A seção de plantas medicinais na Exposição Agrícola e Industrial de Goiás (1866)

  • Mário Roberto Ferraro Universidade Estadual de Goiás, Brasil
Palavras-chave: Plantas medicinais., Goiás., Século XIX.

Resumo

O objetivo deste artigo é fazer uma listagem as plantas medicinais plantadas ou consumidas em Goiás e exibidas na Exposição Agrícola e Industrial da província de Goiás realizada em 1866 e mostrar suas indicações terapêuticas. No evento, foram apresentadas 68 espécies diferentes de plantas provenientes de diversas regiões da província, mas nehuma delas era cultivada e comercializada em escala comercial, exceto da mamona (Rícino communis), mas não foram exibidos preparados farmacêuticos. Boticários, médicos e naturalistas não participaram da organização da exposição e nem da elaboração do catálogo. Assim, cabe perguntar: quais as fontes do saber médico que inspiraram a elaboração do catálogo? Várias matérias médicas foram consultadas e não foi possível identificar em qual delas os autores se inspiraram. Concluiu-se que, possivelmente, o uso dessas plantas era baseado em saberes tradicionais dos povos indígenas, dos padres e dos primeiros colonos europeus da região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMORIM, J. F. A. Pronto Alívio... Correio Official, 121. ed. p. 4, 1866. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2020.
BARRA, Valdeniza Maria Lopes da; FABIANO, Tatiana Sasse. Livros e Leituras em Goiás no Século XIX: o papel da imprensa representado pelo jornal “a tribuna livre’”. Goiânia: UFG, 2011. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2020.
BRASIL. O Império do Brasil na exposição Universal de 1867, em Paris. Rio de Janeiro: Typographia Universal de Laemmert, 1867.
CHERNOVIZ, Pedro Napolão. Diccionario de medicina popular. 2. ed. Rio de Janeiro: Eduardo e Henrique Laemmert, 1851. 3v.
COMISSÃO NACIONAL EXPOSITORA. Circular. Correio Official, 140. ed. p. 1, 1866b. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2019.
COMISSÃO NACIONAL EXPOSITORA. Instruções para a exposição de produtos agrícolas e industriais e de obras de arte nas províncias do Império, a que se refere a portaria desta data. Correio Official, 129. ed. p. 1–3, 1966a. Disponível em: .
FERNANDES, Tânia Maria. Plantas medicinais: memória da ciência no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2004. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2004.
FERRARO, Mário Roberto. A agricultura moderna no Planalto Central: a experiência da Colônia Blasiana (1881-1895), na atual Luziânia, Goiás, Brasil. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciênc. hum., v. 11, n.3, p. 769–789, 2016. Disponível em: . Acesso em: jun. 2018.
FERREZ, Gilberto. O Brasil do Primeiro Reinado visto pelo botânico William John Burchell. Rio de Janeiro: Fundação João Moreira Salles, 1981.
FOGGIA, Vicente Moretti; ALMEIDA, Thomaz Cardoso d’. Tratamento da Varíola. Correio Official, 135. ed. p. 2–3, 1866. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2020.
GOIÁS. Catálogo dos objectos que figurarão na exposição desta província. Correio Official, 175. ed. p. 3–4, 1867. Disponível em: . Acesso em: 22 fev. 2020.
GOIÁS. Catálogo dos objectos que figurarão na exposição desta província. Correio Official, 177. ed. p. 3–4, 1867. Disponível em: . Acesso em: 22 fev. 2020.
GOIÁS. Catálogo dos objectos que figurarão na exposição desta província . Correio Official, 176. ed. p. 3–4, 1867. Disponível em: . Acesso em: 22 fev. 2020.
GOIÁS. Comunicação - ao diretor geral dos presídios. Correio Official, 392. ed. p. 2, 1871. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2020.
GOIÁS. Ao inspector de thesouraria da fazenda. Correio Official, 175. ed. p. 1, 1867. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2020.
GUIMARÃES, Maria Regina Cotrim. Chernoviz e os manuais de medicina popular no Império. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 12, n. 2, p. 501–514, 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2000.
MAGALHÃES, Sonia Maria de. Alimentação, Saúde e Doenças em Goiás no Século XIX. 2004. Tese ( Doutorado História), Departamento de História da Faculdade de História, Direito e Serviço Social da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Franca,
MAGALHÃES, Sônia Maria de. Clínica médica no sertão do Brasil. Anais do XXIV Simpósio Nacional de História - 2007, n. 23, p. 1–8, 2007. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2020.
MORAES, J. J. C de. Annuncios. Correio Official, 68. ed. 1874, p. 4. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2020.
MOREIRA, Nicolau Joaquim. Diccionario de plantas medicinaes brasileiras contendo o nome da planta, seu genero, especie, familia e o botanico que a classificou... Rio de Janeiro: Typ. do Correio Mercantil, 1862. 145 p.
PATACA, Ermelinda Moutinho. Coleta, transporte e aclimatação de plantas no império luso-brasileiro (1777-1822). Museologia & interdisciplinaridade, v. 9, n. 5, p. 88–108, 2016. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2020.
RAMOS, José Ildefonso de Souza. Exposição Nacional: discurso de abertura pronunciada pelo Conselheiro Souza Ramos. O Auxiliador da Indústria Nacional, v. 1, n. 6, p. 28–32, 1867. Disponível em: .
REZENDE, Fernanda Soares. Médicos estrangeiros em Goiás no século XIX: Johann Emmanuel Pohl, George Gardner e Hugh Algernon Weddell. 2017. Dissertação (Mestrado em História) Programa de Pós graduação em História, UFG, Goiania, 2017.
SÁ, Luiz Gonzaga Confúcio de. Atenção. Correio Official, 203. ed. p. 4, 1867. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 1867.
SAINT-HILAIRE, August de. Plantas usuais dos brasileiros. Belo Horizonte: Código Comunicação, 2009.
SAINT-HILAIRE, August de. Viagem pelas províncias do Rio de Janeiro e Minas Gerais. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1938.
SALLES, Gilka Vasconcelos Ferreira de. Economia e escravidão na Capitania de Goiás. Goiânia: CEGRAF, UFG, 1992.
Exposição provincial. Correio Official, 147. ed. p. 3, 1866. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2019.
MAPPA das plantas do Brazil, suas virtudes, e lugares em que florescem. Estrahido de ofícios de vários Médicos e Cirurgioens. O Patriota, v. 4, p. 3–13, 1814. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2020.
Publicado
2020-12-10
Como Citar
Roberto Ferraro, M. (2020). A seção de plantas medicinais na Exposição Agrícola e Industrial de Goiás (1866). Revista História: Debates E Tendências, 21(1), 59 - 78. https://doi.org/10.5335/hdtv.21n.1.12118