Defeito ósseo de Stafne e a importância da tomografia no diagnóstico: um relato de caso

um relato de caso

  • Nathália Carvalho Silva Faculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME, Lauro de Freitas, Bahia.
  • Cássia Luana Silva Queiroz Faculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME
  • Ricardo Pitanga das Virgens Faculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME
  • Jener Gonçalves de Farias Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Juliana Andrade Cardoso Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS
  • Cinthia Coelho Simões aculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME
Palavras-chave: Cistos ósseos, Mandíbula, Diagnóstico, Tomografia

Resumo

Objetivo: relatar o caso de um paciente idoso portador de defeito ósseo de Stafne. Relato de caso: paciente dosexo masculino, 74 anos de idade, foi atendido na Clínica de Odontologia da União Metropolitana de Educaçãoe Cultura, e, após realização de radiografia panorâmica, foi evidenciada uma imagem sugestiva do defeito,sendo o paciente orientado a realizar a tomografia computadorizada fan beam para a confirmação diagnóstica.Considerações finais: o defeito ósseo de Stafne é definido como uma depressão lingual na mandíbula,de forma arredondada ou ovoide, que varia de 1 a 3 cm em diâmetro, com margens ósseas muito densas e bem definidas. Apresenta-se, radiograficamente, como uma imagem radiolúcida, circunscrita e unilocular na região posterior da mandíbula, abaixo do canal mandibular. É geralmente detectado em exames radiográficos de rotina, como a radiografia panorâmica, e a confirmação do diagnóstico geralmente é obtida pela realização da tomografia computadorizada fan beam ou de cone beam, por conta da obtenção de imagens que possibilitam a avaliação tridimensional, descartando, assim, outros tipos de lesões. Por se tratar de uma variação anatômica, a conduta é proservar o caso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathália Carvalho Silva, Faculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME, Lauro de Freitas, Bahia.
Cirurgiã-Dentista pela Faculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME, Lauro de Freitas, Bahia.  
Cássia Luana Silva Queiroz, Faculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME
Graduanda em Odontologia pela Faculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME, Lauro de Freitas, Bahia.  
Ricardo Pitanga das Virgens, Faculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME
Graduando em Odontologia pela Faculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME, Lauro de Freitas, Bahia.  
Jener Gonçalves de Farias, Universidade Estadual de Feira de Santana
Mestre em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Universidade de Pernambuco - Faculdade de Odontologia de Pernambuco FOP-UPE. Doutor em Estomatologia Universidade Federal da Paraíba UFRN. Professor Titular da Universidade Estadual de Feira de Santana. Professor do Curso de Odontologia da Faculdade UNIME de Ciências Agrárias e da Saúde.
Juliana Andrade Cardoso, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS
Mestranda em Estomatologia Clínica na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS Especialista em Estomatologia pela União Metropolitana de Educação e Cultura - UNIME
Cinthia Coelho Simões, aculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME
Doutora em Processos Interativos dos Órgãos e Sistemas pelo Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Bahia - ICS-UFBA, Salvador, Bahia. Professora do Curso de Odontologia da Faculdade UNIME de Ciências Agrarias e da Saúde - FAS/UNIME, Lauro de Freitas, Bahia.  
Publicado
2018-12-18
Como Citar
Silva, N., Queiroz, C. L., das Virgens, R., de Farias, J., Cardoso, J., & Simões, C. (2018). Defeito ósseo de Stafne e a importância da tomografia no diagnóstico: um relato de caso. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 23(3), 339-342. https://doi.org/10.5335/rfo.v23i3.8721
Seção
Artigos