Espaços participativos em projetos cooperativos sustentáveis

o caso do projeto Reca (Amazônia brasileira)

  • Alfredo Alejandro Gugliano Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil https://orcid.org/0000-0002-8464-8159
  • Fabio Rychecki Hecktheuer Faculdade Católica de Rondônia, Brasil
  • Marcio Rogério Gabriel Faculdade Católica de Rondônia, Brasil
Palavras-chave: Economia e Meio Ambiente, Cidadania, Amazônia, Projeto Reca

Resumo

O desenvolvimento sustentável move uma parte dos países democráticos ocidentais. Nesse contexto, o governo brasileiro recentemente tem adotado medidas de desenvolvimento econômico para a Amazônia que contrapõem esse modelo ao elaborar discursos, ações, normas e políticas públicas que permitem cada vez mais a destruição de florestas e das populações tradicionais em detrimento a negócios econômicos que promovem a exploração predatória. Nesse contexto se insere a Associação dos Agrossilvicultores do projeto de Reflorestamento Econômico Consorciado e Adensado (Reca), que possui 30 anos de existência e, por meio de uma gestão comunitária democrática e participativa, produz bens e serviços sustentáveis para o mercado consumidor, o que compatibiliza o desenvolvimento econômico com a preservação ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alfredo Alejandro Gugliano, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil

Referências

BENTES-GAMA, M. M., SILVA, M. L., VILCAHUAMAN, L. J. M., & LOCATELLI, M. (2005). Análise econômica dos sistemas agroflorestais na Amazônia Ocidental, Machadinho do Oeste/RO. Árvore, 29(3), pp. 401-411, 2005. doi:10.1590/S0100-67622005000300007
CANTAGALO, M. (2016). Degradação e preservação: uma análise histórico-econômica das ocupações humanas na Amazônia (Tese de doutorado). Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP, Brasil.
COMISSÃO PASTORAL DA TERRA. (2019). Conflitos no campo: Brasil 2095. Goiânia: CPT Nacional.
DELGADO, G. (2005). A questão agrária no Brasil, 1950-2003. In L. Jaccoud (Org.). Questão social e políticas sociais no Brasil contemporâneo (pp. 51-90). Brasília: Ipea.
DIAS, M. I. S. (2018). Gestão participativa e compartilhada: um modelo para as cooperativas da agricultura familiar. Curitiba: CRV.
FEDOZZI, L. (2007). Observando o orçamento participativo de Porto Alegre. Porto Alegre: Tomo.
FORERO, F. M. (2017). Acre, Reca... eureca! O fim do esquivo desenvolvimento regional. Rio Branco: Edufac.
FRANKE, I. L., ALVES, I. T. G., SÁ, C. P., SANTOS, J. C., & VALENTIM, J. F. (2008). Análise socioeconômica dos agrossilvicultores do projeto de Reflorestamento Econômico Consorciado e Adensado (Reca), em Nova Califórnia, Rondônia. In Anais do Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural – SOBER. Brasília, DF, Brasil, 46. Recuperado de [https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/141727/1/20102.pdf]. Consultado [05-04-2020].
FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. (2009). Projeto Conexão Local (relatório final): Projeto Reca – Reflorestamento Econômico Consorciado Adensado. Recuperado de [http://gvpesquisa.fgv.br/sites/gvpesquisa.fgv.br/files/conexao-local/1_-_reca_2.pdf]. Consultado [01-03-2017].
GABRIEL, M. R. (2019). Democracia e associativismo civil – uma análise da governança na comunidade Reca em Rondônia (Tese de doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.
HABERMAS, J. (1977). Direito e democracia (Vol. 2). Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.
LOCKS JUNIOR, P., & GUGLIANO, A. A. (2013). Democracia e economia solidária: limitações e potencialidades. Revista Brasileira de Ciência Política, 5, pp. 41-62.
MARTINS, J. S. (1989). Impasses políticos dos movimentos sociais na Amazônia. Tempo Social, 1(1), pp. 131-148.
MELLO-THÉRY, N. A. (2019). Perspectivas ambientais 2019: retrocessos na política ambiental. Confins, 501, pp. 1-14. doi:10.4000/confins.21182
MOREIRA, T. (Ed.). (2003). Nosso jeito de caminhar – a história do Projeto Reca contada por seus associados, parceiros e amigos. Brasília.
PUTNAM, R. (1996). Comunidade e democracia: a experiência da Itália moderna. Rio de Janeiro: FGV.
REFLORESTAMENTO ECONÔMICO CONSORCIADO E ADENSADO. (2017). Nosso jeito de caminhar: relatório de desempenho do Projeto Concretizar 3. Recuperado de [http://www.projetoreca.com.br/site/projeto-concretizar/]. Consultado [08-05-2020].
SATO, S. A. S. (2013). Desenvolvimento Sustentável para a Base da Pirâmide (BOP) baseado em Recursos Naturais Renováveis Amazônicos (PFNMs): o caso Reca (Tese de doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.
SINGER, P. (2002). Introdução à economia solidária. São Paulo: Fundação Perseu Abramo.
Publicado
2020-09-21
Como Citar
Gugliano, A., Hecktheuer, F., & Gabriel, M. (2020). Espaços participativos em projetos cooperativos sustentáveis. Revista História: Debates E Tendências, 21(1), 256 - 273. https://doi.org/10.5335/hdtv.20n.3.11602