais restauradores, sendo essas alterações aferidas tanto clinicamente, quanto objetivamente por meio de espectrofotômetro. Dois estudos mostraram que o manchamento de dentes e resina composta podem ser removidos com o uso de creme dental clareador. <strong>Conclusão</strong>: Os tecidos dentários duros e materiais restauradores sofrem manchamentos provocados pelo uso de cigarros eletrônicos. As resinas compostas e tecidos dentários duros, sofrem manchamentos mais perceptíveis e acentuados do que as cerâmicas, porém, esse manchamento parece ser superficial e pode ser removido com profilaxia.</p> Amanda Spengler Kuntzler , Eduarda Doebber Gerevini , João Vítor Petersen Sartori , Andressa Gälzer dos Santos , Fernando Freitas Portella Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15784 Sex, 03 Mai 2024 00:00:00 -0300 Associações entre aspectos psicossociais e agravos odontológicos em pessoas com doença Falciforme no Brasil: uma revisão de literatura https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15864 <p>Objetivos: sintetizar dados relativos à prevalência da Doença Falciforme (DF) no Brasil; identificar como os aspectos psicossociais impactam na qualidade de vida (QV) desses indivíduos; analisar as ações públicas dirigidas para o bem-estar dos pacientes com DF; e avaliar as diretrizes do tratamento odontológico para os pacientes com DF. Revisão de literatura: a DF é uma doença comum no Brasil e no mundo, sendo que pessoas pretas e pardas são as mais acometidas. Fatores como baixa escolaridade, desemprego e habitação periférica estão presentes na vida de muitos indivíduos com DF. Além disso, essas pessoas podem estar sujeitas a ambientes de preconceito. Assim sendo, o meio social pode interferir diretamente nas condições psicológicas. Há políticas públicas voltadas para portadores de DF, no entanto, mesmo assim, muitas dificuldades perpetuam-se. Nesse contexto, o cirurgião-dentista (CD) deve conhecer essas características da DF e as possíveis implicações clínicas, para planejar adequadamente os tratamentos. Considerações finais: há uma significativa interação entre os fatores sociais e psicológicos no que tange às manifestações clínicas da doença. A análise dos determinantes contextuais, as peculiaridades de cada paciente e as diferenças regionais são fatores que devem ser considerados a fim de aumentar a QV desses pacientes; somado a isso, é preciso que o CD tenha conhecimento sobre esse tema, forneça tratamento adequado aos pacientes com DF e contribua para o esclarecimento da população, auxiliando a extinguir estereótipos e preconceitos.</p> Mateus Zilch Scheuermann, Marlise Ladvocat Bartholomei-Santos Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15864 Qui, 30 Mai 2024 00:00:00 -0300 Da biópsia para o microscópio: processamento tecidual em odontologia https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15611 <p><span style="font-weight: 400;">Objetivo: O objetivo desta revisão de literatura é descrever as etapas fundamentais do processamento tecidual para microscopia óptica com coloração de hematoxilina e eosina (HE) de interesse na odontologia. Revisão de Literatura: O processamento tecidual para coloração com HE é constituída basicamente por 7 etapas sequenciais. Imediatamente após a biópsia, o espécime é fixado em formol a fim de interromper a autólise tecidual. Em seguida, na etapa de clivagem, a peça sofre redução de tamanho para facilitar a penetração do agente fixador. Caso a amostra seja dente ou tecido ósseo, ela passa por um processo de descalcificação prévio à clivagem. Nas etapas de processamento e inclusão ocorre remoção de líquidos do interior das células para que em seu lugar entre parafina, e o tecido é incluido em um molde para formar um bloco rígido de parafina, o qual será cortado na fase de microtomia. Finas secções teciduais são então aderidas a uma lâmina, coloridas e seladas. Conclusão: Um ótimo resultado na obtenção de lâminas histológicas depende da execução correta de todas as etapas do processamento tecidual, sendo também influenciado pelos cuidados do cirurgião-dentista com a amostra a ser enviada ao laboratório.</span></p> Gabriel Bassan Marinho Maciel, Taline Laura Guse, Roberto Marinho Maciel, Cristiane Cademartori Danesi Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15611 Seg, 25 Mar 2024 00:00:00 -0300 Inteligência artificial na odontologia: uma revisão narrativa de literatura https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15733 <p>Objetivos: analisar, através de uma revisão narrativa da literatura, a aplicabilidade da IA na odontologia e proporcionar uma atualização sobre o desempenho da IA nas áreas odontológicas. Revisão de literatura: a inteligência artificial tem se tornado cada vez mais integrada à saúde e tem desempenhado um papel crucial através do aumento da precisão do diagnóstico, otimização do tempo de trabalho do profissional e personalização do tratamento. Na odontologia, a IA tem sido cada vez mais presente devido à digitalização e