Matrizes teórico-políticas do pensamento de Sonia Fleury e a economia política de saúde na década de 1980 no Brasil

Palavras-chave: História, Teoria Política, Medicina Social, Sistema Único de Saúde, Pesquisa Qualitativa

Resumo

A Reforma Sanitária Brasileira (RSB) está inserida no contexto da década de 1980 no Brasil como um movimento com forte base técnica e intelectual e uma força social pujante. Uma de suas intelectuais, Sonia Fleury, era uma ativista e pesquisadora brasileira cujo destacado trabalho na Assembleia Nacional Constituinte de 1988 para a elaboração do Sistema Único de Saúde (SUS) lhe deu notoriedade. Por isso, em memória de seu legado, realizamos uma análise das matrizes teórico-políticas que Fleury elabora para pensar a economia política da saúde nesse contexto. Para tanto, realizamos uma análise de conteúdo, de tipo temático-avaliativo, de duas obras desta autora do período pós-constitucional (1988-1992): “Reforma sanitária: em busca de uma teoría” (1989) e “Estado e política sociais na América Latina” (1992), baseado em Quivy e Campenhoudt. Optamos pela modalidade textual de ensaio crítico como forma de melhor elaborar o pensamento. Dois grandes blocos de análise puderam ser identificados nas obras. Uma relacionada ao Estado como centro do debate e da situação dos anos 1980, e outra que desvela as matrizes teórico-políticas e sua originalidade para aquele cenário histórico-político. Portanto, resgatar Sonia Fleury e sua contribuição teórica é muito importante para não perder a história política das categorias da economia política de luta pelo direito à saúde em sociedades capitalistas como a nossa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO, Theodore W. Notas de literatura. Rio de Janeiro: Editora 34, 2003.
ALTHUSSER, Loius. Por Marx. São Paulo: Editora Unicamp, 2005.
ARAÚJO, Angela Maria Carneiro; TAPIA, Jorge Ruben Bitón. Estado, classes e estratégias: notas sobre um debate. Crítica e Sociedade: revista de cultura política, Uberlândia, Brasil, v. 1, n. 1, p. 6-54, 2011.
AROUCA, Sérgio. O dilema preventivista: contribuições para a compreensão e crítica da medicina preventiva. São Paulo: Unesp: Rio de Janeiro: Fiocruz. 2003.
BRANDÃO, Gildo Marçal. Linhagens do pensamento político brasileiro. Dados. Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, Brasil, v. 48, n. 2, 231-269, 2005.
CAMPOS, Gastão Wagner de Souza. Saúde pública e saúde coletiva: campo e núcleo de saberes e práticas. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, Brasil, v. 5, n. 2, p. 219-250, 2000.
CARDOSO, Fernando Henrique. As Novas Teses Equivocadas. In: CARDOSO, Fernando Henrique. Autoritarismo e Democratização. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1975.
CARDOSO, Fernando Henrique. A construção da democracia: estudos sobre política. São Paulo: Siciliano. 1993.
DAGNINO, Evelina. ¿Sociedade civil, participação e cidadania: de que estamos falando? In: MATO D. Políticas de ciudadanía y sociedad civil en tiempos de globalización. Caracas: FACES, Universidad Central de Venezuela. 2004. p. 95-110.
DANTAS, André Vianna. Reforma Sanitária Brasileira: ainda em busca de uma teoria para um debate necessário. En Dantas, AV. Do socialismo à democracia: tática estratégia na reforma sanitária brasileira. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2018. p. 149-203
EVERS, Tilman. El estado en la periferia capitalista. Siglo XXI, México, 1985.
FLEURY, Sonia. Estado y politicas sociales en América Latina. 1. ed. UAM - X/ENSP, 1992.
HARTO-DE-VERA, Fernando. Ciencia política y teoría política contemporáneas: uma relación problemática. Madrid: Editorial Trotta. 2006.
