Elasticidade PIB e desemprego no estado de São Paulo: uma aplicação do modelo vetorial de correção de erro (VEC)

  • Mario Antonio Margarido Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo
Palavras-chave: Desemprego. Elasticidade. Longo prazo. Modelo VEC. PIB.

Resumo

Este estudo analisou a relação entre Número de Trabalhadores Desempregados na região metropolitana de São Paulo e o PIB do Estado de São Paulo para o período de janeiro de 2003 até dezembro de 2017. Foram utilizados dados da Fundação Seade. Foi utilizado o Método X-12 para dessazonalizar as séries. Para a determinação da ordem de integração de cada série, foi utilizado o teste de raiz unitária ADF. Para verificar se as variáveis convergem para o equilíbrio no longo prazo, foi utilizado o teste de co-integração de Johansen. A partir do Modelo VEC, foi possível estimar a elasticidade de longo prazo entre PIB e Número de Desempregados. O resultado mostra que para cada 1% de variação no PIB, o desemprego é reduzido em 3,49% no longo prazo, o qual foi estimado como sendo igual a um ano. O resultado da Função de Resposta de Impulso mostra que a partir de um choque no PIB, o desemprego decai por vinte meses e depois se estabiliza, indicando nível de pleno emprego da região metropolitana de São Paulo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mario Antonio Margarido, Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo
Assessoria de Política Tributária (APT)
Publicado
2018-12-12
Como Citar
Margarido, M. (2018). Elasticidade PIB e desemprego no estado de São Paulo: uma aplicação do modelo vetorial de correção de erro (VEC). Revista Teoria E Evidência Econômica, 24(50). https://doi.org/10.5335/rtee.v24i50.7934