Os indígenas na enxada: processos produtivos e de controle social na Colônia Militar de Caseros – 1858-1878

  • João Carlos Tedesco Universidade de Passo Fundo
Palavras-chave: Colônia Militar, Indígenas, Agricultura, Aldeamentos

Resumo

O artigo analisa a presença e a importância dos indígenas na Colônia Militar de Caseros, entre 1858-1878. A referida colônia foi instituída no norte da Província do Rio Grande do Sul com a intenção de controlar o território para viabilizar a economia pastoril, a apropriação privada e econômica da terra, o extrativismo da erva mate, abrir estradas que ligassem com a região das missões e o centro do país, bem como garantir passagem dos tropeiros e viabilizar a produção agrícola. Para isso, havia necessidade de controlar, aldear e envolver os indígenas no empreendimento. Nesse sentido, a produção agrícola, a abertura de estradas e a extração de erva mate teriam a presença dos indígenas. Porém, houve resistências e muitos conflitos nessa tentativa. O texto nos auxilia na compreensão histórica das atuais demandas indígenas pela terra na região norte do estado.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Carlos Tedesco, Universidade de Passo Fundo
Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (1998), especialista em economia. Fez estágio de pós-doutoramento (2002) e de professor visitante (2009, 2014 e 2018) na Universidade de Verona - Itália. Fez também segundo pós-doutoramento (2011) na Universidade de Milão (Itália). Professor titular da Universidade de Passo Fundo no Mestrado e Doutorado em História. E-mail: jctedesco@upf.br
Publicado
2019-05-11
Como Citar
Tedesco, J. (2019). Os indígenas na enxada: processos produtivos e de controle social na Colônia Militar de Caseros – 1858-1878. Revista História: Debates E Tendências, 19(2), 288-313. https://doi.org/10.5335/hdtv.2n.19.9431