Para uma biografia da pequena propriedade rural no oeste catarinense

Arlene Renk, Silvana Winckler

Resumo


Este texto é uma tentativa de traçar uma biografia da pequena propriedade rural no oeste catarinense. Esta surge nas franjas
das fazendas e nas áreas florestais dos Campos de Palmas. Após a Guerra
do Contestado, dezenas de empresas colonizadoras
instalam-se na região para vender pequenas glebas aos agricultores
oriundos do Rio Grande do Sul. Essa pequena propriedade, tal como um personagem, em período de emancipação, expande-se pelo território, ocupando as áreas florestais, desencadeando conflitos
com povos indígenas e autóctones para firmar-se como o modelo de colonização. As lutas pela cidadania conduzem os proprietários ao engajamento em movimentos sociais e à conquista de
terras. No momento de maturidade, são enfrentados crises e desafios do modelo neo desenvolvimentista, com grandes projetos que rebatem no interior desse modelo de estrutura agrária.

Palavras-chave


Agricultura familiar. Colonização. Modelo agrário.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5335/hdtv.17n.2.7496