Paracoccidioidomicose com repercussão oral: relato de caso em zona urbana

  • Ana Flávia Barros Souza Aluna de Graduação da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP), São Paulo, São Paulo, Brasil.
  • Rennan Luiz Oliveira Dos Santos Mestre em Ciências. Doutorando em Diagnóstico Bucal pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP), São Paulo, São Paulo, Brasil.
  • Thaís Gimenez Miniello Mestre e doutoranda em Diagnóstico Bucal pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP), São Paulo, São Paulo, Brasil.
  • Claudete Rodrigues Paula Doutora em Microbiologia. Professora Sênior do Departamento de Estomatologia Clínica da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP), São Paulo, São Paulo, Brasil.
  • Carina Domaneschi Doutora em Diagnóstico Bucal. Professora Doutora da Disciplina de Clínica Integrada da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP), São Paulo, São Paulo, Brasil.
  • Camila de Barros Gallo Doutora em Diagnóstico Bucal. Professora Doutora da Disciplina de Estomatologia Clínica da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil.
Palavras-chave: Medicina bucal, Micoses, Paracoccidioidomicose, Úlcera oral

Resumo

 Objetivo: relatar um caso de paracoccidioidomicose (Pbmicose), diagnosticado pelo cirurgião-dentista, e o tratamento instituído a um morador de zona urba­na. Relato de caso: paciente do sexo masculino, com 59 anos de idade, leucoderma, compareceu à clínica odontológica com lesão em boca há cerca de vinte dias e queixa de mobilidade dental na região anteroinferior. Durante a anamnese, constatou-se dificuldade respi­ratória, hipertensão controlada, tabagismo e etilismo crônico. No exame físico, foi observado aumento de volume do lábio inferior, linfadenopatia bilateral sub­mandibular e lesões ulceradas com aspecto moriforme em mucosa bucal e gengiva inserida do elemento 31 ao 45. Foi realizada biópsia incisional na lesão com resultado positivo para Pbmicose. O paciente foi me­dicado com itraconazol e apresenta-se periodicamente para acompanhamento. Considerações finais: as lesões bucais dessa doença correspondem a úlceras crônicas e granulomatosas, semelhantes à lesão provocada pelo carcinoma epidermoide oral, assim, o cirurgião-dentista deve conhecer esta micose e considerá-la na elabora­ção do diagnóstico diferencial.
Publicado
2018-10-22
Como Citar
Souza, A., Dos Santos, R., Miniello, T., Paula, C., Domaneschi, C., & Gallo, C. (2018). Paracoccidioidomicose com repercussão oral: relato de caso em zona urbana. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 23(2). https://doi.org/10.5335/rfo.v23i2.8090
Seção
Artigos