A Campanha Mundial de Erradicação da Febre Amarela da Fundação Rockefeller

um experimento de saúde global no período entre guerras (1918-1939)

Palavras-chave: Febre amarela, Fundação Rockefeller, Saúde Global

Resumo

A Campanha Mundial de Erradicação da Febre Amarela foi lançada pela Comissão de Saúde Internacional (CSI) da Fundação Rockefeller (FR) em 1918. Primeiro programa internacional de saúde destinado a eliminar uma doença em escala planetária, ela se constituiu em um experimento decisivo para testar os limites e possibilidades da saúde global. O objetivo deste trabalho é analisar a implementação da Campanha nas Américas e na África, destacando os principais pressupostos práticos e epidemiológicos que orientaram as suas atividades. O foco da análise também recairá sobre os intercâmbios médico-científicos mantidos entre os especialistas da FR, a produção de novos conhecimentos sobre a doença, bem como o impacto de alguns acontecimentos e descobertas que abalaram os pilares de sustentação da campanha e colocaram em xeque a sua continuidade.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAUER, J. Transmission of Yellow Fever by mosquitoes other than Aedes aegypti. American Journal of Tropical Medicine, v. 8, n. 4, p. 261-282, jul. 1928.
BENCHIMOL, J. Febre Amarela: a doença e a vacina: uma história inacabada. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2001.
BENCHIMOL, J.; SÁ, M.; KODAMA, K.; ANDRADE, M.; CUNHA, V. Cerejeiras e cafezais: relações médico-científicas entre Brasil e Japão e a saga de Hideyo Noguchi. Rio de Janeiro: Bom Texto, 2009.
BENCHIMOL, J. Yellow fever vaccine in Brazil: fighting a tropical scourge, modernizing the nation. In: HOLMBERG, C.; BLUME, S.; GREENOUGH, P. (Orgs.). The Politics of Vaccination: a Global History. Manchester: Manchester University Press, 2017. p. 174-208.
BIRN, A. Marriage of Convenience: Rockefeller International Health and Revolutionary Mexico. Rochester: University of Rochester Press, 2006.
BROWN, T.; CUETO, M.; FEE, E. A transição de saúde pública ‘internacional’ para ‘global’ e a Organização Mundial da Saúde. História, Ciência, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 13, n. 3, p. 623-647, set. 2006.
CARTER, H. Yellow fever in Peru: epidemic of 1919 and 1920. American Journal of Tropical Medicine, v. 2, n. 2, p. 87-106, mar. 1922.
CONNOR, M. Yellow fever control in Ecuador: preliminary report. The Journal of the American Medical Association, v. 74, n. 10, p. 650-651, mar. 1920.
CUETO, M. Sanitation from above: yellow fever and foreign intervention in Peru, 1919-1922. Hispanic American Historical Review, v. 72, n. 1, p. 1-22, fev. 1992.
CUETO, M. Los ciclos de la erradicación: la Fundación Rockefeller y la salud pública latinoamericana (1918-1914). In: CUETO, M. (Org.) Salud, Cultura y Sociedad en America Latina: nuevas perspectivas historicas. Lima: IEP/OPS, 1996. p. 179-202.
CUETO, M. O Valor da Saúde: história da Organização Pan-Americana da Saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2007.
CUETO, M. Saúde Global: uma breve história. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2015.
CUETO, M. La Salud Global, la Salud Planetaria y los historiadores. Quinto Sol, v. 24, n. 3, p. 1-21, set./dez. 2020.
FARLEY, J. To cast out disease: a history of the International Health Division of the Rockefeller Foundation (1913-1951). New York, Oxford: Oxford University Press, 2004.
FONSECA, C. Saúde no governo Vargas (1930–1945): dualidade institucional de um bem público. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2007.
FRAGA, C. Sobre o surto epidêmico de febre amarela no Rio de Janeiro. Boletín de la Oficina Sanitaria Panamericana, v. 7, n. 12, p. 1535-1546, dez. 1928.
FRAGA, C. A febre amarella no Brasil: notas e documentos de uma grande campanha sanitária. Rio de Janeiro: Officina Graphica da Inspetoria de Demographia Sanitária, 1930.
FRANCO, O. Vacinação antiamarílica. Revista Brasileira de Malariologia e Doenças Tropicais, v. 17, n. 1, p. 75-81,1965.
FRANCO, O. História da febre amarela no Brasil. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, Departamento Nacional de Endemias Rurais, 1969.
GORGAS, W. Sanitation of the tropics with specific reference to malaria and yellow fever. The Journal of American Medical Association, v. 52, n. 14, p: 1075-1077, abr. 1909.