avanços tecnológicos nessa área. Os estudos demonstraram resultados promissores da aplicação da IA em diversas áreas da Odontologia como Periodontia, Endodontia, Ortodontia, Cirurgia Bucomaxilofacial, Patologia, Cariologia, Implantodontia e Odontologia Forense. Considerações finais: a IA tem desempenhado um papel cada vez mais significativo na área da odontologia, com potencial para revolucionar a maneira como os profissionais de odontologia abordam o diagnóstico, planejamento e tratamento de seus pacientes. No entanto, é fundamental lembrar que embora a IA possa aprimorar a precisão e eficiência no atendimento clínico, ela não substitui a experiência e julgamento dos profissionais de saúde. A interação harmoniosa entre a capacidade da IA e o conhecimento humano é essencial para garantir uma abordagem odontológica completa e de qualidade</p> Gleica Savegnago, Guilherme Vaz Pinto, Carolina Fiorenza Snovareski, Nathan de Oliveira Hamad, Geraldo Fagundes Serpa, Gabriela Salatino Liedke Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15733 Dom, 14 Abr 2024 00:00:00 -0300 Diagnóstico e manejo de lesões reativas orais: Aspectos essenciais para o dentista https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15807 <p><em>Objetivo: O objetivo desta revisão de literatura é descrever as características relevantes das lesões reativas (proliferações não-neoplásicas) mais prevalentes na cavidade oral. Revisão de Literatura: as lesões reativas são aumentos de volume benignos decorrentes de um trauma crônico e de baixa intensidade que provoca uma resposta tecidual exuberante no tecido conjuntivo, onde um processo inflamatório induz a proliferação de fibroblastos e fibras colágenas. A hiperplasia fibrosa inflamatória, o granuloma piogênico, a lesão periférica de células gigantes, o fibroma ossificante periférico, o fibroma de células gigantes e o neuroma traumático são lesões com características histopatológicas específicas, mas com aspecto clínico similar. Seu tratamento é realizado por meio de remoção cirúrgica, sendo essencial a eliminação dos fatores irritativos para não ocorrer a recidiva. Conclusão: As lesões reativas são de natureza benigna, sendo fundamental o seu conhecimento por parte do cirurgião-dentista, uma vez que essas lesões são muito prevalentes e, em alguns casos, são clinicamente similares a neoplasias.</em></p> GABRIEL MACIEL, Taline Laura Guse, Roberto Marinho Maciel, Cristiane Cademartori Danesi Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15807 Sex, 03 Mai 2024 00:00:00 -0300 Defeitos de desenvolvimento de esmalte não hereditários na dentição decídua como indicador de eventos negativos de vida. Uma revisão sistemática https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15756 <p><span style="font-weight: 400;">Objetivo: O presente estudo tem por objetivo realizar uma revisão sistemática para determinar a prevalência de defeitos de esmalte (DDE) na dentição decídua e a sua associação com eventos negativos de vida precoce. Métodos: A revisão sistemática que seguiu o PRISMA statement. A busca foi padronizada sem restrições de ano de publicação ou idiomas nas bases de dados PubMed, Web of Science, Scopus, Science Direct, EBSCO, Scielo e Google Acadêmico. Estudos observacionais populacionais que avaliaram a presença de DDE não hereditários, intercorrências na gestação, parto e primeiros anos de vida de crianças até os 6 anos de idade foram incluídos. A seleção dos artigos foi realizada por duas revisoras treinadas, de forma independente e usando critérios de elegibilidade. Resultados: A prevalência média dos defeitos de esmalte na dentição decídua foi de 41,3%. A maioria dos defeitos foram opacidades (61,1%) demarcadas (45%), estando 66,7% localizados nos incisivos. Na amostra, 95% dos estudos encontraram associação entre a presença de defeitos de esmalte e eventos negativos precoces de vida, destes, 57,9% estiveram associados a intercorrências durante o parto, como parto prematuro e baixo peso ao nascer, 42,1% foram durante os primeiros anos de vida incluindo desnutrição e falta de amamentação e 26,3% durante a gestação como infecções, doenças durante a gestação e baixo peso intrauterino do bebê. Conclusão: A prevalência de defeitos de esmalte não hereditários na dentição decídua é alta e esteve associada a eventos negativos precoces de vida, especialmente durante o parto e nos primeiros anos de vida da criança. </span></p> Joice Oliveira, Mycaella Silva de Lima, Mabel Miluska Suca Salas Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15756 Dom, 05 Mai 2024 00:00:00 -0300 Manifestações bucais em pacientes acometidos por leucemias agudas: uma revisão de literatura https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15855 <p>A leucemia caracteriza-se pela proliferação descontrolada de células originárias de uma mutação hematopoiética. Sua malignidade pode ser classificada de acordo com a linhagem celular, mieloide ou linfoide, e o modo de evolução, aguda ou crônica. As manifestações bucais