Osteonecrose mandibular associada ao uso de bisfosfonatos tratada com plasma rico em fibrina leucocitária: relato de caso

Maria Gisela Buitrago Duque, Ana Sofia Ribeiro, João Batista Burzlaff, Vinicius Salim Silveira, Leonardo Tonietto, Thiago Calcagnotto

Resumo


Bisfosfonatos são antiabsortivos que agem especificamentesobre a atividade dos osteoclastos. Uma complicaçãograve do seu uso é a osteonecrose dos maxilares,definida como uma área de exposição óssea na regiãomaxilofacial sem resolução espontânea por um períodode no mínimo oito semanas em pacientes com históricode uso de compostos bisfosfonatos, mas que não foramsubmetidos à radioterapia na região de cabeça e pescoço.Tratamentos conservadores são recomendados, masos resultados da literatura são controversos e nem sempreefetivos. Por isso, novas abordagens, como o usodos concentrados plaquetários, têm sido sugeridas. Sãoprodutos autólogos que contém altas concentrações defatores de crescimento e que atuam como moléculasde adesão celular, acelerando o reparo ósseo. Objetivo:descrever, por meio de relato de caso, o uso do plasmarico em fibrina e leucocitária (L-PRF) como forma detratamento da osteonecrose mandibular. Relato do caso:paciente do gênero feminino, 79 anos, diagnosticadacom osteonecrose mandibular associada ao uso de bisfosfonatos,tratada por meio de cirurgia convencionalassociando curetagem óssea e rotação de retalho, massem sucesso. Então, foi submetida à modificação detécnica cirúrgica, associando o uso de plasma rico emfibrina leucocitária (L-PRF), a fim de acelerar o processode reparo ósseo e garantir a cicatrização dos tecidosmoles. Considerações finais: o uso de L-PRF como tratamentoda osteonecrose mandibular estimula o reparoósseo e acelera a cicatrização dos tecidos moles, sendouma alternativa eficaz de tratamento.
Palavras-chave : Bisfosfonatos. L-PRF. PRF. Osteonecrose.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5335/rfo.v22i3.7612