Notificação compulsória: HIV/aids e o papel do cirurgião-dentista

  • Ana Iza Saraiva Rodrigues
  • Samuel Trezena Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)
  • Mania de Quadros Coelho Pinto
  • Edwaldo de Souza Barbosa Júnior
Palavras-chave: Notificação compulsória, HIV, Síndrome da imunodeficiência adquirida

Resumo

Introdução: a partir dos anos 1980, a epidemia de HIV/aids tornou-se um dos maiores problemas de saúdepública mundial e, mesmo que a qualidade de vida dos indivíduos que vivem com esta condição tenha melhorado nos anos 1990, pelo uso da terapia antirretroviral, ainda ocorre uma alta taxa de infecção pelo vírus. Objetivo: informar sobre a notificação compulsória de indivíduos que vivem com HIV/aids, assim como a relevância de alertar os profissionais de saúde quanto à sua importância em tal função. Materiais e método: a busca de artigos foi realizada em três plataformas internacionais e nacionais de dados (PubMed, SciELO e Lilacs), usando descritores do DeSC e MeSH. Devido à quase ausência de artigos pertinentes ao assunto, também foram consultados sites, boletins epidemiológicos, cadernos e guias publicados pelo Ministério da Saúde, assim como leis e portarias de acesso on-line e o Código de Ética Odontológico. Resultados: seguindo critérios de exclusão, dez trabalhos foram selecionados para centralização e discussão do assunto abordado. É obrigatório que profissionais de saúde, no território nacional, comuniquem às autoridades sobre novas ocorrências de infecção pelo HIV/aids. É escassa a literatura atual sobre o assunto, principalmente envolvendo cirurgiões-dentistas. Conclusão: a notificação compulsória realizada por outros profissionais é diferente da preconizada, visto que casos são subnotificados e, muitas vezes, outros profissionais de saúde não se encontram preparados para tal execução ou até mesmo desconhecem a função que devem realizar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samuel Trezena, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)
Acadêmico do curso de Odontologia pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Minas Gerais, Brasil.

Referências

Duque S, Reis AC, Lencastre LQ, Guerra MP. Satisfação com a vida em pessoas soropositivas ao vírus da Sida. Aná Psicológica 2017; 35(3):297-308.

Meirelles MQB, Lopes AKB, Lima KC. Vigilância epidemiológica de HIV/AIDS em gestantes: uma avaliação acerca da qualidade da informação disponível. Rev Panam Salud Publica 2016; 40(6):427-34.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico – HIV/AIDS. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2016. 64 p.

Oliveira FBM, Queiroz AAFLN, Sousa AFL, Moura MEB, Reis RK. Sexual orientation and quality of life of people livingwith HIV/AIDS. Rev Bras Enferm 2017; 70(5):1004-10.

Penna GO, Domingues CMAS, Siqueira JB Jr, Elkhoury ANSM, Cechinel MP, Grossi MAF, et al. Doenças dermatológicas de notificação compulsória no Brasil. An Bras Dermatol 2011; 86(5):865-77.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 204, de 17 de fevereiro de 2016. Define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território nacional, nos termos do anexo, e dá outras providências. [Acesso em 3 nov. 2017]. Disponível em URL: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2016/prt0204_17_02_2016.html.

Gomes RRFM, Ceccato MGB, Kerr LRFS, Guimarães MDC. Fatores associados ao baixo conhecimento sobre HIV/AIDS entre homens que fazem sexo com homens no Brasil. Cad Saúde Pública 2017; 33(10):1-15.

Cunha AP, Cruz MM, Torres RMC. Tendência da mortalidade por AIDS segundo características sociodemográficas no Rio Grande do Sul e em Porto Alegre: 2000-2011. Epidemiol Serv Saúde 2016; 25(3):477-86.

Mesenburg MA, Wehrmeister FC, Silveira MF. Teste de HIV solicitado e espontâneo: um estudo de base populacional com mulheres de uma cidade do Sul do Brasil. Cad Saúde Pública 2017; 33(10):1-15.

Pereira AGL, Matos HJ, Escosteguy CC, Marques MVRE, Medronho RA. Sobrevida de pacientes com Síndrome da Imunodeficiência Adquirida em hospital geral no Rio de Janeiro, a partir de dados da vigilância epidemiológica. Cad Saúde Colet 2013; 21(2):160-7.

Pellini ACG. Evolução da epidemia de AIDS no município de São Paulo – 1980 a 2012: uma análise espacial com múltiplas abordagens. São Paulo: USP; 2016.

Rique J, Silva MDP. Estudo da subnotificação dos casos de AIDS em Alagoas (Brasil), 1995-2005. Ciên & Saúd Coletiva 2011; 16(2):599-603.

