Pet-Saúde em extensão como instrumento de sustentabilidade do enlace ensino-serviçocomunidade”: um relato de experiência dos discentes extensionistas de odontologia

  • Thayse Mayra Chaves Ramos Universidade Federal de Juiz de Fora, Governador Valadares MG, Brasil
  • Alexandra Beatriz de Souza Coelho Secretaria de Saúde bucal, Governador Valadares MG, Brasil
  • Valeria de Oliveria Universidade Federal de Juiz de Fora, Governador Valadares MG, Brasil
  • Mabel Miluska Suca Salas Universidade Federal de Juiz de Fora, Governador Valadares MG, Brasil
Palavras-chave: Educação em Saúde Pública, Extensão, Odontologia, Formação profissional, Educação permanente

Resumo

Objetivo: o objetivo foi relatar a experiência das vivências de estudantes de Odontologia que participam deum projeto de extensão realizado na atenção básica. Metodologia: o projeto foi desenvolvido na Estratégiade Saúde da Família Santa Helena I na cidade de Governador Valadares-MG que atende em média 2.500habitantes, contendo como a participação de duas acadêmicas do curso de Odontologia e o apoio tutorial dedocentes da Universidade Federal de Juiz Fora campus Governador Valadares e da cirurgiã-dentista da ESF.As atividades foram realizadas visando atender as demandas dos usuários e do serviço que incluíram açõeseducativas e preventivas em sala de espera, visitas domiciliares, grupos operativos e programa de saúdecom escolares, nos quais foram explanados temas a respeito de diversas doenças crônicas. Resultados: pormeio das ações de promoção de saúde a visão discente sobre as condições de saúde e de vida da populaçãoda área de abrangência foi expandida, permitindo associar a teoria à prática e conhecer a importância docontexto no processo saúde doença. As atividades nas escolas visando à prevenção de doenças bucais permitiram o envolvimento direto com as atividades parte do programa de saúde escolar. Atividades em grupos operativos foram realizadas juntamente com os profissionais do Nasf, o que possibilitou a transmissão de conhecimentos. Conclusão: a participação no projeto de extensão do Pet-Saúde proporcionou as discentes uma experiência diferenciada no cenário de ensino-aprendizagem, tendo exemplos práticos da atuação na Atenção Primária de diversos profissionais da saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Moita FMGDSC, Andrade FCBd. Ensino-pesquisa-extensão:
um exercício de indissociabilidade na pós-graduação. Rev
Bras Educ. 2009;14(41):269-80.

2. Vieira LM, Sgavioli CDAPEP, Simionato EMRS, Inoue ESY,
Heubel MTCD, Conti MHSD, et al. Formação profissional
e integração com a rede básica de saúde. Trab educ saúde.
2016;14(1):293-304.

3. Brasil. Seleção para o Programa de Educação pelo Trabalho
para a saúde/rede de atenção à saúde/Pet-Saúde Redes de
atenção à saúde 2013 -2015. Diário Oficial da União. 2013.

4. Brasil. Institucionalização da Extensão nas Universidades
Públicas Brasileiras: estudo comparativo 1993/2004 2º Edição
ed: Ministério da Educação. Secretaria de Ensino Superior.;
2006. 90 p.

5. Morais FRR, Jales GML, Silva MJCd, Fernandes SF. A importância
do PET-Saúde para a formação acadêmica do enfermeiro.
Trab educ saúde. 2012;10(3):541-51.

6. Oakley P, Garfoth C. Guia de formação para a extensão.
Roma: Organização das Nações Unidas para a alimentação e
a agricultura; 1992. 67 p.

7. Brasil. Edital nº 13, de 28 de Setembro de 2015 Seleção
para o Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde
PET-SAÚDE/GRADUASUS - 2016/2017. 2015.

8. Brasil. Portaria Interministerial nº N 1.802, de 26 de agosto
de 2008. Institui o Programa de Educação pelo Trabalho
para a Saúde - PET - Saúde. Brasília: Diário Oficial da União
2008. p. 97.

9. Carneiro JA, Costa FMd, Lima CC, Otaviano MR, Fróes GJ.
Unimontes solidária: interação comunitária e prática médica
com a extensão. Revista Brasileira de Educação Médica.
2011;35(2):283-8.

