1968 no Brasil: a visão dos militares

  • Eduardo Munoz Svartman

Resumo

O artigo retoma eventos conhecidos da conjuntura política de 1968 e pontua os aspectos formativos da visão da cúpula militar naquele período e que influenciaram a sua ação política e a repressão então desencadeada. Argumenta-se que a cúpula militar era pautada por um padrão de visão e de ação política relativamente antigo no meio militar brasileiro: o “intervencionismo controlador”; por uma desconfiança em relação aos políticos civis forte o bastante para subordinar as clivagens castrenses a uma propalada unidade em torno do regime e, por fim, num duradouro consumo da teoria da “guerra revolucionária”, que desempenhou um papel importante na militarização do regime e na montagem de um poderoso e extensivo aparato de repressão. Palavras-chave: Forças Armadas. Repressão política. Autoritarismo

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-03-31
Como Citar
Munoz Svartman, E. (2017). 1968 no Brasil: a visão dos militares. Revista História: Debates E Tendências, 8(1), 132-147. https://doi.org/10.5335/hdtv.8n.1.6881