podem ser os primeiros sinais em um paciente acometido por leucemia aguda, e são de suma importância para se obter o diagnóstico precoce. Foi realizado uma busca de artigos nas bases de dados, Scielo, Pubmed e Biblioteca Virtual de Saúde- BVS, entre os anos 2011 e 2024, utilizando os descritores “Acute myeloblastic leukemia”, “gingival”, “leukemia”, “Hemorrhage”. Foram levantados 70 artigos, e selecionados 30 artigos nos idiomas inglês, português e espanhol, sendo excluídos os estudos que tratavam sobre leucemia crônica e outras neoplasias que não se relacionavam com o tema. Dentre as manifestações bucais mais comuns pode-se citar o aumento gengival, úlceras orais, sangramento gengival espontâneo, petéquias, mucosa pálida, infecções virais e fúngicas. O infiltrado leucêmico se estende ao tecido gengival, causando aumento da espessura gengival e à formação de pseudobolsas periodontais, resultando em infiltração inflamatória secundária. Sendo assim, concluiu-se que para definir um diagnóstico preciso e precoce o cirurgião-dentista deve reconhecer essas alterações bucais, haja vista que podem ser um dos &nbsp;dos primeiros sinais da patologia; para, assim, compor uma equipe multidisciplinar a cuidar do paciente e garantir um melhor prognóstico.</p> Ana Paula Massote Pestana, Ana Karolina Peters, Ana Luisa Rocha Floriano, Caroline Casali Bomtempo, Virgínia Martins Pereira Rossafa, Fabrício Tinôco Alvim de Souza Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15855 Qui, 30 Mai 2024 00:00:00 -0300 O uso do laser de alta e baixa intensidade para o tratamento de hipersensibilidade dentinária: uma revisão integrativa https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15614 <p><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Determinar as evidências científicas sobre a influência do uso de lasers de baixa e alta intensidade no tratamento da hipersensibilidade da dentina. </span><strong>Revisão de literatura:</strong><span style="font-weight: 400;"> Foram realizadas buscas na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), incluindo as bases de dados: Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS); Bibliografia Brasileira de Odontologia (BBO); e National Library of Medicine (MEDLINE). A maioria dos estudos destacam a eficácia dos lasers na redução da HD, com o laser Nd:YAG mostrando-se eficaz na obliteração dos túbulos dentinários e proporcionando alívio a longo prazo. Apesar dos benefícios, alguns estudos alertam para possíveis danos à polpa dentária, especialmente com lasers de alta potência. </span><strong>Considerações finais:</strong><span style="font-weight: 400;"> Embora os lasers tenham se mostrado eficazes na redução da HD, a escolha do laser deve ser personalizada para cada paciente, destacando a necessidade de aprimorar os protocolos clínicos e adquirir experiência relevante por parte dos profissionais especialistas.</span></p> Andressa Peixoto Reis Brito, Gabriel de Lima Ferraz, Gabriela Rocha da Silva, Ana Flávia Soares, Ian Matos Vieira Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15614 Seg, 25 Mar 2024 00:00:00 -0300 Prevalência de bruxismo em crianças e adolescentes com TDAH: uma revisão integrativa https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15745 <p><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Realizar uma revisão integrativa da literatura sobre a prevalência do bruxismo em crianças que possuem o TDAH. </span><strong>Revisão da literatura: </strong><span style="font-weight: 400;">Realizou-se uma revisão integrativa da literatura baseada no modelo PRISMA e a partir da pergunta norteadora "Existe uma maior prevalência de bruxismo em crianças e adolescentes com Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade?". Foram feitas buscas nas bases de dados MEDLINE/Pubmed e LILACS/BVS usando os descritores Child, ADHD, Attention Deficit Disorder with Hyperactivity e Bruxism e suas versões em português. Após a seleção dos artigos pela análise de títulos e resumos foi realizada a leitura na íntegra e considerados artigos originais que abrangeram crianças e adolescentes entre 5 e 18 anos de idade. Também foi estabelecido critérios de inclusão e exclusão no processo de seleção dos estudos. Foram selecionados onze artigos, todos com delineamento transversal observacional, especificamente transversais. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> A prevalência de bruxismo em crianças com TDAH supera aquela observada em crianças sem esse transtorno. Entretanto, vale ressaltar que o bruxismo, em alguns estudos, teve a prevalência no grupo de crianças com TDAH semelhante ao grupo controle, composto por crianças sem TDAH. Assim, observou-se que existem poucos estudos sobre o tema investigado, principalmente quando se trata de estudos longitudinais, sendo necessária a realização de pesquisas que avaliem os fatores associados, prevalência, características, tratamento e consequências desse distúrbio</span><span style="font-weight: 400;">.