Conhecimento dos agentes comunitários de saúde sobre as disfunções temporomandibulares no município de Sobral, Ceará

  • Millane Teles Portela de Oliveira
  • Luiz Genésio Freitas Neto
  • Raul Anderson Domingues Alves da Silva Universidade Federal do Ceará
  • Ana Karine Macedo Teixeira
  • Mariana Ramalho de Farias
  • Hellíada Vasconcelos Chaves
Palavras-chave: Agentes Comunitários de Saúde, Conhecimento, Dor orofacial

Resumo

Objetivo: verificar o conhecimento dos agentes comunitários de saúde (ACS) sobre as disfunções temporomandibulares (DTMs) no município de Sobral, Ceará. Materiais e Método: trata-se de uma pesquisa observacional transversal, quantitativa, realizada entre janeiro e março de 2014. Foram avaliados 158 ACS que responderam um questionário composto por 10 questões sociodemográficas e 16 perguntas relacionadas ao conhecimento sobre DTMs.  A análise estatística foi realizada no Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), versão 17.0, por meio dos testes Qui-Quadrado e Exato de Fisher, com significância de 5%. Resultados: observou-se que 73,4% dos ACS desconhecem as DTMs e 83,5% nunca receberam ensinamento sobre o tema. Dos ACS que tinham recebido ensinamento, 100% identificaram alguma possível causa de DTMs; dos que tinham ensino médio completo, 33,6% identificaram pelo menos um sintoma de DTMs. Conclusão: os ACS com maior grau de instrução e que receberam capacitação prévia são os que mais conhecem e, consequentemente, melhor identificam causas e consequências das DTMs, orientando o paciente adequadamente. Evidencia-se, portanto, o desconhecimento desses agentes sobre as DTMs, justificando-se a necessidade de realizar capacitações com esses indivíduos, para que tenham um maior conhecimento sobre o assunto e possam orientar corretamente a população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Hargreaves KM. Review orofacial pain. Pain 2011; 152:25-32.

Conti PCR, Pinto-Fiamengui LMS, Cunha CO, Conti ACCF. Orofacial pain and temporomandibular disorders – the impact on oral health and quality of life. Braz Oral Res 2012; 26:120-3.

Greene CS, Klasser GD, Epstein JB. Revision of the American Association of Dental Research’s Science Information Statement about Temporomandibular Disorders. J Can Dent Assoc 2010; 76:115.

Bove SRK, Guimarães AS, Smith RL. Caracterização dos pacientes de um ambulatório de disfunção temporomandibular e dor orofacial. Rev Latino-am Enfermagem 2005; 13(5):686-91.

Gonçalves DA, Dal Fabbro AL, Campos JA, Bigal ME, Speciali JG. Symptoms of temporomandibular disorders in the population: an epidemiological study. J Orofac Pain 2010; 24(3):270-8.

De Leeuw R. Dor orofacial: guia de avaliação, diagnóstico e tratamento. 4. ed. São Paulo: Quintessence; 2010.

Conselho Federal de Odontologia. Quantidade Geral de Cirurgiões-Dentistas Especialistas. [Acesso em 19 dez. 2018]. Disponível em URL: http://cfo.org.br/website/estatisticas/quantidade-geral-de-cirurgioes-dentistas-especialistas/.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE; 2010.

Nascimento EPL, Correa CRS. O agente comunitário de saúde: formação, inserção e práticas. Cad Saúde Pública 2008; 24(6):1304-13.

Pires RON, Lopes Neto F, Lopes JB, Bueno SMV. O conhecimento dos agentes comunitários sobre saúde bucal: uma perspectiva sobre deficiências em educação e saúde no PSF. Cienc Cuid Saúde 2007; 6(3):325-34.

Coelho IJS, Machado MMT. Conhecimentos e atitudes dos agentes comunitários de saúde na promoção do aleitamento materno. Rev Pediatr 2004; 4(2):19-25.

