Percepção de Justiça por parte do Principal e do Agente em Relação ao Princípio da Controlabilidade

  • Maria Elena Amaral Ferreira Bueno
  • Rodrigo Angonese Universidade de Passo Fundo - UPF
Palavras-chave: o

Resumo

Este estudo objetiva verificar se a aplicação do princípio da controlabilidade influencia a  percepção de justiça, tanto por parte do principal como por parte do agente.  A pesquisa apresenta natureza descritiva, com abordagem quantitativa.  É de caráter experimental pelo procedimento da pesquisa. A coleta de dados foi realizada por meio da aplicação de questionário para 40 alunos concluintes do curso superior de administração, representando o agente e 50 alunos de pós-graduação representando o principal. Os dados coletados foram tabulados em planilha eletrônica e submetidos a tratamento estatístico descritivo, análise de frequência e análise de correlação de Spearman. Os resultados mostram que a neutralização da interferência de gestores de mesmo nível hierárquico aumenta a percepção de justiça distributiva por parte do agente. Na concepção do principal, há correlação positiva entre a justiça distributiva e o desejo de neutralização de decisões tomadas por gestores de mesmo nível hierárquico e fatores externos, demonstrando que o principal não tem diminuída sua percepção de justiça distributiva pela aplicação do princípio da controlabilidade nestes dois quesitos, contrariando a ideia inicial que envolvia os pressupostos da Teoria da Agência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Angonese, Universidade de Passo Fundo - UPF
Contador Mestre em Controladoria e Contabilidade - UNISINOS Doutor em Ciências Contábeis e Administração - FURB
Publicado
2021-08-16
Como Citar
Bueno, M., & Angonese, R. (2021). Percepção de Justiça por parte do Principal e do Agente em Relação ao Princípio da Controlabilidade. Revista Teoria E Evidência Econômica, 27(56), 33-53. https://doi.org/10.5335/rtee.v27i56.12553