</span></p> Ana Vitória Marcena Coutinho, Lívia Alves Soares, Ana Cláudia da Silva Araújo Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15745 Dom, 05 Mai 2024 00:00:00 -0300 Lesões orais pigmentadas: Árvore de decisão clínica https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15857 <p>Objetivo: O objetivo desta revisão de literatura é descrever as características relevantes das lesões orais pigmentadas mais prevalentes e elaborar uma árvore de decisão clínica para guiar o raciocínio diagnóstico do cirurgião-dentista. Revisão de Literatura: Lesões pigmentadas na cavidade oral formam um grupo extenso de patologias que vão desde alterações fisiológicas até manifestações de distúrbios sistêmicos e neoplasias malignas, como o melanoma. A pigmentação oral pode ter origem exógena ou endógena, com as endógenas em geral possuindo maior relevância clínica. Determinadas características clínicas da lesão, como ser disseminada ou focal, auxiliam na elaboração de hipóteses diagnósticas, assim como o histórico do paciente, testes clínicos, como a diascopia e radiografias, ou exames laboratoriais, como exame de sangue. Conclusão: O melanoma, uma proliferação maligna de melanócitos, tem um prognóstico muito ruim, sendo imprescindível que o cirurgião-dentista conheça as principais características das lesões orais pigmentadas e execute um diagnóstico diferencial rápido e preciso.</p> Gabriel Bassan Marinho Maciel, Taline Laura Guse, Roberto Marinho Maciel, Cristiane Cademartori Danesi Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15857 Qui, 30 Mai 2024 00:00:00 -0300 O uso de drogas e seus efeitos na cavidade oral https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15559 <p><span style="font-weight: 400;">Objetivos: Descrever as principais manifestações bucais associadas ao uso das drogas lícitas e ilícitas mais utilizadas atualmente, bem como os cuidados que devem ser tomados durante o atendimento odontológico desses pacientes. Revisão de literatura: Na revisão foi abordada a classificação das substâncias químicas, as principais manifestações orais e os cuidados que o cirurgião-dentista deve ter durante o atendimento odontológico. As substâncias descritas foram álcool, tabaco, benzodiazepínicos, maconha, anfetaminas e cocaína/crack. As complicações de saúde bucal associadas ao abuso de drogas podem resultar da exposição direta dos tecidos orais às drogas durante o fumo ou ingestão, da interação biológica das drogas com a fisiologia normal da cavidade oral e dos efeitos das drogas na função cerebral que resultam em um espectro de comportamentos de dependência, como comportamento de risco, falta de higiene e descuido. Considerações finais: O consumo de substâncias psicoativas, seja a curto ou longo prazo, pode desencadear consequências, tanto na saúde geral como na saúde bucal do usuário. Sob essa perspectiva, o cirurgião-dentista deve estar ciente das manifestações orais e sistêmicas causadas pelas substâncias psicoativas e estar capacitado para diagnosticar, tratar ou também encaminhar o usuário, se necessário, visando um cuidado integral e multiprofissional.</span></p> Caroline Roza, Dariane Cardoso Albino, Francieli Regina Bortoli Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15559 Seg, 25 Mar 2024 00:00:00 -0300 Abordagem multiprofissional de manifestações bucais de doenças sistêmicas em pessoas com paralisia cerebral: revisão integrativa https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15719 <p>Introdução: A paralisia cerebral (PC) é uma das diversas condições que apresentam suscetibilidade a manifestações na cavidade oral, como cárie dentária, erosão e disfagia. Sendo estas capazes de diagnosticar precocemente alterações sistêmicas que acarretam prejuízos da qualidade de vida. Objetivo: O objetivo deste estudo é mostrar as manifestações bucais de alterações sistêmicas em pacientes com PC que se beneficiam da presença de uma equipe multiprofissional. Método: Foi realizada uma revisão integrativa da literatura, pesquisando nos bancos de dados PUBMED/MEDLINE, SCIELO via google acadêmico e EBSCO, utilizando dados primários e secundários. Através dos descritores de busca “cerebral palsy”, “dentistry”, “multidisciplinary team”, “oral manifestations”, “systemic alterations”, “pathology” e “therapeutics”, incluindo o operador booleano “and”. Obtendo ao final, 8 artigos com o uso da estratégia de elegibilidade PRISMA. Conclusão: Através desse estudo, o cirurgião-dentista (CD) mostra-se indispensável na equipe multiprofissional dos pacientes com PC, visto sua influência e contribuição no tratamento integrado deste grupo. Sendo manifestações bucais consideradas indicativas para alterações sistêmicas prevalentes nesses indivíduos.