Mediações em conflito na demarcação de áreas indígenas em região de colonização no norte do Rio Grande do Sul: dilemas e configurações

  • João Carlos Tedesco
  • Henrique Kujawa

Resumo

Na última década, na Região Norte do Rio Grande do Sul, constituíram-se dezenas de reivindicações de novas terras indígenas em locais de colonização centenária de agricultores familiares. Os conflitos decorrentes desse contexto extrapolam o binômio, historicamente constituído, da luta entre latifúndio/agronegócio versus sem-terra/pequenos agricultores, consequentemente, provocando a reconfiguração da atuação dos movimentos sociais do campo, principalmente da Federação dos Agricultores Familiares, que se articulava ideológica e programaticamente com as causas indigenistas de entidades e de movimentos que a representavam. Esses movimentos que, historicamente, encontravam-se no mesmo campo de luta, agora se encontram em campos distintos. O presente artigo analisa os dilemas enfrentados por esses sujeitos, a forma como reformulam suas práticas discursivas e reconfiguram suas atuações com suas bases e no conjunto da sociedade para dar conta dessa nova realidade. Palavras-chave: Direito territoriais. Conflitos sociais. Indígenas. Agricultores familiares. Políticas públicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-08-12
Como Citar
Tedesco, J., & Kujawa, H. (2016). Mediações em conflito na demarcação de áreas indígenas em região de colonização no norte do Rio Grande do Sul: dilemas e configurações. Revista História: Debates E Tendências, 16(1), 135-151. https://doi.org/10.5335/hdtv.16n.1.6262