Efeito do uso de agentes clareadores com cálcio na microdureza do esmalte dental

Andreza Gruber, Luciane Colli, Carla Muniz, Rodrigo Ottoni, Márcia Borba

Resumo


Objetivo: avaliar a influência do uso de agentes clareadores com cálcio na microdureza do esmalte dental. Materiais e método: o estudo é experimental, laboratorial e realizado com dentes bovinos. Oito coroas de incisivos bovinos foram seccionadas em quatro partes e divididas em quatro grupos, de acordo com o tipo de agente clareador (n=8): (Con) protocolo de consultório (peróxido de hidrogênio 35% – HP 35%); (Com+Ca) protocolo de consultório com cálcio (HP 35%); (Cas) protocolo caseiro (peróxido de carbamida 10%); (Cas+Ca) protocolo caseiro com cálcio (HP 6%). As amostras foram tratadas de acordo com as recomendações do fabricante para cada agente clareador. A microdureza do esmalte foi avaliada antes, imediatamente após e 7 dias após os tratamentos clareadores. Foi utilizado um microdurômetro e ponta Vickers, com uma carga de 200 g por 15 segundos. As amostras permaneceram em água destilada a 37°C durante todo o experimento. Os dados foram avaliados com ANOVA e teste de Tukey (p=0,05). Resultados: para os tratamentos de consultório, não houve diferença na microdureza entre os tempos de avaliação e entre os agentes clareadores (p≥0,05). Já para os tratamentos caseiros, não houve diferença entre os grupos com e sem cálcio, mas, para ambos, ocorreu uma significativa redução na microdureza imediatamente após a conclusão do tratamento, que se manteve após os sete dias de armazenamento em água destilada (p<0,05). Conclusão: o cálcio presente nos agentes clareadores não teve influência na microdureza do esmalte após os tratamentos clareadores caseiro e de consultório.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5335/rfo.v22i3.7655