</p> Vanessa Oliveira Inácio , Amanda Londe Dimas , Thiago de Amorim Carvalho, Fabrício Campos Machado Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15719 Dom, 14 Abr 2024 00:00:00 -0300 O papel essencial da odontologia hospitalar: enfoque na prevenção da Pneumonia associada à ventilação mecânica https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15806 <p class="textoresumo">Objetivos: Retratar, por meio de uma revisão de literatura, a importância da atuação do cirurgião-dentista na equipe multiprofissional, no âmbito hospitalar, e na prevenção da Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM). Revisão de literatura: Esta revisão inicialmente apresenta um breve resumo sobre a Odontologia Hospitalar na América e no Brasil, em seguida aborda as características da PAVM e sua relação com a saúde bucal, por fim é discutida a importância da atuação do cirurgião-dentista nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI), bem como o uso de protocolos de higiene bucal. Considerações finais: Em suma, a presença do cirurgião-dentista no ambiente hospitalar, em especial na UTI, representa um componente essencial na prevenção de infecções e no cuidado integral dos pacientes, proporcionando benefícios à saúde e melhoria na qualidade de vida. Os achados sugerem que o uso de um protocolo padronizado de higiene bucal, a inserção do cirurgião-dentista na equipe multiprofissional e a formação da equipe de enfermagem com o objetivo de instruir sobre os cuidados bucais são fundamentais para garantir o atendimento adequado aos pacientes em UTIs.</p> Shirley Kéfelin Quadros Soares, Francieli Regina Bortoli Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15806 Sex, 03 Mai 2024 00:00:00 -0300 Microabrasão dentária: relato de caso https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15753 <p><em><span style="font-weight: 400;">Objetivo: O objetivo desta pesquisa foi comparar a técnica de microabrasão dentária do esmalte com ácido fosfórico 37% e da técnica de microabrasão do esmalte com ácido clorídrico 18%, ambas associadas à pedra-pomes na arcada superior dos dentes permanentes.</span></em><em><span style="font-weight: 400;"> Relato de caso: O relato de caso descrito no presente trabalho refere-se a uma paciente, sem nenhum comprometimento sistêmico, apresentava alteração no esmalte dentário, após a anamnese e exame clínico, o diagnóstico de fluorose dentária, a mesma aceitou o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, portanto, foi submetida a este tratamento na Clínica de Odontologia no Centro Universitário Cesuca, Cachoeirinha RS. O caso foi registrado, através de fotografias, do início até o término da realização das técnicas no tratamento da fluorose dentária. Considerações finais: </span></em><em><span style="font-weight: 400;">A técnica de microabrasão com os dois ácidos tiveram o resultado satisfatório e sem demonstrar diferenças visualmente. Destaca-se a importância de um correto diagnóstico e adequada aplicação da técnica no tratamento da fluorose dentária. </span></em></p> Maicha Dalsotto Ribeiro, Ilda Arbex Chaves Freitas Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15753 Dom, 05 Mai 2024 00:00:00 -0300 Displasia ectodérmica hipohidrótica: reabilitação de paciente pediátrico https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15904 <p>Objetivo: Relatar um caso de reabilitação oral de paciente pediátrico com displasia ectodérmica hipohidrótica e ressaltar aspectos relevantes para o cirurgião-dentista. Relato de caso: Paciente do sexo masculino, 8 anos, leucoderma, e com oligodontia associada à displasia ectodérmica hipohidrótica. O tratamento consistiu na confecção de prótese parcial removível superior e overdenture sobre implantes inferior, tendo como objetivo melhorar a estética e função. O paciente continuará em tratamento após a reabilitação, pois está em fase de crescimento. Conclusão: Displasia ectodérmica hipohidrótica é uma condição congênita rara que afeta estruturas derivadas do ectoderma, tais como dentes, pele, cabelos, unhas e glândulas sudoríparas. A reabilitação oral da displasia ectodérmica é um desafio que deve ser enfrentado ainda na infância, proporcionando melhora funcional, estética e na autoestima do paciente.</p> GABRIEL MACIEL, Valentina Soares Menna Barreto, Eva Castro Torriani, Benhur Sturmer, Cristiane Cademartori Danesi Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15904 Qui, 30 Mai 2024 00:00:00 -0300 Desmistificando o atendimento odontológico em gestante∶ Relato de caso https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15811 <p>Ao longo da gravidez, o organismo feminino passa por diversas transformações que podem impactar a sua saúde oral. Durante esse tempo, as futuras mães estão mais abertas a receber orientações sobre cuidados de saúde, o que facilita a inclusão de medidas preventivas. É fundamental que os cirurgiões dentistas se atualizem e adquiram conhecimentos específicos para garantir um tratamento odontológico seguro durante a gestação, desmistificando ideias errôneas e superstições comuns associadas a esse período. Objetivo: Fornecer uma descrição da assistência odontológica prestada a uma gestante, enquanto desmistifica os mitos comuns associados ao tema, destacando estratégias eficazes para superar quaisquer barreiras de