Características morfológicas encontradas na cavidade oral de neonatos: revisão de literatura

  • Dayane Franco Barros Mangueira Leite Doutora em Estomatologia pela Universidade Federal da Paraíba. Professora Adjunto III do Departamento de Odontologia Restauradora da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil
  • Carla Alves Vieira Acadêmica do Curso de Odontologia da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil

Resumo

Objetivo: revisar a literatura sobre as características morfológicas da cavidade oral de recém-nascidos. Revisão de literatura: as profissões da área de saúde estão cada vez mais voltadas para um acompanhamento precoce do indivíduo, iniciando-se antes mesmo do nascimento ou nos primeiros dias de vida da criança. Sendo assim, recém-nascidos apresentam na cavidade oral características peculiares da sua fase de desenvolvimento que podem trazer dúvidas para os pais e/ou responsáveis. As principais variações da cavidade oral de recém-nascidos envolvem tecidos duros e tecidos moles. Considerando o posicionamento dos maxilares, as alterações mais comuns são: mordida aberta anterior, sobre mordida e mordida topo a topo. Em relação aos tecidos moles, o contorno dos lábios dos recém-nascidos se apresenta triangular e, com a amamentação constante, forma-se um aumento de volume na linha média do lábio superior. Considerações finais: além de ser necessário que os profissionais da área tenham conhecimento das características morfológicas da cavidade oral dos recém-nascidos, também é imprescindível que estes saibam diagnosticar possíveis anormalidades e, quando houver necessidade, indicar tratamento adequado. Palavras-chave: Manifestações bucais. Odontopediatria. Recém-nascido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Guimarães AO, Costa ICC, Oliveira ALS. As origens, objetivos e razões de ser da odontologia para bebês. J Bras Odontopediatr Odontol Bebê 2003; 6(29):83-6.

Villena RS, Corrêa MSNP. Características do sistema estomatognático no recém-nascido e anomalias mais frequentes. In: Corrêa, MSNP. Odontopediatria na primeira infância. São Paulo: Santos, 2010; p. 113-26.

Schmitt BHE, Guzzi SH, Damo MN, Araujo SM, Farias MMAG. Características da cavidade oral de bebês recém-nascidos, Blumenau/SC. Pesq Bras Odontoped Clin Integr 2012; 12(1):89-92.

Baldani MH, Lopes CML, Scheidt WA. Prevalência de alterações bucais em crianças atendidas nas clínicas de bebês públicas de Ponta Grossa - PR, Brasil. Pesqui Odontol Bras 2001; 15(4):302-7.

Martínez HP, Aguilar FEG, Gutiérrez RJF. Lesiones orales del recién nacido. Oral 2015; 16(52):1283-6.

Corrêa MSNP, Machado MAAM, Rios D, Silva SMB, Oliveira TM. A Importância da boca da gestação à adolescência. In: Corrêa MSNP. Conduta clínica e psicológica na odontopediatria. São Paulo: Santos; 2013.

Abanto J, Raggio DP, Alves FBT, Corrêa FNP, Bönecker M, Corrêa MSNP. Oral characteristics of newborns: report of some oral anomalies and their treatment. Int J Dent 2009; 8(3):140-5.

Guedes-Pinto AC. Odontopediatria. São Paulo: Santos; 2006.

Bervian J, Fontana M, Caus B. Relação entre amamentação, desenvolvimento motor bucal e hábitos bucais: revisão de literatura. RFO UPF 2008; 13(2):76-81.

Camargo MCF, Bausells J. Atendimento longitudinal e continuado na clínica odontopediátrica. In: Bausells J. Odontopediatria: procedimentos clínicos. São Paulo: Premier; 1997. p. 75-89.

Cavalcante JA, Xavier P, Mello-Moura ACV, Alencar CJF, Imparato JCP. Diagnóstico e tratamento cirúrgico do freio teto labial persistente em pacientes no período intertransitório da dentição mista - relato de caso. Rev Inst Ciênc Saúde 2009; 27(3):290-4.

Melo NSFO, Lima AAS, Fernandes A, Silva RPGVC. Anquiloglossia: relato de caso. RSBO 2011; 8(1):102-7.

Neville BW, Damm DD, Allen CM, Bouquot JF. Patologia oral e maxilofacial. Rio de Janeiro: Elsevier; 2009.

Lunt RC, Law DB. A review of the chronology of eruption of deciduous teeth. J Am Dent Assoc 1974; 89(4):872-9.

Diniz MB, Gondim JO, Pansani CA, Abreu-e-Lima FCB. A importância da interação entre odontopediatrias e pediatrias no manejo de dentes natais e neonatais. Rev Paul Pediatr 2008; 26(1):64-9.

Sevalho ML, Hanan AS, Alves Filho AO, Medina PO. Dentes natais - relato de caso clínico. Con Scientiae Saúde 2011; 10(1):160-5.

Bermúdez ME. Caracterizacion de la cavidad bucal del recien nacido sano y su relacion con el grupo étnico [Dissertação de Mestrado]. Maracaibo: Universidad del Zulia; 2008.

Saadia AM. Development of occlusion and oral function in children. Clin Pediatr Dent 1981; 5(2):154-72.

Moyers RE, Carlson DS. Maturação da neuromusculatura orofacial. In: Enlow D H. Crescimento facial. São Paulo: Artes Médicas; 1993. p. 260-271.

Simpson WJ, Creung DK. Gum pad relationships of infants at birth. J Can Dent Assoc 1973; 39(3):182-8.

Corrêa MSNP, Villena SR, Francino VMS. Características da cavidade bucal e da ocorrência de anomalias em recém-nascidos. Rev Paul Odontol 1997; 19(3):34-40.

Flinck A, Paludan A, Matsson L, Holm AK, Axelsson I. Oral findings in a group of newborn Swedish children. Pediatr Dent 1994; 4(2):67-73.

Albuquerque MES. Estudo da topografia e da morfologia do freio labial superior em crianças de 0 a 36 meses [Dissertação de Mestrado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo; 1990.

Jorgenson RJ, Shapiro SD, Salinas CF, Levin LS. Intraoral findings and anomalies in neonates. Pediatrics 1982; 69(5):577-82.

Publicado
2018-08-15
Como Citar
Leite, D., & Vieira, C. (2018). Características morfológicas encontradas na cavidade oral de neonatos: revisão de literatura. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 23(1). https://doi.org/10.5335/rfo.v23i1.8507
Seção
Artigos