Anticomunismo e Inimigo Interno: uma avaliação da Doutrina de Segurança Nacional a partir de sujeitos e manuais da repressão durante as ditaduras do Conesul

  • Marcos Vinicius Ribeiro Universidade Estadual de Goiás
Palavras-chave: Anticomunismo, Ditaduras, Repressão

Resumo

O artigo parte de uma análise teórica-conceitual da historiografia que debate os usos do passado para produzir síntese crítica a respeito das rupturas e permanências de  alguns aspectos da construção e adaptação da Doutrina de Segurança Nacional (DSN) para a América Latina, a partir de manuais militares redigidos por interlocutores da repressão (civis e militares) em documentos anticomunistas. Procuramos demonstrar em manuais da repressão e documentos da Confederação Anticomunista Latino-americana (CAL), como a construção do “inimigo interno”, produzida durante o período de vigência da política de Terrorismo de Estado (TDE) que caracterizou as Ditaduras de Segurança Nacional, foi articulado e acionado como fórmula de combate e perseguição às oposições durante as ditaduras. Finalizamos o artigo com uma avaliação de conjunto que situa algumas permanências do anticomunismo como elemento orgânico de disputa da hegemonia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Vinicius Ribeiro, Universidade Estadual de Goiás
Professor da Universidade Estadual de Goiás, Campus de Quirinópolis. Doutor em História pela UNIOESTE-PR, Campus de Marechal Cândido Rondon. E-mail: marcosvhistoria@gmail.com
Publicado
2019-09-03
Como Citar
Vinicius Ribeiro, M. (2019). Anticomunismo e Inimigo Interno: uma avaliação da Doutrina de Segurança Nacional a partir de sujeitos e manuais da repressão durante as ditaduras do Conesul. Revista História: Debates E Tendências, 3(19), 384-401. https://doi.org/10.5335/hdtv.3n.19.9863