preconceitos odontológicos enfrentadas por esse grupo. Relato de caso∶ paciente K.A.P. 32 anos, sexo feminino, melanoderma, natural e procedente de Manaus-AM, que foi encaminhada por outro profissional à Clínica de Urgência da Policlínica Odontológica da Universidade do Estado do Amazonas, onde durante os exames iniciais a paciente informou estar grávida, sem comorbidades e com “dor de dente”. No exame intraoral revelou-se um quadro desfavorável em relação ao índice de cárie e higiene oral, com necessidade de intervenções odontológica invasivas. O tratamento proposto e realizado incluiu as exodontias dos restos radiculares, restauração do elemento dentário 12, raspagem supra gengival, profilaxia e orientação de educação em saúde sobre higiene bucal. Conclusão∶ A capacitação do dentista, que inclui o conhecimento das alterações na gravidez e o uso de medicamentos seguros, é de suma importância. Este caso demonstra a relevância do atendimento odontológico, pois previne doenças bucais e promove o bem-estar da gestante.</p> Hudison Silva, Eliane de Oliveira Aranha Ribeiro , Gimol Benchimol Resende Prestes , Joelson Rodrigues Brum Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15811 Qui, 30 Mai 2024 00:00:00 -0300 Restabelecimento da dimensão vertical de oclusão em paciente com erosão ácida devido à refluxo gastroesofágico https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15681 <p><em><span style="font-weight: 400;">Objetivo: relatar o caso clínico de um paciente com perda de dimensão vertical de oclusão (DVO) associada à erosão dentária causada por refluxo gastroesofágico, discorrendo aspectos inerentes ao diagnóstico, planejamento, execução e tratamento reabilitador com restaurações indiretas cerâmicas. Descrição do caso clínico: Paciente de 37 anos queixou-se de desgaste dentário, que provocava dor e incômodo estético com o seu sorriso. O paciente relatou ser portador da doença do refluxo gastroesofágico e possuir dores de cabeça frequentes, e o exame clínico denotou perda da DVO. Após os protocolos fotográficos, molde e análise do exame radiográfico, determinou-se clinicamente o restabelecimento da DVO, sendo que por meio dos mock-ups, verificou-se a adaptação do paciente com relação a nova DVO. Preparos para facetas e tabletops foram realizados, seguidos de selamento imediato da dentina. A reabilitação foi iniciada pelo arco superior, sendo que para este arco, optou-se pelo fluxo analógico. Peças em dissilicato de lítio fresado e maquiado foram confeccionadas, e cimentadas com cimento resinoso dual. Para o arco inferior, foi utilizado o fluxo digital, e as peças foram obtidas por fresagem. Após a finalização da reabilitação, o paciente mostrou-se satisfeito com o tratamento, com melhora no aspecto estético-facial-dental, além das dores de cabeça. Considerações finais: O restabelecimento da DVO por meio de restaurações indiretas em pacientes com erosão dental é um procedimento previsível, desde que seja precedido de uma anamnese completa, diagnóstico da DVO por meio de restaurações provisórias e estratégias de adesão e cimentação adequadas.</span></em></p> Otavio Marino dos Santos Neto, André Luiz Micharki, Adriana Cristina Zavanelli, Rossana Pereira de Almeida, Victor Miguel Gonçalves da Silva, Fabiana Scarparo Naufel, Rolando Plümmer Pezzin Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15681 Dom, 05 Mai 2024 00:00:00 -0300 Restabelecimento do plano oclusal - Restaurações Diretas Tratadas Termicamente (RDTT) e Diretas Convencionais: relato de caso https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15772 <p>Objetivo: <span style="font-weight: 400;">Relatar o </span><span style="font-weight: 400;">restabelecimento do plano oclusal por meio do ajuste oclusal por desgaste seletivo, restaurações diretas anteriores e restaurações indiretas com Resina Direta Tratada Termicamente (RDTT), devolvendo as guias anteriores e laterais para a mútua proteção entre dentes posteriores e anteriores.</span> Relato de caso:<span style="font-weight: 400;"> Paciente do gênero masculino, 45 anos, apresentou-se na clínica escola da Universidade Federal do Maranhão (Clínica IV) e, no exame clínico,</span> <span style="font-weight: 400;">observou-se alteração do plano oclusal que, associado aos hábitos parafuncionais, levaram a protrusão mandibular, dando início a uma mordida cruzada anterior esquerda. Após</span> <span style="font-weight: 400;">análise oclusal verificou-se a presença de contato prematuro nos dentes 18 e 48, ocasionando a protrusão da mandíbula. Portanto, foi realizado o ajuste oclusal, que permitiu um posicionamento mais centralizado do côndilo,</span> <span style="font-weight: 400;">e procedeu-se a moldagem e registro do arco facial com o objetivo de enceramento diagnóstico.