A fábula e seus constituintes: uma análise argumentativa

Autores

  • Cláudio Primo Delanoy

Palavras-chave:

Fábula. Ilustração. Teoria da Argumentação na língua.

Resumo

A fábula constitui-se num discurso normalmente curto, que tem duas partes: uma narrativa e uma moral. A narrativa conta a ação de um ou vários personagens. A moral tem como propósito generalizar o que está na narrativa, tornando-se um ensinamento, uma instrução a ser seguida. Este artigo pretende explicitar o modo pelo qual essas duas partes se relacionam, levantando a hipótese de que se trata de uma ilustração, conceito proposto por Marion Carel em seu artigo "Ocúpate de Amélie: Empleo contrastivo de pero e ilustración". A lingüista define "ilustração" como a expressão da argumentação interna de uma entidade lingüística. Assim, neste estudo pretende-se mostrar que a narrativa é uma ilustração da sua moral. Para tanto, será feita uma análise da fábula "Os jovens e o açougueiro," de Esopo. Utilizou-se como fundamento teórico a teoria da Argumentação na língua, de Oswald Ducrot e colaboradores, mais especificamente a sua fase atual, a teoria dos blocos semânticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

19-08-2009

Como Citar

Delanoy, C. P. (2009). A fábula e seus constituintes: uma análise argumentativa. Revista Desenredo, 3(2). Recuperado de https://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/536

Edição

Seção

Artigos