Moura MS, Carvalho CJ, Amorim JTC, Marques MFS, Moura LFAD, Mendes RF. Perfil e práticas de saúde bucal do agente comunitário de saúde em municípios piauienses e pequeno porte. Cienc Saúde Coletiva 2010; 15(1):1487-95.

Muller PA, Sehnem L, Assunção AN. A qualificação dos agentes comunitários de saúde: uma abordagem a três municípios do Vale do Rio Pardo. Revista Jovens Pesquisadores 2013; 3(1):169-78.

Scorel S, Giovanella L, Mendonça MHM, Senna MCMS. O Programa de Saúde da Família e a construção de um novo modelo para a Atenção Básica no Brasil. Rev Panan Salud Publica 2007; 21(2):164-76.

Peres CRFB, Caldas Junior AL, Silva RF, Marin MJS. Ser agente comunitário de saúde: motivação e significado. Rev Min Enferm 2010; 14(4):559-65.

Bachilli RG, Scavassa AJ, Spiri SC. A identidade do Agente comunitário de saúde: uma abordagem fenomenológica. Cienc Saúde Coletiva 2008; 13(1):51-60.

Haikal DS, Pereira CB, Silva EC, Martins AMEBL, Ferreira EF, Santa-Rosa TTA. A influência do trabalho no cotidiano de agentes comunitários de saúde: uma abordagem qualitativa. Unimontes Científica 2011; 13(1):2.

Santos AM. Organização das ações em saúde bucal na estratégia de saúde da família: ações individuais e coletivas baseadas em dispositivos relacionais e instituintes. Revista APS 2006; 9(2):190-200.

Frazão P, Marques DSC. Influência de agentes comunitários de saúde na percepção de mulheres e mães sobre o conhecimento de saúde bucal. Cienc Saúde Coletiva 2006; 11(1):131-44.

Nóbrega WFS, Silva GCB, Oliveira AMG, Barbosa DV, Soares RSC, Cavalcanti AL. O agente comunitário de saúde como mutiplicador de conhecimentos em saúde bucal: uma revisão sistematizada da literatura. Arch Health Invest 2017; 6(10):468-72.

Manfredini D, Lobbezoo F. Relationship between bruxism and temporomandibular disorders: a systematic review of literature from 1998 to 2008. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod 2010; 109:26-50.

Fragoso YD, Alves HHC, Garcia SO, Finkelsztejn A. Prevalence of parafunctional habits and temporomandibular dysfunction symptoms in patients attending a tertiary headache clinic. Arq Neuro Psiquiatr 2010; 68(3).

Coronatto EAS, Zuccoloto MCC, Bataglion C, Bitondi MBM. Associação entre disfunção temporomandibular e ansiedade: estudo epidemiológico em pacientes edêntulos. J Dent 2009; 8(1):6-10.

Toledo BAS, Capote TSO, Campos JADB. Associação entre disfunção temporomandibular e depressão. Cienc Odontol Bras 2008; 11(4):75-9.

Sartoretto SC, Bello YD, Bona AD. Evidências científicas para o diagnóstico e tratamento da DTM e a relação com a oclusão e a ortodontia. RFO 2012; 17(3):352-9.

Silveira AM, Feltrin PP, Zanetti RV, Mautoni MC. Prevalência de portadores de DTM em pacientes avaliados no setor de Otorrinolaringologia. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia 2007; 73(4).

Koyashiki GAK, Alves-Souza RA, Garanhani ML. O trabalho em saúde bucal do Agente Comunitário de Saúde em Unidades de Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva 2008; 13(4):1343-54.

Publicado
2019-08-02
Como Citar
Oliveira, M., Freitas Neto, L., da Silva, R. A., Teixeira, A., Farias, M., & Chaves, H. (2019). Conhecimento dos agentes comunitários de saúde sobre as disfunções temporomandibulares no município de Sobral, Ceará. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 24(1), 104-113. https://doi.org/10.5335/rfo.v24i1.9019
Seção
Artigos