Gestão fiscal, desenvolvimento e eleição municipal: uma análise da região Nordeste entre 2006 e 2010

  • Willane Queiroz Carvalho Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional/UFT. Pós-Graduanda em Gestão Financeira e Orçamentária pela UFT. Bacharel em Ciências Econômicas pela UFT. Analista Fazendária na área de Economia, na Secretaria da Fazenda do Estado do Tocantins
  • Nilton Marques de Oliveira Doutor em Desenvolvimento Regional e Agronegócio, professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional - PPGDR e do Curso de Economia da Universidade Federal do Tocantins – UFT. Bolsista de produtividade na modalidade “novos pesquisadores” Propesq/UFT

Resumo

Este artigo tem como objetivo verificar se há uma relação entre o nível de desenvolvimento e a qualidade da gestão fiscal nos municípios da região Nordeste, além de verificar se a população usa seu poder de voto para premiar ou rejeitar essa gestão reelegendo os prefeitos. Como metodologia, utilizou-se um modelo econométrico onde, por meio de uma regressão múltipla, foram relacionados os Índices Firjan de Gestão Fiscal - IFGF, de Desenvolvimento Municipal – IFDM de 2006 e 2010, além da dummy de Reeleição. Os dados secundários foram obtidos no sitio da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). Constatou-se que há relação positiva entre qualidade da gestão pública e níveis de desenvolvimento municipal e que os eleitores nordestinos tendem a confiar um segundo mandato a um prefeito que promoveu melhora nos níveis de desenvolvimento do município. Palavras-chave: Desenvolvimento municipal. Gestão fiscal. Reeleição.
Publicado
2018-06-12
Como Citar
Carvalho, W., & de Oliveira, N. (2018). Gestão fiscal, desenvolvimento e eleição municipal: uma análise da região Nordeste entre 2006 e 2010. Revista Teoria E Evidência Econômica, 23(49). https://doi.org/10.5335/rtee.v23i49.8263