O sertão, Os sertões: a construção da região Nordeste do Brasil a partir da interface entre história e literatura

  • Tiago Bonato

Resumo

Muito do que se tem hoje no imaginário a respeito do sertão do Nordeste brasileiro deve-se à grande obra – ficcional – de Euclides da Cunha, Os sertões. Publicada no início do século XX, a obra tem caráter quase científico, ligado à tradição do romance naturalista. A construção de uma paisagem e de um tipo de personagem, o sertanejo, é muito forte na obra. Mais de um século antes, entretanto, viajantes naturalistas luso-brasileiros percorriam a mesma região em expedições de cunho científico, produzindo relatos a respeito do que viam. No final do período colonial, ainda outro grupo de naturalistas, desta vez de outras nações da Europa e mais ligados ao romantismo, também construiu o sertão nordestino com base em seus relatos de viagem. Todas essas narrativas, mesmo que se tenda a classificá-las como ficcionais ou reais, trazem à tona o problema da realidade histórica. Qual relato, afinal, é mais fiel à região observada? Palavras-chave: Sertão. Construção de paisagem. Relatos de viagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-03-31
Como Citar
Bonato, T. (2017). O sertão, Os sertões: a construção da região Nordeste do Brasil a partir da interface entre história e literatura. Revista História: Debates E Tendências, 8(1), 195-214. https://doi.org/10.5335/hdtv.8n.1.6887