O que queremos? Queremos tudo! Breve ensaio interpretativo sobre o sentido histórico de 1968

  • Mário José Maestri Filho Universidade de Passo Fundo

Resumo

A celebração dos quarenta anos de 1968 tem ensejado reflexões sobre a sua atua lidade ou superação programática. Os anos 1967-1969 abriram conjuntura revolucionária demarcada fortemente pela contradição entre a crescente exploração vivida pelo operariado dos países de capitalismo avançado e o enfraquecimento das direções reformistas, em parte em razão das jornadas democráticas e revolucionárias mundiais vitoriosas. Iniciadas pelos estudantes, as jornadas revolucionárias fortaleceram se na medida em que foram retomadas pelo operariado. Da ofensiva da década de 1970, a impulsão revolucionária estagnou na de 1980 e foi vergada na de 1990, permanecendo sua vigência referencial como único meio de arrestar o declínio vivido pela humanidade. Palavras-chave: 1968. Política internacional.Revolução. Contrarrevolução.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-03-31
Como Citar
Maestri Filho, M. (2017). O que queremos? Queremos tudo! Breve ensaio interpretativo sobre o sentido histórico de 1968. Revista História: Debates E Tendências, 8(1), 148-159. https://doi.org/10.5335/hdtv.8n.1.6882