Ditadura Militar Brasileira: o aparelhamento do sistema repressivo e a fabricação do informante

  • Reginaldo Cerqueira Sousa Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará
Palavras-chave: Ditadura militar, Estado de exceção, Guerra psicológica, Repressão

Resumo

A Ditadura Militar instaurada por meio de um golpe de Estado, em 1964, pôs fim à jovem democracia brasileira iniciada em 1945. Para manterem-se no poder e garantir a legitimidade política e social, os militares aprimoraram os órgãos de repressão existentes no Brasil e criaram outros mecanismos de vigilância e repressão no intuito de manter o controle e a censura na sociedade. O presente artigo propõe uma análise sobre esse período de exceção brasileiro enfatizando, no contexto ditatorial, a organização do aparelho repressivo do Estado e o papel do informante dentro da dinâmica da repressão àqueles considerados subversivos pelos militares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Reginaldo Cerqueira Sousa, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará
Doutor em História pela Universidade Federal do Paraná (2016). Atualmente é professor magistério superior da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará. E-mail: reginaldo.cerqueira@unifesspa.edu.br
Publicado
2019-09-03
Como Citar
Cerqueira Sousa, R. (2019). Ditadura Militar Brasileira: o aparelhamento do sistema repressivo e a fabricação do informante. Revista História: Debates E Tendências, 3(19), 420-438. https://doi.org/10.5335/hdtv.3n.19.9865