JÚNIOR, João Feres; POGREBINSCHI, Thammy. A Teoria da política. In: JÚNIOR, João Feres;
POGREBINSCHI, Thammy. Teoria Política Contemporânea – Uma introdução. Rio de Janeiro: Elsevier. 2010. p. 1-10.
LACLAU, Ernesto. Tesis Acerca de la Forma Hegemônica de la Política. En Labastida, Hegemonia y Alternativas Políticas en América. 1985.
MARSHALL, Thomas Humphrey. Cidadania, Classe Social e Status. Rio de Janeiro: Zahar. 1967.
MASCARO, Alysson Leandro. Estado e forma política. São Paulo: Boitempo. 2013.
MESA-LAGO, Carmelo. Social Security in Latin America: Pressure Groups, Stratification and Inequality. Pittsburgh: University of Pittsburgh Press. 1978.
MOTTA, Luiz Eduardo. A Favor de Althusser: revolução e ruptura na Teoria Marxista. 1. ed. Rio de Janeiro: FAPERJ/Gramma. 2014.
O’DONNELL, Guillermo; SCHMITTER, Philippe. Transitions from authoritarian Rules: Tentative conclusions about uncertain democracies. Woodrow Wilson International Center for Scholars between 1979 and 1981. Latin American Program. 1986.
OFFE, Claus. Problemas estruturais do Estado capitalista. Tradução de Bárbara Freitag. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro. 1984.
OLIVEIRA, Jaime A. Reformas e Reformismo: “Democracia Progressiva” e Políticas sociais (ou “Para uma teoria política da Reforma Sanitária”). Cad. Saúde Publica, Rio de Janeiro, Breasil, v. 4, n. 3, p. 360-387, 1987.
OLIVEIRA, Jaime; TEIXEIRA, Sonia Fleury. (Im) previdência social: 60 anos de história da Previdência Social no Brasil. Petrópolis: Vozes/ABRASCO. 1986.
OSMO, Alan; SCHRAIBER, Lilia Blima. O campo da Saúde Coletiva no Brasil: definições e debates em sua constituição. Saúde e Socidade, São Paulo, Brasil, v. 24, supl. 1, p. 205-218, 2015.
PAIM, Jairnilson da Silva. Reforma sanitária brasileira: contribuição para a compreensão e crítica. Salvador: EDUFBA: Rio de Janeiro: Fiocruz. 2008.
PAIVA, Carlos Henrique Assunção; TEIXEIRA, Luiz Antonio. Reforma sanitária e a criação do Sistema Único de Saúde: notas sobre contextos e autores. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, Brasil, v. 21, n. 1, p. 15-35, 2014.
PLAZA, Orlando. La Nación como Realidade y como Hipótesis: Aproximaciones Metodológicas. En VEGA. Teoria y Politico de América Latina. CIDE, México. 1984.
POULANTZAS, Nicos. O Estado, o poder, o socialismo. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2a ed. 1985.
PRZEWORSKI, Adam. Capitalismo e Social-democracia. São Paulo: Cia das Letras. 1989.
QUIVY, Raymond; CAMPENHOUDT, Luc Van. Manual de Investigação em Ciências Sociais. Lisboa: Gradiva. 1998.
SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22a ed. revista e ampliada. São Paulo. Cortez Editora. 2002.
TEIXEIRA, Sonia Fleury. Reforma sanitária: em busca de uma teoria. s.l, Cortez, 1989.
TOURAINE, Alain. Les Societés Dependantes - Essais sur L’Amerique Latine, Paris, Dumlot. 1976.
_________. La crisis y las Transformaciones dei Sistema Político en América Latina. En: Calderon, F. Socialismo, Autoritarismo y Democracia. Buenos Aires, Flacso. 1989.
VILAR-RODRÍGUEZ, Margarita; PONS-PONS Jerònia. El debate en torno al seguro de salud público y privado en España: desde la transición política a la Ley General de Sanidad (1975-1986). Historia y Política, Madrid, Espanha, v. 39, p. 261-290. 2018.
XXXX, XXXX. XXXXXXXXXXXXXXXX. XXXXXX (USP. Impresso), v. 24, p. 66-81, 2015.
Publicado
2020-12-18
Como Citar
Carnut, L., & Nogueira Mendes, A. (2020). Matrizes teórico-políticas do pensamento de Sonia Fleury e a economia política de saúde na década de 1980 no Brasil. Revista História: Debates E Tendências, 21(1), 172 - 198. https://doi.org/10.5335/hdtv.21n.1.12156