A educação polonesa na Colônia Erechim: a escola como instrumento de organização e resistência

Palavras-chave: Colônia Erechim, Conflitos, Educação polonesa, Nacionalização

Resumo

Este artigo traz uma análise acerca da educação desenvolvida junto aos grupos de imigrantes poloneses que se estabeleceram na Colônia Erechim, criada em 1908, na zona norte do Rio Grande do Sul. Evidencia-se que a nacionalização do ensino no período do Estado Novo (1937-1945) facilita uma acentuação do preconceito linguístico em desfavor das culturas de origem estrangeira, característica excludente que perpassa a formação do projeto educativo brasileiro e, consequentemente, seu fazer pedagógico. Observa-se que a escola pública que vai sendo construída nesta área de imigração é tingida por estigmas, resistências e tensões diversas. Com a retrospectiva histórica deste processo, conclui-se que o planejamento educativo oficial requer a legitimação da escola necessária ao projeto hegemônico de desenvolvimento da sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

APPLE, Michael W. Educação e poder. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

BRASIL. Decreto-Lei nº 406, de 4 de Maio de 1938. Dispõe sobre a entrada de estrangeiros no território nacional. Câmara dos Deputados, Atividade Legislativa, Legislação, [2020]. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1930-1939/decreto-lei-406-4-maio-1938-348724-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 20 jul. 2020.

GARDOLINSKI, Edmundo. Imigração e colonização polonesa. In: BECKER, Klaus (Org.). Enciclopédia Rio-Grandense, v. 5. Canoas: Regional, 1958, p. 3-114.

GARDOLINSKI, Edmundo. Escolas da Colonização Polonesa no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Escola Superior de Teologia São Lourenço de Brindes; Caxias do Sul/RS: Universidade de Caxias do Sul - UCS, 1976.

GŁUCHOWSKI, Kazimierz. Os poloneses no Brasil: subsídios para o problema da emigração polonesa no Brasil. Porto Alegre: Rodycz & Ordakowski Editores, 2005.

ILLA FONT, Juarez Miguel. Serra do Erechim: tempos heróicos. Erechim/RS: Gráfica Carraro, 1983.

MALIKOSKI, Adriano. As escolas étnicas dos imigrantes poloneses no Rio Grande do Sul. Dissertação, Universidade de Caxias do Sul, 2014.

MALIKOSKI, Adriano; KREUTZ, Lúcio. Escolas entre imigrantes poloneses no Rio Grande do Sul e a Nacionalização do Ensino. Educação, Santa Maria/RS, v. 41, n. 1, p. 67-80, jan./abr. 2016.

MALIKOSKI, Adriano; LUCHESE, Terciane Ângela. O processo de organização de escolas étnicas polonesas no Rio Grande do Sul (1875-1939). Revista Brasileira de História da Educação, Maringá/PR, v. 17, n. 3 (46), p. 85-105, jul./set. 2017.

NEUMANN, Márcia Rosane. A nacionalização do ensino na colônia Neu-Württemberg, noroeste do Rio Grande do Sul, durante o Estado Novo (1937-1945). História Unicap, Recife, v. 2 , n. 4, jul./dez. 2015.

ROCHE, Jean. A Colonização Alemã e o Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Editora Globo, 1969.

SANTOS, Mirian de Oliveira; BAHIA, Joana; GOMES, Charles. Aspectos socioeducativos dos processos migratórios. In: BAHIA, Joana; SANTOS, Miriam (Org.). Um olhar sobre as diferenças: a interface entre projetos educativos e migratórios [recurso eletrônico]. São Leopoldo/RS: Oikos, 2016, p. 7-18.

SILVA, Fabiana Regina; TRINDADE, Rhuan Targino Zaleski. Estado Novo, campanha de nacionalização e a restrição nos processos de sociabilidade étnica entre os polono-brasileiros no sul do Brasil: união das sociedades Oświata. Revista Semina, v. 16, n. 2, p. 1677-1001, 2017.

ZEN, Erick Reis Godliauskas. Imigração e revolução: lituanos, poloneses e russos sob vigilância do DEOPS. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/EDUSP/FAPESP, 2010.
Publicado
2020-09-22
Como Citar
Rosa Gritti, I., & Gritti, S. (2020). A educação polonesa na Colônia Erechim: a escola como instrumento de organização e resistência. Revista História: Debates E Tendências, 20(3), 115-134. https://doi.org/10.5335/hdtv.20n.3.11654