Distribuição da população brasileira sob o enfoque das cidades de porte médio

  • Cristiano Stamm Doutor em Planejamento Urbano pela Ufrgs e Economista e Mestre em Desenvolvimento Regional e Agronegócio pela Unioeste/Campus de Toledo. Professor do Mestrado em Economia da Unioeste. Pesquisador do Grupo de Pesquisa em Agronegócio e Desenvolvimento Regional (Gepec)
  • Manoela Silveira dos Santos Doutora e Mestre em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora de Administração da Unioeste/Campus de Foz do Iguaçu. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Agronegócio e Desenvolvimento Regional (Gepec) da Unioeste/Campus de Toledo.

Resumo

A desconcentração industrial, a mobilidade da fronteira agrícola e os investimentos em infra-estrutura que integraram o interior do Brasil à dinâmica da economia nacional são apontados como um dos fatores responsáveis pela dispersão espacial da população brasileira. O presente artigo mostra a evolução das cidades de porte médio no Brasil entre os períodos de 1970 a 2010 a partir de um enfoque populacional. A metodologia é caracterizada por pesquisa documental. Ao longo do estudo, é possível observar que as cidades de porte médio têm uma posição estratégica potencial para a continuidade da desconcentração regional no Brasil. Os resultados apontaram que as cidades de porte médio aumentaram sua participação na população total do país, o que em 1970 era representado por cerca de 18% da população urbana, em 2010 chegou a abrigar pouco mais de 27% dessa população. Palavras-chave: População urbana; Cidades de porte médio; Sistema urbano, Brasil.
Publicado
2018-06-12
Como Citar
Stamm, C., & dos Santos, M. (2018). Distribuição da população brasileira sob o enfoque das cidades de porte médio. Revista Teoria E Evidência Econômica, 23(49). https://doi.org/10.5335/rtee.v23i49.8266