Análise da economia do Conselho Regional de Desenvolvimento da Região Sul do Rio Grande do Sul (Corede Sul) por meio da estimação de uma matriz de insumo-produto

  • Henrique Morrone Professor Adunto UFRGS , PhD. em Economia Universidade de Utah.

Resumo

Este artigo estima a matriz de insumo-produto (MIP) de 2008 para o Conselho Regional de Desenvolvimento da Região Sul do Rio Grande do Sul, o Corede Sul, buscando verificar os elos produtivos existentes entre os setores da economia, seus efeitos multiplicadores, bem como contribuir para o debate sobre o papel desses setores e sua inter-relação com as demais atividades da economia do Corede Sul. Especificamente, pretende-se averiguar quais são os setores-chave da economia. Esse exercício de estimação dos índices de impacto auxiliará para um maior entendimento da economia. O método de insumo-produto foi usado a fim de estimar os encadeamentos para trás e para frente, bem como os efeitos de dispersão no resto da economia. Os resultados indicam que a indústria de transformação, a agropecuária, e os transportes são setores-chave da economia do Corede Sul, contribuindo para o seu desenvolvimento regional. A MIP do Corede Sul servirá de base para modelos de equilíbrio geral computáveis na versão estruturalista. Palavras-chave: Matriz de Insumo-Produto; Encadeamentos produtivos; Desenvolvimento regional
Publicado
2018-06-12
Como Citar
Morrone, H. (2018). Análise da economia do Conselho Regional de Desenvolvimento da Região Sul do Rio Grande do Sul (Corede Sul) por meio da estimação de uma matriz de insumo-produto. Revista Teoria E Evidência Econômica, 23(49). https://doi.org/10.5335/rtee.v23i49.8262