Fatores maternos relacionados à alta frequência de consumo de sacarose por crianças acompanhadas por um programa de atenção odontológica materno-infantil nos dois primeiros anos de vida

  • Andréia Drawanz Hartwig Universidade Federal de Pelotas
  • Ana Regina Romano Universidade Federal de Pelotas
  • Fernanda Gerardo Pappen Universidade Federal de Pelotas
  • Marina Sousa Azevedo Universidade Federal de Pelotas
Palavras-chave: Gestantes, Pré-escolares, Sacarose, Sacarose na dieta

Resumo

 Objetivo: avaliar se os hábitos alimentares maternos re­latados durante a gestação influenciam a ingestão de sacarose das crianças nos primeiros dois anos de vida. Sujeitos e método: participaram da pesquisa 204 díades mãe-filho acompanhadas por um programa de atenção odontológica materno-infantil em uma cidade no sul do Brasil. As variáveis independentes foram obtidas por meio dos prontuários odontológicos disponibilizados pelo programa. Os hábitos alimentares maternos foram coletados durante a gestação e a ingestão diária de sa­carose pelas crianças foi baseada em um questionário alimentar de frequência, dicotomizado em < 4 vezes/ dia e ≥ 4 vezes/dia. A análise multivariada foi realizada com modelos de regressão de Poisson, com variância robusta para estimar a razão de prevalência e os interva­los de confiança de 95%. Resultados: a prevalência do consumo de sacarose nos primeiros dois anos de vida, com uma elevada ingestão de sacarose (≥ 4 vezes/dia), foi detectada em 90,69% das crianças. Após o ajuste, o desfecho (alta ingestão de sacarose) foi 10% maior para as crianças cujas mães relataram beber bebida açuca­rada para satisfazer sua sede durante a gestação [RP = 1,10 (IC95%: 1,02-1,18)]. Conclusões: a maioria das crianças apresentou alta ingestão de sacarose em idade precoce. A triagem de mulheres grávidas para consumo de bebidas açucaradas pode ser uma maneira possível de reconhecer crianças em risco futuro de alta ingestão de sacarose na primeira infância.

Biografia do Autor

Andréia Drawanz Hartwig, Universidade Federal de Pelotas
Mestre em Odontopediatria. Programa de Pós Graduação em Odontologia.
Ana Regina Romano, Universidade Federal de Pelotas
Professora de Odontopediatria. Departamento de Odontologia Social e Preventiva.
Fernanda Gerardo Pappen, Universidade Federal de Pelotas
Professora de Endodontia. Departamento de Odontologia Restauradora.
Marina Sousa Azevedo, Universidade Federal de Pelotas
Professora de Odontopediatria. Departamento de Odontologia Social e Preventiva.
Publicado
2018-10-22
Como Citar
Hartwig, A., Romano, A., Pappen, F., & Azevedo, M. (2018). Fatores maternos relacionados à alta frequência de consumo de sacarose por crianças acompanhadas por um programa de atenção odontológica materno-infantil nos dois primeiros anos de vida. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 23(2). https://doi.org/10.5335/rfo.v23i2.8305
Seção
Artigos