HERNANDEZ TASCO, A. A construção de um modelo internacional de Saúde Pública: o programa dos laboratórios de febre amarela da Fundação Rockefeller nos Estados Unidos, América do Sul e África (1935-1950). 2016. Programa de Pós-Graduação em Política Científica e Tecnológica, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2016. Disponível em: . Acesso em: 25.06.2021.
HOCHMAN, G. A Saúde Pública em tempos de Capanema: continuidades e inovações. In: BOMENY, H. Constelação Capanema: Intelectuais e Política. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2001. p. 127-151.
LARA, J. A Virologia no Instituto Oswaldo Cruz e a emergência da dengue como problema científico. Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde, Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, 2020. Disponível em: . Acesso em: 30.06.2021.
LOWY, I. Representação e intervenção em saúde pública: vírus, mosquitos e especialistas da Fundação Rockefeller no Brasil. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 5, n. 3, p. 647-677, fev. 1999.
LOWY, I. Vírus, mosquitos e modernidade: a febre amarela no Brasil entre ciência e política. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2006.
MAGALHÃES, R. A Erradicação do Aedes aegypti: febre amarela, Fred Soper e saúde pública nas Américas (1918-1968). Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2016.
PALMER, S. Gênese da Saúde Global: a Fundação Rockefeller no Caribe e na América Latina. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2015.
QUEVEDO, E.; BORDA, C.; ESLAVA, J.; GARCÍA, C.; GUZMÁN, M.; MEJÍA, P. E NOGUERA, C. Café y gusanos, mosquitos y petróleo: el transito desde la higiene hacia la medicina tropical y la salud publica en Colombia, 1873-1953. Bogotá: Universidad Nacional de Colombia, 2004.
QUEVEDO, E.; MANOSALVA, C.; BEDOYA, J.; MATIZ, G.; MORALES, E. E TAFUR, M. Knowledge and power: the asymmetry of interests of colombian and Rockefeller doctors in the construction of the concept of ‘jungle yellow fever’, 1907-1938. Canadian Bulletin of Medical History, v. 25, n. 1, p. 71-109, 2008.
SAWYER, W.; KITCHEN, S.; FROBISHER JR., M.; LLOYD, W. The relationship of yellow fever of the Western Hemisphere to that of Africa and to leptospiral jaundice. The Journal of Experimental Medicine, v. 51, n. 3, p. 493-517, fev. 1930.
SAWYER, W. A history of the activity of the Rockefeller Foundation in the investigation and control of yellow fever. American Journal of Tropical Medicine, v. 17, n. 1, p. 35-50, jan. 1937.
SOLORZANO, A. The Rockefeller Foundation in revolutionary Mexico: yellow fever in Yucatan and Veracruz. In: CUETO, M. (Org.) Missionaries of Science: The Rockefeller Foundation and Latin America. Bloomington, Indianapolis: Indiana University Press, 1994. P. 52-71.
SOPER, F. Progressos realizados nos estudos e combate da febre amarela entre a IX e a X Conferências Sanitárias Panamericanas 1934-1938. Separata dos Archivos de Hygiene, v. 9, n. 1, p. 3-25, 1939.
SOPER, F., PENNA, H., CARDOSO, E; SERAFIM JR., J.; FROBISHER JR., M.; PINHEIRO, J. Yellow fever without Aedes aegypti. Study of a rural epidemic in the Valle do Chanaan, Espírito Santo, Brazil, 1932. American Journal of Epidemiology, v. 18, n. 3, p. 555-587, nov. 1933.
SOPER, F.; DUFFY, J. Ventures in world health: the memories of Fred Lowe Soper. Washington. D.C.: PAHO, 1977.
STEPAN, N. Eradication: ridding the world of diseases forever? Ithaca, New York: Cornell University Press, 2011.
STOKES, A.; BAUER, J.; HUDSON, P. Transmission of yellow fever to Macacus rhesus, preliminary note. The Journal of the American Medical Association, v. 90, n. 4, p. 253-254, jan. 1928a.
STOKES, A.; BAUER, J.; HUDSON, P. Experimental transmission of yellow fever to laboratory animals. The American Journal of Tropical Medicine, v. 8, n. 2, p. 103-164, jan. 1928b.
STRODE, G. Yellow fever. New York, Toronto, London: McGraw-Hill, 1951.
WILLIAMS, G. The plague killers. New York: Scribner, 1969.
WILLIAMS, S. Nationalism and public health: the convergence of the Rockefeller Foundation techniques and the Brazilian federal authority during the time of yellow fever. In: CUETO, M. (Org.). Missionaries of Science: The Rockefeller Foundation and Latin America. Bloomington, Indianapolis: Indiana University Press, 1994. p. 23-51.
Publicado
2021-08-24
Como Citar
da Silva Magalhães, R. (2021). A Campanha Mundial de Erradicação da Febre Amarela da Fundação Rockefeller. Revista História: Debates E Tendências, 21(3), 99 - 117. https://doi.org/10.5335/hdtv.21n.3.12720