Percepção dos profissionais atuantes nas UTI’s quanto à importância de condutas de saúde bucal

  • Helen Tayná Noca de Souza Centro Universitário Doutor Leão Sampaio (Unileão)
  • Diala Aretha de Sousa Feitosa Centro Universitário Doutor Leão Sampaio (Unileão)
  • Amanda de Macedo Alencar Centro Universitário Doutor Leão Sampaio (Unileão)
  • Kalyne Morais de Oliveira Centro Universitário Doutor Leão Sampaio (Unileão)
  • Italo Kennedy Silva Santos Centro Universitário Doutor Leão Sampaio (Unileão)
Palavras-chave: Odontologia, Unidade de Terapia Intensiva, Higienização bucal

Resumo

Introdução: a cavidade bucal é constituída de inúmeros microrganismos que favorecem o desenvolvimentode doenças quando o paciente se encontra imunossuprimido. Considerando esse fato, surge o interesse emavaliar as condições bucais de pacientes hospitalizados em Unidades de Terapia Intensiva. Objetivo: estetrabalho tem como objetivo avaliar a percepção dos profissionais atuantes nas UTIs dos principais hospitaisda região do Cariri do Ceará, quanto à importância das condutas de saúde bucal, o conhecimento dos profissionais sobre a associação da condição bucal e geral dos pacientes internos, analisar a existência de protocolos de higiene bucal para o paciente internado na UTI e justificar se há importância do cirurgião-dentista neste ambiente. Materiais e método: para obtenção de dados, foi realizada uma pesquisa do tipo transversal, na qual o instrumento para avaliação dos entrevistados foi um questionário constituído por 8 questões de múltipla escolha e 7 discursivas, abordando conteúdos relacionados aos objetivos da pesquisa. Resultados: de acordo com a análise de dados, foi observado que: a higienização bucal é realizada com antissépticos, sendo a clorexidina, a substância mais utilizada. A frequência da descontaminação era realizada nos intervalos de 6 e 12 horas. A higienização da língua era realizada por meio do tracionamento e limpeza com gaze, a mucosa não era higienizada. Não foi relatado o uso de saliva artificial e a realização de cursos de capacitações. Considerações finais: foi concluído neste estudo que muitos dos profissionais deixam a desejar na higienização bucal, visando apenas ao quadro de internação do paciente e, que, o dentista ainda não está incluído nas equipes de saúde que atuam diretamente nessas unidades, sendo uma das causas de deficiências nesses cuidados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Toledo G, Cruz ICF. The importance of the oral hygiene in
Intensive Care Unit as a way of prevention of nosocomial
infection - Sistematic Literature Review. Journal of Specialized
Nursing Care. 2009; 2(1): 01-04.

2. Amaral SM, Cortês AQ, Pires FR. Pneumonia Nosocomial:
importância do microambiente oral. J. Bras. Pneumol. 2009;
35: 1116-24.

3. Lages VA, Neto JMM, Mello PMVC, Mendez RF, Junior RRP.
O efeito do tempo de internação hospitalar sobre a saúde bucal.
Rev. Bras. Pesqui. Saúde. 2014; 16:30-8.

4. Amaral COF, Marques AJ, Bovolato MC, Parizi AGS, Oliveira
A, StraiotoFG. Importância do cirurgião-dentista em
Unidade de Terapia Intensiva: avaliação multidisciplinar.
Revista da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas.
2013; 67:107-11.

5. Sousa LVS, Pereira AFV, Silva NBS. A atuação do cirurgião-
-dentista no atendimento hospitalar. Revista de Ciências da
Saúde. 2014; 16(1): 39-45.

6. Padovani MCRL. Protocolo de cuidados bucais na unidade de
tratamento intensivo (uti) neonatal. Rev Bras Pesq Saúde.
2012; 14(1): 71-80.

7. Lucas BB, Vieira Júnior JLR, Besegato JF, Caldarelli PG.
Ensino da Odontologia Hospitalar no Sul do Brasil. Revista
da ABENO. 2017; 17(2 ): 68-75.

8. Passeti LA, Carneiro Leão MT, Araki LT, Albuquerque AM,
Ramos TMB, Santos SF, et al. Odontologia hospitalar a importância
do cirurgião-dentista na unidade de terapia intensiva.
Rev Odontol (ATO) 2013; 13(4): 211-26

9. Mattevi GS, Figueiredo DR, Patrício ZM, Rath IB. A participação
do cirurgião-den- tista em equipe de saúde multidisciplinar
na atenção à saúde da criança no contex- to hospitalar.
Rev Ciên Saú Col 2011; 16(10): 4229-36.

10. Araújo RJG, Oliveira LCG, Hanna LMO, Corrêa AM, Carvalho
HV, Alvares NCF. Análise de percepções e ações de
cuidados bucais realizados por equipes de enfermagem em
unidades de tratamento intensivo. Rev Bras Ter Intensiva
2009; 21(1): 38-44

11. Belissimo-Rodrigues WT, Menegueti MG, Gaspar GG, Nicolini
EA, Auxiliadora-Matins M, Basile-Filho A. Effectiveness
of a dental care intervention in the prevention of lower respiratory
tract nosocomial infections among intensive care
patients: a randomized clinical trial. Infect Control Hosp
Epidemiol. 2014; 35:1342-8

12. Godoi APT, Francesco AR, Duarte A, Kemp APT, Silvia-Lovato
CH. Odontologia hospitalar no Brasil. Uma visão geral.
Rev Odontol UNESP. 2009; 38: 105-109.

13. Miranda AF, Montenegro FL. O cirurgião-dentista como parte
integrante de uma equipe multidisciplinar no atendimento
aos idosos. Rev Paul Odontol 2009; 31(3):15-19.

14. Fourrier F, Cau-Pottier E, Boutigny H, Roussel-Delvallez
M, Jourdain M, Chopin C. Effects of dental plaque antiseptic
decontamination on bacterial colonization and nosocomial
infections in critically ill patients. Intensive Care Med
2000;26(9):1239-47.

15. Viana RAPP, Whitaker IY. Enfermagem em terapia intensiva:
prática e vivências. Artmed; 2011. p.342-51.

16. Aranega AM, Bassi APF, Ponzoni D, Wayama MT, Esteves
JC, Junior IRG. Qual a importância da odontologia hospitalar.
Rev, Bras, Odontol, 2012; 69: 90-3.

17. Batista SA, Siqueira JSS, Alterações orais em pacientes internados
em unidades de terapia intensiva. Ver, Bras, Odontol,
2014; 71(2):156-9.

18. Matsuo K, Watanabe R, Kanamori D, Nakagawa K, Fujii W,
Urasaki Y, et al. Associations between oral complications
and days to death in palliative care patients. Support Care
Cancer, 2016; 24(1):157-61.

19. Feres M, Figueiredo LC. Da infecção focal à medicina periodontal.
Rev Periodontia 2007; 17(2):14-20.

20. Almeida PN, Cangussu PM, Araújo TD, Soares WD. Endocardite
bacteriana de origem bucal: revisão de literatura.
Revista Brasileira de Pesquisa em Ciências da Saúde. 2014;
1(1):08-11.
Publicado
2020-04-28
Como Citar
Noca de Souza, H., Feitosa, D. A. de S., Alencar, A. de M., Oliveira, K. M. de, & Santos, I. K. S. (2020). Percepção dos profissionais atuantes nas UTI’s quanto à importância de condutas de saúde bucal. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 24(3), 328 - 333. https://doi.org/10.5335/rfo.v24i3.9452
Seção
Artigos