Cultura, identidade(s) e memória na imigração polonesa no Rio Grande do Sul

Palavras-chave: Cultura, Imigrantes poloneses, Memória

Resumo

O patrimônio cultural da humanidade é constituído de bens materiais e imateriais que reportam à cultura, à identidade e à memória da sociedade. Estes documentos constituem registros variados, produzidos por uma pessoa, grupos diversificados ou instituição no decorrer de suas atividades. Dessa forma, os registros formam acervos documentais, ou seja, patrimônios documentais que são relevantes para a história e a memória das coletividades e por isso são preservados. O estudo apresenta alguns lugares de guarda e preservação de memórias de Imigrantes Poloneses no Estado do Rio Grande do Sul em espaços múltiplos como Arquivos Pessoais, Arquivos Públicos, Associações, Cartórios, Igrejas e Museus. Enquanto procedimento utiliza-se o bibliográfico-investigativo, acrescido de pesquisa de campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. IBGE. Anuário Estatístico do Brasil. Rio de Janerio: Imprensa Oficial, 1954.

CANDAU, Joel. Memória e Identidade. Tradução de Maria Letícia Ferreira. São Paulo: Contexto, 2012.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura. Tradução de Roneide Venancio Majer. Atualização: Jussara Simões. v. 1, 10. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

FONTES, Paulo F.O.; ROSA, Mª. de Lurdes. Arquivística e arquivos religiosos: Contributos para uma reflexão. Centro de Estudos de História Religiosa/Universidade Católica Portuguesa: Lisboa, 2000.

GARDOLINSKI, Edmundo. Imigração e colonização polonesa. In: BECKER, Klaus (org.). Enciclopédia riograndense. Porto Alegre: Regional, 1958.

GARDOLINSKI, Edmundo. In: Anuário Brasileiro de Imigração e Colonização. 1961.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Estatísticas do século XX. Centro de documentação e disseminação de informações. Rio de Janeiro: IBGE, 2003.

NORA, Pierre (1999). Memory and collective identity. Paper presented at the conference “The future of the past - Remembering and forgetting on the threshold of the new millennium”. Disponível em: http://www.h-quandtstiftung.de/root/index.php?lang=de&page_id=448. Last. Acesso em: 08 jun. 2020.

PREFEITURA MUNICIPAL DE ERECHIM. Arquivo Público Municipal Juarez Illa Font. Acervo Gardolinski. Erechim, 2020.

SMOLANA, Krzysztol; DEMBICZ, Andrej. A presença polonesa na América Latina. Roteiros Poloneses na América Latina. CESLA: Centro de Estudos Latino-Americanos. Varsóvia: Universidade de Varsóvia, 1996.

STAWINSKI, Alberto Victor. Primórdios da imigração polonesa no Rio Grande do Sul. Caxias do Sul. UCS. Porto Alegre: EST, 1976.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Núcleo de Pesquisa em História. Acervo Gardolinki. Porto Alegre: IFCH, 2019. Disponível em: https://www.ufrgs.br/nph/acervo/fundo-arquivo-edmundo-gardolinski/. Acesso em: 13 jun. 2020.
WACHOWICZ, Ruy Chistovam. O camponês polonês – raízes medievais na mentalidade emergente. 1974. Tese (Concurso à Docência Livre. Disciplina de História Medieval). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1974.

WEBER, Roswithia. Mosaico identitário: história, identidade e turismo nos municípios da Rota Romântica-RS. 2006. Tese (Doutorado em História). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2006.
Publicado
2020-09-22
Como Citar
Wenczenovicz, T. (2020). Cultura, identidade(s) e memória na imigração polonesa no Rio Grande do Sul. Revista História: Debates E Tendências, 20(3), 135-152. https://doi.org/10.5335/hdtv.20n.3.11655