10. Vasconcelos EM. Redefinindo as práticas de Saúde a partir
de experiências de Educação Popular nos serviços de saúde.
Interface (Botucatu). 2001; 5(8):121-6.

11. Gomes AM, Santos MS, Finger D, Zanitinni A, Franchesci VE,
Souza JB, et al. Refletindo sobre as práticas de educação em
saúde com crianças e adolescentes no espaço escolar: Um relato
de extensão. Revista Conexao UEPG. 2015;11(3):332-41.

12. Gomes CdM, Horta NdC. Promoção de Saúde do Adolescente
em âmbito escolar. Rev APS. 2010;13(4): 486-99.

13. Brasil E, Silva R, Silva M, Rodrigues D, Queiroz M. Adolescent
health promotion and the School Health Program: complexity
in the articulation of health and education. Rev Esc
Enferm USP. 2017;51(e03276):1-9.

14. Mecca TP, Antonio DAM, Macedo ECd. Desenvolvimento da
inteligência em pré-escolares: implicações para a aprendizagem.
Revista Psicopedagogia. 2012;29(88):66-73.

15. Ribeiro GY. O pré-escolar de dois a seis anos de idade e o seu
atendimento. Rev Saúde Pública. 1981; 15(suppl.):3-8.

16. Costa IS. Educação em saúde escolar: análise de uma experiência.
Revista Brasileira de Enfermagem. 1974; 27(1):98-
111.

17. Araújo MG, Cassiano AdN, Holanda CSM, Queiroz MPVSd,
Giovannin PE. Educação em saúde no ensino infantil: metodologias
ativas na abordagem da ação extensionista. Rev
enferm UFPE. 2013;7(1):306-13.

18. Oliveira ESG. Adolescência, internet e tempo: desafios para
a Educação. Educ rev. 2017(64):283-98.

19. Nascimento JS, Costa LdMC, Santos RM, Anjos DS. Visitas
domiciliares como estratégias de promoção da saúde pela enfermagem.
Rev Bras Prom Saúde 2013;26(4):513-22.

20. Castilho LS, Resende VLS, Pacheco AR, Nunes L, LAges FS.
A visita domiciliar na estratégia de saúde da família: os desafios
de se mover no território. Interface -Comunic, Saude,
Educ. 2013;17(2):61-73.

21. Leite RFB, Veloso TMG. Trabalho em equipe: representações
sociais de profissionais do PSF. Psicologia: Ciência e Profissão.
2008;28(2):374-89.

22. Soares SM, Ferraz AF. Grupos operativos de aprendizagem
nos serviços de saúde: sistematização de fundamentos e metodologias.
Esc Anna Nery R Enferm 2007;11(1):52-7.

23. Lopes AAF. Cuidado e Empoderamento: a construção do sujeito
responsável por sua saúde na experiência do diabetes.
Saúde Soc São Paulo. 2015;24(2):486-500.

24. Albuquerque PC, Stotz EN. A educação popular na atenção
básica à saúde no município: em busca da integralidade. Interface
- Comunicação, Saúde, Educação. 2004 8(15):259-74.

25. Teixeira ER, Veloso RC. O grupo em sala de espera: território
de práticas e representações em saúde. Texto & Contexto -
Enfermagem. 2006;15(2):320-5.

26. Rodrigues AD, Dallanora CRR, Germani J, Müller AR.
Sala de espera: um ambiente para efetivar a educação em
saúde. Vivências: Revista Eletrônica de Extensão da URI
2009;5(3):101-6.


27. Acioli S. A prática educativa como expressão do cuidado
em Saúde Pública. Revista Brasileira de Enfermagem.
2008;61(1):117-21.

28. Lima PAB, Rozendo CA. Desafios e possibilidades no exercício
da preceptoria do Pró-PET-Saúde. Interface - Comunicação,
Saúde, Educação. 2015;19(suppl. 1):779-91.
Publicado
2020-04-28
Como Citar
Chaves Ramos, T., de Souza Coelho, A., de Oliveria, V., & Miluska Suca Salas, M. (2020). Pet-Saúde em extensão como instrumento de sustentabilidade do enlace ensino-serviçocomunidade”: um relato de experiência dos discentes extensionistas de odontologia. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 24(3), 355-361. https://doi.org/10.5335/rfo.v24i3.9801
Seção
Artigos