Polonidade no Brasil: papel dos atores sociais e das instituições na manutenção e/ou extinção do patrimônio cultural

Palavras-chave: Atores sociais, Instituições culturais, Cultura polonesa, Polonidade no Brasil

Resumo

Depois de 150 anos dos grandes fluxos da imigração polonesa ao Brasil, é possível constatar as mais diferentes influências dessa etnia na cultura brasileira imbricadas em diferentes cidades e estados. O objetivo deste estudo é continuar com uma análise acerca da influência dos atores (ou agentes) sociais na manutenção e/ou extinção das diferentes instituições fundadas por poloneses e seus descendentes nas últimas décadas no Brasil. Pode-se concluir que existem diferentes motivações subjetivas que levam determinado ator social a agir a favor ou contra os elementos culturais de seu grupo étnico. Em um primeiro momento histórico, havia muita força da atuação em grupo por meio das instituições, significado que foi se alterando, especialmente após o período de nacionalização no Brasil. Na contemporaneidade, o que se espera é que o ator sinta-se parte de uma rede que representa a polonidade e, mesmo que ele não saiba todos os códigos culturais de sua etnia, nem queira agir de modo tão participativo, pode influenciar e colaborar para a manutenção do patrimônio cultural (material e imaterial) de várias maneiras, que incluem as redes sociais. Portanto, o nível de importância das instituições permanece, tanto para as finalidades de recreação e lazer quanto para as legítimas formas de expressão cultural da etnia polonesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

FREDER, Schirlei Mari; FREDER, Remy. Atores sociais e a polonidade: preocupações com a manutenção da cultura. Polonicus: Revista de reflexão Brasil-Polônia, Curitiba, Missão Católica Polonesa no Brasil, ano 8, n. 14, jan./jun. 2017. Disponível em . Acesso em: 27 jul. 2020.

FREDER, Schirlei Mari; TRINDADE, Rhuan Targino Zaleski. Organizações polono-brasileiras: origens, constituição jurídica e planos de sucessão. Polonicus: Revista de reflexão Brasil-Polônia, Curitiba, Missão Católica Polonesa no Brasil, ano 7, n. 13, jul./dez. 2016. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2020.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. 21. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

GŁUCHOWSKI, Kazimierz. Os poloneses no Brasil − Subsídios para o problema da colonização polonesa no Brasil. Porto Alegre: Rodycz & Ordakowski Editores, 2005.

REPÚBLICA DA POLÔNIA. Karta Polaka. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2020.

RODYCZ, Wilson Carlos. Os imigrantes poloneses da Colônia Lucena – Itaiópolis: se um marreco pisar no gelo ele quebra. Porto Alegre: Rodycz & Ordakowski Editores, 2011.

SAMPAIO, Débora Adriano Sampaio; LOUREIRO, José Mauro Matheus Loureiro;

LIMA, Izabel França de Lima. Memória, patrimônio e inclusão social: um olhar a partir da teoria ator-rede. Revista Thema, v. 14, n. 4, 2017.

VIECHNIESKI, Selma Antonia Pszdzimirski. Tensões na construção identitária polonesa: o caso da Colônia Amola-Faca/Virmond (PR). [recurso eletrônico]. 2. ed. Porto Alegre: Editora Fi, 2020. 219 p.

ZAPAHOWSKI, Geraldo. Entrevista via WhatsApp em agosto de 2020.
Publicado
2020-09-22
Como Citar
Freder, S. (2020). Polonidade no Brasil: papel dos atores sociais e das instituições na manutenção e/ou extinção do patrimônio cultural. Revista História: Debates E Tendências, 20(3), 48-61. https://doi.org/10.5335/hdtv.20n.3.11649