Conhecimento dos cirurgiões-dentistas em atendimento de pacientes com coagulopatias hereditárias

  • Rafaella Bastos Leite Universidade Estadual da Paraíba
  • Rayssa Nunes da Mota Nascimento
  • Renata de Souza Coelho Soares
  • Andreza Cristina de Lima Targino Marsson
  • Carlos Augusto Galvão Barboza
  • Raquel Cristina Barboza Gomes
Palavras-chave: Coagulação sanguínea, Transtornos hemorrágicos, Transtornos hemostáticos

Resumo

 Objetivo: verificar o conhecimento dos cirurgiões-den­tistas que trabalham nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) com Equipes de Saúde Bucal (ESB) modalidade I, no município de Campina Grande, sobre o atendi­mento odontológico de pacientes com coagulopatias hereditárias. Sujeitos e método: por meio de questio­nário autoaplicável, foi feita uma entrevista com os cirurgiões-dentistas do município em questão para ana­lisar os seus conhecimentos. Participaram da pesquisa 24 profissionais que se encaixaram nos critérios de in­clusão e responderam de forma adequada o questioná­rio com questões objetivas, sendo que os participantes foram orientados a assinalar somente uma alternativa para cada questionamento. Resultados: a maioria dos profissionais é formada há mais de 10 anos. A média de acertos das respostas foi de 50%. Em relação aos achados clínicos que determinam a possível presença de distúrbio hemorrágico, 44% afirmaram que são: púr­pura, sangramento gengival espontâneo e hemartrose. Os pacientes considerados de risco elevado para o tra­tamento odontológico foram: pacientes sem distúrbios hemorrágicos revelados, mas com exames complemen­tares alterados; pacientes em tratamento com AAS; e pacientes em tratamento com anticoagulante por via oral. A maioria (68%) não considera a utilização de su­gadores de saliva como risco para sangramento bucal. Os procedimentos odontológicos que os profissionais não se sentem seguros a executar, nesse tipo de pacien­te, foram: exodontias (88%); tratamento periodontal cirúrgico (76%); raspagem e alisamento coronoradicular (RACR) (28%); anestesia do nervo alveolar inferior ou outros (24%); tratamento endodôntico (20%); e anes­tesia infiltrativa (8%). Conclusão: os dados obtidos na pesquisa mostraram que o conhecimento dos cirurgi­ões-dentistas das UBS do município de Campina Gran­de não é satisfatório, havendo dúvidas sobre a maioria dos tratamentos odontológicos direcionados aos pa­cientes com coagulopatias hereditárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Peres AS, Peres SHCS, Silva RHA. Atendimento a pacientes especiais: reflexão sobre os aspectos éticos e legais. Rev Fac Odontol Lins 2005; 17(1):49-53.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Manual de tratamento das coagulopatias hereditárias. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Manual de atendimento odontológico a pacientes com coagulopatias hereditárias. Brasília: Ministério da Saúde; 2008.

Dall M, Ribeiro AA, Shenkel A, Samuelsson M, Studzinski MS, Almeida D. Manejo odontológico de pacientes com coagulopatias – revisão de literatura e relato de caso: síndrome de Bernard Soulier. RFO UPF 2011; 16(2):193-9.

Little JW, Falace DA, Rhouds NL, Miller CS. Manejo odontológico do paciente clinicamente comprometido. Rio de Janeiro: Elsevier; 2008.

Kessler CM. Hemorrhagic disorders: coagulation fator deficiences. In: Little JW, Falace DA, Miller CS, Rhodus NL. Manejo odontológico do paciente clinicamente comprometido. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2008. p. 344-348.

Castaman G, Federici AB, Rodeghiero F, Mannucci PM. Von Willebrand’s disease in the year 2003: towards the complete identification of gene defects for correct diagnosis and treatment. Haematologica 2003; 88:94-108.

Rodgers G, Greenberg CS. Inherited coagulation disorders. In: Little JW, Falace DA, Miller CS, Rhodus NL. Manejo odontológico do paciente clinicamente comprometido. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2008. p. 381-414.

Rezende SM. Distúrbios da hemostasia: doenças hemorrágicas. Rev Med Minas Gerais 2010; 20(4):534-53.

Federici AB, Castaman G, Mannucci PM. For the Italian Association of Hemophilia Centers. Guidelines for the diagnosis and management of von Willebrand disease. In: Rezende SM. Distúrbios da hemostasia: doenças hemorrágicas. Rev Med 2010; 20(4):534-53.

Silva SCS, Silva ESC, Menezes KT, Lira JR, Brito RLB. Tratamento periodontal de paciente hemofílico: relato de caso. Rev Bras Cienc Saúde 2012; 16(2):243-8.

Hartman MJ, Caccamese JF, Bergman SA. Perioperative management of a patient with Bernard Soulier syndrome for third molar surgery. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod 2007; 103(5):626-9.

Publicado
2018-10-22
Como Citar
Leite, R., Nascimento, R., Soares, R., Marsson, A., Barboza, C. A., & Gomes, R. C. (2018). Conhecimento dos cirurgiões-dentistas em atendimento de pacientes com coagulopatias hereditárias. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 23(2). https://doi.org/10.5335/rfo.v23i2.8202
Seção
Artigos