Carvalho CN, Dourado I, Bierrenbach AL. Subnotificação da comorbidade tuberculose e AIDS: uma aplicação do método de linkage. Rev Saúd Públic 2011; 45(3):548-55.

Silva GA, Oliveira CMG. O registro das doenças de notificação compulsória: a participação dos profissionais da saúde e da comunidade. Rev de Epidemiologia e Controle de Infecção 2014; 4(3):215-20.

Almeida AHV, Silva MLCA, Musse JO, Marques JAM. A responsabilidade dos profissionais de saúde na notificação dos casos de violência contra crianças e adolescentes de acordo com seus códigos de ética. Arq Odontol 2012; 48(2):109-15.

Lima MCBF, Torres SR. Prevalence of oral manifestations in HIV-infected children: a literature review. Rev Bras Odontol 2017; 74(3):240-3.

Brasil. Ministério da Saúde. Vigilância, prevenção e controle das IST, do HIV/AIDS e das hepatites virais. [Acesso em 5 nov. 2017]. Disponível em URL: http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/o-que-e-hiv.

Pires MBO, Martelli Jr. H, Filho MRM, Cordeiro RS, Maia RC. Dificuldades percebidas por pacientes vivendo com HIV/AIDS em obter tratamento odontológico. Arq em Odontol 2008; 44(3):25-30.

Organização das Nações Unidas. UNAIDS Brasil. Relatórios Estatísticos. [Acesso em 5 nov. 2017]. Disponível em URL: http://unaids.org.br/estatisticas/.

Magalhães VCS, Oliveira DL, Prado FO. Knowledge, risk perception and attitudes of dentistry students with regard to HIV/AIDS. Rev Gaúch Odontol 2015; 63(3):291-300.

Brasil. Lei nº 6.259, de 30 de outubro de 1975.

Dispõe sobre a organização das ações de Vigilância Epidemiológica, sobre o Programa Nacional de Imunizações, estabelece normas relativas à notificação compulsória de doenças, e dá outras providências. [Acesso em 11 nov. 2017]. Disponível em URL: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6259.htm

Brasil. Decreto nº 78.231, de 12 de agosto de 1976. Regulamenta a Lei nº 6.259, de 30 de outubro de 1975, que dispõe sobre a organização das ações de Vigilância Epidemiológica, sobre o Programa Nacional de Imunizações, estabelece normas relativas à notificação compulsória de doenças, e dá outras providências. [Acesso em 11 nov. 2017]. Disponível em URL: http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/decreto/1970-1979/D78231.htm.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 542, de 22 de dezembro de 1986. Inclui na relação de doenças de notificação compulsória no território nacional a sífilis congênita e a AIDS. [Acesso em 11 nov. 2017]. Disponível em URL: http://pesquisa.bvsalud.org/ses/resource/pt/crt-3619.

Brasil. Ministério da Saúde. Guia de vigilância em saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2016. [Acesso em 11 nov. 2017]. Disponível em URL: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_vigilancia_saude_1ed_atual.pdf.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Comitê de Estatísticas Sociais. Sistemas de Informação de Agravos de Notificação – SINAN. 2017. [Acesso em: 11 nov. 2017]. Disponível em URL: http://ces.ibge.gov.br/base-de-dados/metadados/ministerio-da-saude/sistema-de-informacoes-de-agravos-de-notificacao-sinan.html.

Brasil. Ministério da Saúde. Guia de vigilância em saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2016. [Acesso em 24 nov. 2017]. Disponível em URL: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt0104_25_01_2011.html.

Corrêa EMC, Andrade ED. Tratamento odontológico em pacientes HIV/AIDS. Rev Odonto Ciên 2005; 20(49):281-9.

Rossi-Barbosa LAR, Ferreira RC, Sampaio CA, Guimarães PN. “Ele é igual aos outros pacientes” percepções dos acadêmicos de Odontologia na clínica de HIV/AIDS. Interface Comunic Saúde Educação 2014; 18(50):585-96.

Conselho Federal de Odontologia. Código de Ética Odontológico. 2012. [Acesso em 29 nov. 2017]. Disponível em URL: http://cfo.org.br/wp-content/uploads/2009/09/codigo_etica.pdf.

Publicado
2019-03-28
Como Citar
Rodrigues, A. I., Trezena, S., Coelho Pinto, M., & Barbosa Júnior, E. (2019). Notificação compulsória: HIV/aids e o papel do cirurgião-dentista. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 24(1), 44-51. https://doi.org/10.5335/rfo.v24i1.8865
Seção
Artigos