A satisfação profissional de cirurgiões-dentistas da atenção básica em um município no sul do Brasil com diretrizes municipais de saúde bucal

  • Júlia Guedes Alves Faculdade de Odontologia - Universidade Federal de Pelotas
  • Vitor Henrique Digmayer Romero Acadêmico na Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Peterson Oliveira Boeira Doutorando em Materiais dentários pelo Programa de Pós-graduação em Odontologia da Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Tania Izabel Bighetti Doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo e professora do Departamento de Odontologia Social e Preventiva da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Eduardo Dickie de Castilhos Doutor em Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas e professor do Departamento de Odontologia Social e Preventiva da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil
Palavras-chave: Administração em saúde pública, Satisfação no emprego, Saúde pública

Resumo

 Objetivo: identificar a satisfação profissional de cirur­giões-dentistas atuantes na atenção básica do Sistema Único de Saúde em um município do sul do Brasil, que foi pioneiro na implantação de diretrizes municipais de saúde bucal. Sujeitos e método: para a coleta dos da­dos, foram utilizados componentes descritivos a partir de dados secundários obtidos por meio de um questio­nário aplicado para todos os cirurgiões-dentistas atuan­tes no referido serviço. Resultados: no total, 46 profis­sionais foram incluídos na amostra, sendo que 82,5% estavam satisfeitos em seu trabalho e, desses, o reco­nhecimento dos usuários do serviço foi o fator que os cirurgiões-dentistas mais associaram à felicidade. Já os fatores mais relacionados à infelicidade no trabalho são as críticas ao salário e os usuários não colaboradores; 97,8% acreditavam que seu trabalho fazia diferença na comunidade em que estavam inseridos. Conclusão: este estudo sugere que estabelecer diretrizes no proces­so de trabalho pode ter um impacto positivo na prática e na satisfação dos profissionais, e essas estratégias po­dem ser utilizadas como amparo para planejamento em gestão de saúde bucal de forma sistematizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlia Guedes Alves, Faculdade de Odontologia - Universidade Federal de Pelotas
Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil

Referências

Marqueze EC, Castro Moreno CRD. Satisfação no trabalho - uma breve revisão. Rev Bras Saúde Ocup 2005; 30(112):69-79.

Gomes AR, Cruz J, Cabanelas S. Estresse ocupacional em profissionais de saúde: um estudo com enfermeiros portugueses. Psic Teor e Pesq 2009; 25(3):307-18.

Nunes MF, Freire MCM. Qualidade de vida de cirurgiões-dentistas que atuam em um serviço público. Rev Saúde Pública 2006; 40(6):1019-26.

Bonafé F, Trotta O, Campos J, Maroco J. Síndrome de burnout em dentistas do serviço público. Psychol Community Health 2012; 1(2):56-67.

Nicolielo J, Bastos JRM. Satisfação profissional do cirurgião-dentista conforme tempo de formado. Rev Fac Odontol Bauru 2002; 10(2):69-74.

Pelotas. Diretrizes da Saúde Bucal de Pelotas. 2013. [acesso em: 29 abr. 2018. Disponível em URL: http://www.pelotas.rs.gov.br/saude/arquivos/DiretrizesSaude-Bucal-de-Pelotas-2013.pdf.

Robbins SP. Comportamento organizacional. 9. ed. São Paulo: Prentice Hall; 2002.

Costa ACO, Garbin CAS, Soares GB, Gonçalves PRV, Moimaz SAS. Satisfação e o emprego no Sistema Único de Saúde na área de saúde bucal. Rev Fac Odontol Lins 2012; 22(2):13-9.

Gomes D, Gonçalves ASR, Pereira LS, Tavares RS, Pires DEP, Ramos FRS. Satisfação e sofrimento no trabalho do cirurgião-dentista. RFO UPF 2010; 15(2):104-10.

Medeiros UV, Souza MIC, Bastos LF. Odontologia do trabalho: riscos ocupacionais do cirurgião-dentista. RBO 2003; 60(4):277-80.

Adas Saliba N, Moimaz SAS, Prado RL, Rovida TAS, Garbin CAS. Saúde do trabalhador na odontologia: o cirurgião-dentista em foco. Pesq Bras Odontopediatria Clín Integrada 2013; 13(2):147-54.

Pau A, Sabri BA. Relationship between emotional intelligence and job satisfaction in newly qualified Malaysian dentists. Asia Pacific J Public Health 2015; 27(2):1733-41.

Roth SF, Heo G, Varhagen C, Glover KE, Major PW. Job satisfaction among Canadian orthodontists. Am J of Orthodontics and Dentofacial Orthopedics 2003; 123(6):695-700.

Humphris G, Lilley J, Kaney S, Broomfield D. Burnout and stress-relates factors among junior staff of three dental hospital specialities. Br Dent J 1997; 183(1):15-21.

Yamalik N, Carrasco EE, Bourgeois D. Oral health workforce planning Part 1: data available in a sample of FDI member countries. Int Dent J 2013; 63(6):298-305.

Yamalik N, Ensaldo‐Carrasco E, Cavalle E, Kell K. Oral health workforce planning part 2: figures, determinants and trends in a sample of World Dental Federation member countries. Int Dent J 2014; 64(3):117-26.

Saliba NA, Moimaz SAS, Garbin CAS, Diniz DG. Dentistry in Brazil: its history and current trends. J Dental Educ 2009; 73(2):225-31.

Cartes-Velasquez RA. Exponential growth of dental schools in Chile: effects on academic, economic and workforce issues. Braz Oral Res 2013; 27(6):471-7.

De Lima Trindade L, Pires De Pires DE. Implicações dos modelos assistenciais da atenção básica nas cargas de trabalho dos profissionais de saúde. Texto & Contexto Enfermagem 2013; 22 (1):36-42.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Publicado
2018-10-22
Como Citar
Alves, J., Digmayer Romero, V., Boeira, P., Bighetti, T., & Castilhos, E. (2018). A satisfação profissional de cirurgiões-dentistas da atenção básica em um município no sul do Brasil com diretrizes municipais de saúde bucal. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 23(2). https://doi.org/10.5335/rfo.v23i2.8083
Seção
Artigos