O 68 no Uruguai: crise estrutural, mobilização social e autoritarismo

  • Enrique Serra padrós Universidade de Passo Fundo
  • Ananda Simões Fernandes

Resumo

O ano de 1968, no Uruguai, foi marcado pelo início da escalada autoritária, com a ascensão ao poder de Jorge Pacheco Areco. As reivindicações mundiais levantadas em 1968, notadamente, as latino-americanas, somaram-se às discussões nacionais travadas em virtude do esgotamento econômico e da crise social que se pronunciava desde a década de 1960. O confronto entre o governo e a oposição (trabalhadores, estudantes, militantes da luta armada, artistas, intelectuais, etc.) acirrou-se cada vez mais, gerando um cenário de radicalização das lutas sociais que se estenderia até a deflagração do golpe de estado, em 1973, no Uruguai. Palavras-chave: 1968. Governo Pacheco Areco. Movimentos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-03-31
Como Citar
Serra padrós, E., & Simões Fernandes, A. (2017). O 68 no Uruguai: crise estrutural, mobilização social e autoritarismo. Revista História: Debates E Tendências, 8(1), 28-49. https://doi.org/10.5335/hdtv.8n.1.6872