Há uma maior discriminação de salários em um setor predominantemente feminino?

Uma análise do setor calçadista no Rio Grande do Sul de 2006 a 2018

  • Tanise Brandão Bussmann CADE/UNIPAMPA
  • Katia Adrieli Soares Duarte UNIPAMPA
Palavras-chave: Setor Calçadista, Mercado de trabalho, Participação feminina, Desigualdade Salarial

Resumo

O presente estudo tem como objetivo analisar a participação feminina e as diferenças salariais para o total do estado e também para o setor calçadista do Rio Grande do Sul/RS entre os anos de 2006 a 2018. Para tanto, foram utilizadas as informações da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), tanto de forma agregada quanto no setor, quanto nas divisões de forma isolada, sendo calculada em ambas a diferença de médias. Verificou-se que indústria calçadista do Rio Grande do Sul apresenta uma dinâmica de desigualdade superior ao caso brasileiro, bem como há distinções de acordo com as seções utilizadas. Nota-se que há uma dupla discriminação: as mulheres apresentam uma maior participação em um setor com média salarial menor e também, dentro do setor, recebem menos do que homens e apresentam um hiato salarial maior em termos proporcionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Katia Adrieli Soares Duarte, UNIPAMPA
Graduada em Economia pela UNIPAMPA (2018).
Publicado
2021-08-16
Como Citar
Bussmann, T., & Duarte, K. A. (2021). Há uma maior discriminação de salários em um setor predominantemente feminino?. Revista Teoria E Evidência Econômica, 27(56), 77-100. https://doi.org/10.5335/rtee.v27i56.12505