Leitura argumentativa e polifônica de Amores possíveis: de onde brota o riso?

Autores

  • Telisa Furlanetto Graeff

Palavras-chave:

Argumentação discursiva. Constituição do humor. Teoria da Argumentação Polifônica.

Resumo

Com base em conceitos e princípios da teoria dos Blocos Semânticos e especialmente da Teoria da Argumentação Polifônica (CAREL; DUCROT, 2010; CAREL, 2010, 2011), que considera em sua matriz de sentido a atitude do locutor frente ao conteúdo introduzido, o qual pode ser posto, acordado ou excluído; o modo de aparição desse conteúdo, concebido, recebido ou encontrado, conforme a pessoa que o garante, como o locutor (L), o interlocutor (TU), a opinião pública (SE), o Mundo, a voz do Ausente, procedeu-se a uma análise da narrativa Amores possíveis XXX, de José Roberto Torero, focalizando especialmente o mecanismo argumentativo e polifônico de produção do humor. Constatou-se que o locutor põe em contraste dois modos de aparição do conteúdo argumentativo, o encontrado e o recebido, surpreendendo o leitor que ri, ao perceber a diferença de entre o conteúdo garantido pela Pessoa Mundo e pela pessoa do ausente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10-05-2012

Como Citar

Graeff, T. F. (2012). Leitura argumentativa e polifônica de Amores possíveis: de onde brota o riso?. Revista Desenredo, 7(2). Recuperado de https://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/2407

Edição

Seção

Artigos