Do nascimento da saúde pública à saúde coletiva: reativar a contra-história

Palavras-chave: Biopolítica., Saúde coletiva., Saúde pública

Resumo

Refaz-se uma história da historiografia sobre o nascimento da saúde pública, já conhecida no Brasil, para apontar reducionismos. Procura-se esclarecer a posição de Rosen pela explicitação do salto da sua abordagem em relação a de Sigerist. Apresenta-se a recepção genealógica que Foucault faz de Rosen para desvelar uma transformação do direito público. Mostra-se como, impulsionando a história da medicina de Rosen e a história da pena da Escola de Frankfurt, a genealogia de Foucault expõe o poder de morte da razão de Estado recoberto pela invenção da política da vida. Procura-se reativar a compreensão dessa genealogia, fator decisivo no nascimento brasileiro da saúde coletiva, e desfazer os recobrimentos que lhe apagam a instigação revolucionária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACKERKNECHT, E. H. Higiene in France, 1815-1948. Bulletin of the history of medicine, v. XXII, n. 2, p 117-156, 1949.

AYRES, J. R. de C. M. Georges Canguilhem e a construção do campo da Saúde Coletiva brasileira. Intelligere, Revista de História Intelectual, v. 2, n. 1 [2], p. 139-155, 2016.

BIRMAN, J. A interdisciplinaridade da saúde coletiva. Physis: Rev. Saúde Coletiva, v. 6, n. ½, p. 7-13, 1996.

BODSTEIN, R. C. de A. Ciências sociais e saúde coletiva: novas questões, novas abordagens. Cad. Saúde Pública, v. 8, n. 2, p. 140-149, abr.-jun., 1992.

CLIFF, A. D.; SMALLMAN-RAYNOR, M. R.; STEVENS, P. M. Controlling the geographical spread of infectious disease: plague in Italy, 1347–1851. Acta medico-historica Adriatica, v. 7, n.1, p. 197-236, 2009.

CLIFF, A.; SMALLMAN-RAYNOR, M. Oxford Textbook in Public Health. A Geographical Analysis from Medieval Quarantine to Global Eradication. Oxford: Oxford University Press, 2013.

DAREMBERG, C. La médecine. Histoire et doctrines. Paris: Didier e Baillière, 1865.

DAREMBERG, C. Histoire des sciences médicales. Paris: Bailllière, 1870. (Dois Tomos).

DELAUNAY, P. A biologia humana e a arte de curar. In: TATON, R. História geral das ciências: a ciência moderna: o renascimento. São Paulo: Difusão europeia do livro, 1960, v. 1, t. II, p. 143-57.

DONNANGELO, M. C. F. Medicina e estrutura social. O campo de emergência da medicina comunitária. Tese de livre-docência, Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP. 1976. In: DONNANGELO, M. C. F.; PEREIRA, L. Saúde e sociedade. 2 ed. São Paulo: Duas Cidades, 1979, p. 11-94.

ENGELS, F. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2008.
FEE, E. A shared social vision. In: ROSEN, G. A history of public health. Revised Expanded Edition. Baltimore: Johns Hopkins University, 2015, p. XIII-XL.

FOUCAULT, M. Nietzsche, a Genealogia e a História. In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979, p. 15-37.

FOUCAULT, M. El polvo y la nube. In: La imposible prisión: debate con Michel Foucault. Barcelona: Editorial Anagrama, 1982, p. 37-53.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1987.

FOUCAULT, M. História da sexualidade I: A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1993.

FOUCAULT, Michel. Nietzsche, Freud, Marx. In: MICHEL, Foucault. Dits et écrits (1954 – 1969), v. I, Paris: Gallimard, 1994a, p. 565-574.

FOUCAULT, M. La naissance de la médicine sociale. In: FOUCAULT, M. Dits et ecrits. Paris: Gallimard, 1994b, v. III, p. 207-28.

FOUCAULT, M. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins fontes, 2000.

FOUCAULT, M. Os anormais: curso no Collège de France (1974-1975). São Paulo: M. Fontes, 2002.

FRANK, J. P. A system of complete medical police. Baltimore: Johns Hopkins, 1976.

LENIN, V. I. El imperialismo, fase superior del capitalismo. Esbozo popular. In: LENIN, V. I. Obras escogidas em tres tomos. Moscou: Progreso, 1981, v. I, p. 677-787.

LÖWY, Michael. Walter Benjamin: aviso de incêndio. Uma leitura das teses ‘Sobre o conceito de História’. São Paulo, Boitempo, 2005.

MANTOVANI, R. O que foi a polícia médica? História, Ciências, Saúde, v. 25, n. 2, p. 409-427, abr.-jun., 2018.

MBEMBE, A. Necropolítica. Arte & Ensaios, n. 32, p. 123-151, dez., 2016.

MONTAGNER, M. A. Medicina social? Um esboço comparativo entre França e Brasil. Saúde Soc. São Paulo, v. 17, n. 2, p. 193-210, 2008.