</span> <span style="font-weight: 400;">A estratégia do enceramento diagnóstico permitiu a condução das etapas clínicas - reconstrução das guias anteriores, permitindo protrusão e lateralidade com desoclusão dos posteriores. </span>Considerações finais:<span style="font-weight: 400;"> Foi possível constatar a efetividade do ajuste oclusal e o restabelecimento das guias anteriores, incisal e canina, como um método eficaz para a reabilitação oral em um ambiente de clínica/escola.</span></p> Tamires Cristina da Silva Gomes, Yasmin Cristine Simões Nunes, Giselle de Brito Henrique, Rafael Avellar de Carvalho Nunes, Joaquim Rodrigues Mochel Filho, Ivone Lima Santana Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15772 Qui, 30 Mai 2024 00:00:00 -0300 Percepção de graduandos em odontologia sobre as dificuldades relacionadas ao tratamento endodôntico. https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15833 <p>Objetivo: A Endodontia é uma das especialidades da Odontologia, cujo objetivo principal é preservar o dente, através da prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças ou alterações da polpa dental e dos tecidos da periapicais. Tendo em vista as dificuldades relacionadas à execução do tratamento endodôntico, o objetivo deste trabalho foi avaliar a percepção dos acadêmicos do curso de graduação em Odontologia da Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL/PB) sobre seus conhecimentos e habilidades relacionados à Endodontia. Método: Foram convidados a participar da pesquisa todos os graduandos regularmente matriculados nos Estágios Supervisionados Clínicos (ESC) (I, II, III ou IV), nos quais a especialidade Endodontia é contemplada. Um questionário contendo dezessete questões binárias (sim/não) referentes ao tratamento endodôntico foi entregue aos participantes. Os resultados obtidos foram analisados estatisticamente, de forma descritiva e por meio de associação, pelo teste Qui-quadrado (α=5%). Resultado: Cinquenta e nove alunos participaram do estudo. Associação positiva foi evidenciada em relação à dificuldade para a realização do isolamento absoluto, radiografias, e acesso endodôntico, como também sobre o conhecimento sobre as medicações intracanal. Conclusão: de forma geral, pode-se concluir que os alunos das fases mais avançadas (ESC III e IV) do curso de graduação em Odontologia&nbsp;&nbsp; da UNISUL/PB demonstraram maior conhecimento e habilidade relacionados à Endodontia.</p> Ana Luiza Guimarães Vieira, Bruno Bonacir Coelho, Taynara Santos Goulart, Daniela de Rossi Figueiredo, Josiane de Almeida Cava da Silveira Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15833 Sex, 03 Mai 2024 00:00:00 -0300 Avaliação da microinfiltração marginal de materiais restauradores provisórios utilizados em endodontia https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15698 <p><strong>Objetivo:</strong> Avaliar e comparar a eficácia do vedamento marginal do Vitro Fil R, Coltosol, Vitro Fil LC e Interim, por meio da infiltração do corante azul de metileno a 2%. <strong>Métodos:</strong> Foram utilizados quarenta e quatro (44) pré-molares humanos hígidos, isento de cáries e defeitos estruturais. Os dentes foram divididos aleatoriamente em quatro grupos experimentais conforme o material avaliado: G1- Vitro Fil R, G2- Coltosol, G3- Vitro Fil LC e G4- Interim e dois grupos de controle: controle positivo e controle negativo. Após o preparo e inserção dos materiais obturadores e restauradores provisórios, os espécimes foram imersos em solução azul de metileno a 2% por um período de 48 horas e, em seguida, foram seccionados para análise da infiltração. Posteriormente, foi aplicada análise estatística com teste de Kruskall-Wallis e comparação das amostras, duas a duas, utilizando o teste de Mann-Whitney. <strong>Resultados:</strong> A menor infiltração do corante ocorreu no Coltosol e Vitro Fil LC e a maior no Vitro Fil R e Interim, com diferença estatística significante entre alguns grupos. <strong>Conclusão:</strong> Todos os materiais estudados apresentaram algum grau de microinfiltração marginal. No entanto, o Coltosol e Vitro Fil LC demonstraram melhor capacidade de vedamento marginal comparado com o Vitro Fil R e Interim.</p> giliardo sousa, André Luca Araujo de Sousa, Kilvia Magalhães Araújo, Agnes Lorena Araujo da Gama, Jainara Pontes Paixão, Linda Inês Pereira Cardoso, Maria Ângela Arêa Leão Ferraz, Joyce Pinho Bezerra, Carlos Alberto Monteiro Falcão Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15698 Dom, 14 Abr 2024 00:00:00 -0300 Pain catastrophizing in temporomandibular disorders patients https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15674 <p><span style="font-weight: 400;">A Disfunção Temporomandibular (DTM) é um termo coletivo para uma síndrome musculoesquelética dolorosa, articulação temporomandibular e estruturas associadas. Objetivo: Avaliar o nível de catastrofização da dor em indivíduos com DTM. Métodos: um total de 40 participantes foram avaliados e divididos em dois grupos: um grupo controle com 20 indivíduos sem DTM e um grupo experimental com 20 indivíduos com DTM. Os participantes com DTM foram avaliados por meio de anamnese e exame clínico considerando sua queixa principal e seguiram os Critérios