THE NON-TARIFF COSTS OF INTERNATIONAL TRADE IN BRAZIL

  • Orlando Monteiro Da Silva Depto de Economia/Universidade Federal de Viçosa
  • Felipe Dias Gomes Moreira Depto de Economia/Universidade Federal de Viçosa

Resumo

: Esse estudo avalia a evolução dos custos não tarifários do comércio internacional do Brasil com o MERCOSUL e com outros quatro blocos econômicos cujos países perfazem mais de 80% do comércio do país. Os custos bilaterais não tarifários, para os setores agrícola e de manufaturados, foram obtidos pela subtração da média geométrica das tarifas cobradas por cada par de parceiros comerciais dos custos totais desses setores. Os resultados mostraram que, diferente dos demais blocos, onde ocorreu queda contínua nas tarifas e nos custos não tarifários, esses últimos foram crescentes no MERCOSUL. O fator que mais contribuiu para a redução dos custos não tarifários foi a participação dos países no MERCOSUL, indicando que prioridade deveria ser dada na implementação plena do Acordo entre os países membros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Orlando Monteiro Da Silva, Depto de Economia/Universidade Federal de Viçosa
Eng. Agrônomo. Mestre em Economia Rural. PhD em Economia. Professor Titular do Depto de Economia da UFV.
Felipe Dias Gomes Moreira, Depto de Economia/Universidade Federal de Viçosa
Economista.

Referências

Anderson, James and Eric van Wincoop, Trade costs, Journal of Economic Literature, 42(3), 691–751. 2004

ARTNET – Asia Pacific Research and Training Network on Trade. Disponível em: http://artnet.unescap.org/. Acesso em Abril de 2016.

Arvis, J.F.; Duval, Y.; Shepherd, B. and Utoktham, C. Trade costs in the developing world:

-2010. Policy Research Working Paper 6309, World Bank. 2013

CEPII – French Research Center in International Economics. Distance databases. Disponível em: <http://www.cepii.fr/anglaisgraph/bdd/distances.htm>. Acesso em Março de 2016.

Daumal, M.; Zignago, S. Measure and determinants of border effects of Brazilian states.

Papers in Regional Science, 89:735–758. 2010

Duval, Yann and Chorthip Utoktham, Trade facilitation in Asia and the Pacific: which policies and measures affect trade costs the most?. Asia- Pacific Research and Training

Network on Trade (ARTNet) working paper no. 94, January, 2011. Disponível em http://www. unescap.org/tid/artnet/pub/wp9411.pdf. Acesso em Março, 2016.

Duval, Yann and Feyler, Emilie, Intra- and extraregional trade costs of ASEAN Economies: Implications for Asian Regional Integration. In ASEAN Economic Community: A model for Asia-wide regional integration. Bruno Jetin and Mia Mikic Editors, p. 153-172. 2016.

ESCAP International Supply Chain Connectivity (ISCC) Database:

Explanatory Note for Users. 2013. Disponível em: http://artnet.unescap.org/db/ESCAP-ISCC-usernote.pdf. Acesso em: 15 de maio de 2016.

Figueiredo, E.; Lima, L.R.; Loures, A.; Oliveira, C.. Uma análise para o efeito-fronteira no Brasil. Revista Brasileira de Economia, v.68(4), p. 481-496. 2014.

Franzen, T. E. E Silva, O. M. Os custos totais do comércio bilateral brasileiro: Determinantes e evolução recente. Revista Vision Contable, Vol. 7, n.14. 2016. No Prelo.

Leusin Jr, S; Azevedo, A.F.Z.. O efeito fronteira das regiões brasileiras: uma aplicaçãoo do modelo gravitacional. Revista de Economia Comtemporânea, 13(2), 229-258. 2009.

MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Intercâmbio Comercial do Agronegócio: Principais Mercados de Destino. Edição 2012. Brasília, 456p. 2012.

McCallum, John, National borders matter: Canada–US regional trade patterns, American Economic Review, 85(3), 615–23. 1995.

Moreira, G., Silva, O.M. Medidas não tarifárias e o custo do comercio internacional no Brasil. In: Anais do 51o Congresso da SOBER. Novas fronteiras da agropecuária no Brasil e na Amazônia: desafios da sustentabilidade. Belém, PA. 2013.

Novy, D. Gravitty Redux: Measuring international trade costs with panel data, Economic Inquiry, 51(1), 101-121. 2011.

Pomfret, Richard and Patricia Sourdin 2010, Trade facilitation and the measurement of trade costs, Journal of International Commerce, Economics and Policy, 1(1), 145–63. 2010.

Santos Silva, João and Silvana Tenreyro, The log of gravity, The Review of Economics and Statistics, 88(4), 641–58. 2006.

Shepherd, Ben and John S. Wilson, Trade facilitation in ASEAN member countries: measuring progress and assessing priorities, Journal of Asian Economics, 20 (4), 367–83. 2009.

Silva, O.M.; Almeida, F.M.; Oliveira, B.M.. Comércio internacional x intranacional no Brasil: medindo o efeito fronteira. Nova Economia, v.17, p.427-439, 2007.

UNITED NATIONS STATISTICAL DIVISION. International Standard Industrial Classification. ISIC - Rev 3. Disponível em: http://www.un.org/depth/unsd. Acesso em 05 de janeiro de 2016.

Wilson, John, Catherine Mann and Tsunehiro Otsuki, Trade facilitation and economic development: a new approach to quantifying the impact, World Bank Economic Review, 17, 367–89. 2003.

World Bank Indicators, 2016. Disponível em: http://www.worldbank.org. Acesso: 13 de outubro de 2015.

Publicado
2020-09-16
Como Citar
Da Silva, O., & Moreira, F. (2020). THE NON-TARIFF COSTS OF INTERNATIONAL TRADE IN BRAZIL. Revista Teoria E Evidência Econômica, 24(51), 407-428. https://doi.org/10.5335/rtee.v24i51.8419