NIETZSCHE, F. Assim falou Zaratustra. Um livro para todos e para ninguém. 6 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

NIETZSCHE. F. O caso Wagner. Um problema para músicos. Nietzsche contra Wagner. Dossiê de um psicólogo. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

NIETZSCHE, F. Genealogia da moral. Uma polêmica. São Paulo Companhia das Letras, 2009.

NUNES, E. D. Saúde coletiva: revisitando a sua história e os cursos de pós-graduação. Ciência & Saúde coletiva, v. 1, n. 1, p. 55-69, 1996.

NUNES, E. D. A construção teórica na sociologia da saúde: uma reflexão sobre a sua trajetória. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, n. 4, p. 1007-1018, 2014.

NUNES, E. D. La salud colectiva em Brasil: analizando el processo de institucionalización. Salud Colectiva, v. 2, n. 3, p. 347-360, 2016.

PAIM, J. S. Desafios para a saúde coletiva no século XXI. Salvador: Edufba, 2006.

PORTER, D. Health, civilization and the State. A history of public health from ancient to modern times. New York, Taylor & Francis, 2005.

RAMMINGER, T. Entre a normatividade e a normalidade: contribuições de G. Canguilhem e M. Foucault para as práticas de saúde. Mnemosine, v. 4, n. 2, p. 68-97.

ROSEN, G. Cameralism and the concept of medical police. Bulletin of the History of Medicine, v. 27, n. 1, p. 21-42, jan.-fev., 1953.

ROSEN, G. The fate of the concept of medical police 1780–1890. Centaurus, v. 5, n. 2, p. 97-113, 1957.

ROSEN, G. Uma história da saúde pública. São Paulo: Hucitec; Ed. UNESP; Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, 1994.

ROSEN, G. Da polícia médica à medicina social. Ensaios sobre a história da assistência médica. Rio de Janeiro: Graal, 1980.

ROSEN, G. A evolução da medicina social. In: NUNES, Everardo Duarte (org.). Medicina social: aspectos históricos e teóricos. São Paulo: Global, 1983, p. 25-82.

SIGERIST, H. E. Introduction. In: FRANK, Johann Peter. The people's misery: mother of diseases: an address, delivered in 1790. Bulletin of the History of Medicine, v. 9, n. 1, p. 81-87, jan, 1941.

SIGERIST, H. E. Civilization and Disease. Ithaca: Cornell University Press; London: Humphrey Milford; Oxford University Press, 1943.

SIGERIST, H. E. On the history of medicine. New York: Md, 1960.

SIGERIST, H. E. Johann Peter Frank: Un Pionero de la Medicina Social. Salud Colectiva, Buenos Aires, v. 2, n. 3, p. 269-279, set. - dez., 2006.

SOUZA, L. E. P. F. de. Saúde pública ou saúde coletiva? Espaço para a saúde, v. 15, n. 4, p. 7-21, out.-dez., 2014.

SPRENGEL, K. Histoire de la médecine depuis son origine jusqu’au dix-neuvième siécle. Paris: 1815-1820. (9 Volumes)

STOTZ, E. N. A educação popular nos movimentos sociais da saúde: uma análise de experiências nas décadas de 1970 e 1980. Trabalho, Educação e Saúde, v. 3, n. 1, p. 9-30, 2005.
SUGIZAKI, E., Da anátomo-política à biopolítica In: SOUZA, R. T.; OLIVEIRA, N. F. de. Fenomenologia Hoje III: Bioética, biotecnologia, bipolítica. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008a, p. 183-200.

SUGIZAKI, E. O direito soberano de matar. Foucault e a biopolítica In: FERREIRA, A. A. L. (org.). Pragmatismo e questões contemporâneas. Rio de Janeiro: Arquimedes, 2008b, p. 81-100.

SUGIZAKI, E. A Alemanha contemporânea como novo modelo de governabilidade: Foucault e a biopolítica. Goiânia, Fragmentos de Cultura, v. 21, p.475 - 487, 2011.

SUGIZAKI, E. Soberania do Estado em tempos de governo biopolítico das populações: uma análise das histórias de Foucault In: BEZERRA, H. D.; OLIVEIRA, S. M. (orgs.). Juventude no século XXI: dilemas e perspectivas. Goiânia: Cânone, 2013a, v. 11, p. 199-211.

SUGIZAKI, E. A contra-história: historicismo e sujeito de interesse como alternativa à soberania política em Foucault. Expedições: Teoria da História e Historiografia, v.4, p.11-38, 2013b.

TOURNAY, V. Le concept de police médicale. D’une aspiration militante à la production d’une objectivité administrative. Politix, v. 1, n. 77, p. 173–199, 2007.

WEBER, M. Ensaios de Sociologia. Rio de Janeiro: LTC, 1982.
Publicado
2020-12-10
Como Citar
Sugizaki, E. (2020). Do nascimento da saúde pública à saúde coletiva: reativar a contra-história. Revista História: Debates E Tendências, 21(1), 79 - 99. https://doi.org/10.5335/hdtv.21n.1.12119