de Pesquisa Diagnóstica para Disfunção Temporomandibular. A Escala de Catastrofização da Dor foi aplicada a todos os participantes de ambos os grupos. Resultados: Embora as mulheres representassem o maior grupo com DTM, elas não apresentaram maiores níveis de catastrofização da dor em comparação aos homens. A idade não foi estatisticamente relevante, o que contradiz alguns estudos publicados anteriormente. O grupo com DTM apresentou maior índice de catastrofização da dor (p ≤ 0,001), mas nenhum subtipo de DTM se relacionou com esse índice. Ruminação, magnificação e desesperança foram relevantes neste estudo e apresentaram alta correlação com DTM. Conclusões: pacientes com DTM apresentaram maiores escores de catastrofização da dor do que indivíduos saudáveis.</span></p> Thaís Spisila, Jordana Senff, Georgia Schoeler Barreta, Luana Weyand Spitzner, Ricardo Rasmussen Petterle, Priscila Brenner Hilgenberg-Sydney Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15674 Dom, 05 Mai 2024 00:00:00 -0300 Prevalência da Disfunção Temporomandibular (DTM) associada à níveis de ansiedade em acadêmicos de Odontologia https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15709 <p><em><span style="font-weight: 400;">A Disfunção Tempomandibular (DTM) é caracterizada por uma série de distúrbios que afetam os músculos mastigatórios, a articulação temporomandibular (ATM) e estruturas adjacentes. Sua origem é multifatorial e pode estar vinculada a aspectos emocionais. O aumento da incidência de dor orofacial, especialmente associada à saúde mental, tem despertado interesse na comunidade científica, impactando a qualidade de vida, especialmente em jovens universitários. </span></em><strong><em>Objetivo:</em></strong><em><span style="font-weight: 400;"> Este estudo teve como objetivo investigar a prevalência da DTM e sua relação com diferentes níveis de ansiedade entre acadêmicos de Odontologia da UCEFF, Chapecó/SC. </span></em><strong><em>Metodologia: </em></strong><em><span style="font-weight: 400;">Realizado como um estudo transversal, exploratório e descritivo, a amostra compreendeu 161 acadêmicos. A coleta de dados envolveu a aplicação de questionários validados, como o Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders (DC/TMD), Triagem da Dor por DTM e um questionário de sintomas. Esses questionários foram correlacionados com dados demográficos e um questionário sobre Desordem de Ansiedade Generalizada (GAD-7). </span></em><strong><em>Resultados:</em></strong><em><span style="font-weight: 400;"> Observou-se que acadêmicos que relataram DTM apresentaram uma taxa de ansiedade 10% superior em comparação com aqueles sem dor. </span></em><strong><em>Conclusão: </em></strong><em><span style="font-weight: 400;">A associação entre autorrelato de dor e DTM foi evidenciada, destacando a interconexão entre a condição física e os aspectos psicológicos.</span></em></p> Marcos Massaro Takemoto, DR, Dra Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15709 Dom, 05 Mai 2024 00:00:00 -0300 Abordagem tradicional versus abordagem biomimética em preparos para restaurações semidiretas: uma revisão integrativa https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15802 <p>Introdução: A odontologia conservadora e estética tem se tornado cada vez maisevidente <br>devido ao avanço nos materiais restauradores e à preferência dos pacientes por<br>restaurações estéticas, mesmo em dentes posteriores. Com o objetivo de aproveitar as<br>vantagens das técnicas direta e indireta, além de reduzir custos e tempo, a técnica de<br>restauração semidireta tem se apresentado como uma excelente alternativa para o<br>tratamento restaurador. Objetivo: realizar uma revisão integrativa da literatura<br>comparando a abordagem tradicional com a abordagem biomimética em preparos para<br>restaurações dentárias semidiretas. Métodos: a coleta de dados foi realizada entre maio e<br>junho de 2023, utilizando as bases de dados LILACS, SciELO e PubMed. Foram<br>selecionados artigos em inglês e português publicados entre 2003 e 2023, sem restrição<br>geográfica. Resultados: A abordagem tradicional é pautada em preparos extensos que<br>demandam um maior desgaste de estrutura dental, assim, a odontologia minimamente<br>invasiva tem sido preconizada, pois garante preparos mais conservadores. A adesão é um<br>fator importante para a longevidade das restaurações, sendo importante realizar o manejo<br>do substrato após o preparo. Conclusão: Desse modo, a técnica conservadora e a<br>biomimética representam um avanço no tratamento odontológico, visto que permitem<br>resultados superiores ao mesmo tempo em que preservam a estrutura dentária natural.</p> Jessilene Ribeiro Rocha, Luís Gustavo Souza Santos, Flávia Cavalcante Carneiro, Luana Barbieri Trinta, Darlon Martins Lima, Karla Janilee de Souza Penha, Leily Macedo Firoozmand Copyright (c) 2024 Revista da Faculdade de Odontologia - UPF http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/15802 Qui, 30 Mai 2024 00:00:00 -0300