O impacto das fraturas dentárias classe IV na vida de crianças e adolescentes

  • Maiara Ester Shappo Faculdade Avantis
  • Eduardo Mohr
  • Luiza Helena Almeida Faculdade Avantis Centro de Saúde Odontologia

Resumo

Objetivo: foi avaliar o impacto da qualidade de vida de crianças e adolescentes com fraturas dentárias classe IV. Sujeitos e método: crianças e adolescentes com idades entre 7 e 14 anos foram entrevistados por meio de um questionário sobre dados sociodemográficos e aspectos do traumatismo alveolodentário. Para avaliação do impacto da condição bucal na qualidade de vida e na autopercepção de saúde, foi aplicada a versão brasileira do questionário Child Perceptions Questionnaire (CPQ): 6-10 nas crianças de 7 a 10 anos de idade e 11-14 nas crianças de 11 e 14 anos. Resultados: participaram 19 crianças com idades entre 11 a 14 anos. Os traumas foram restritos à fratura de tecidos duros (esmalte e dentina) sem exposição pulpar. Quando questionados sobre como bateram o dente, justificaram das seguintes formas: 63,1% (12) em colisão com pessoa ou objeto; 15,7% (3) em queda da própria altura; 5,2% (1) em práticas esportivas; 5,2% (1) em situações de violência; 5,2% (1) em acidente de carro, moto ou bicicleta; e 5,2% (1) em outras circunstâncias. A maioria dos traumas ocorreu na rua (68,4%, 13) e em casa (10,5%, 2). Sobre o aspecto estético antes do tratamento, 42,1% dos entrevistados consideravam seus dentes mais ou menos, 31,5%, ruins, 15,7%, bons, e 10,5%, muito bons. Após o tratamento restaurador, esse mesmo aspecto foi realizado, e as respostas foram: 21% consideravam seus dentes mais ou menos, 5,2%, ruins, 26,3%, bons, e 47,3%, muito bons. Conclusão: crianças e adolescentes que recebem tratamento imediato obtêm resultados favoráveis, minimizando traumas psicológicos e melhorando sua qualidade de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiza Helena Almeida, Faculdade Avantis Centro de Saúde Odontologia
Profa coordeandora da área de Odontopediatria Faculdade Avantis Profa da especialização IOA-Balneário Camboriú; IGPGO- Caxias do Sul Mestre e Doutora em Odontopediatria pela Universidade Federal de Pelotas
Publicado
2018-06-12
Como Citar
Shappo, M., Mohr, E., & Almeida, L. (2018). O impacto das fraturas dentárias classe IV na vida de crianças e adolescentes. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 22(3). https://doi.org/10.5335/rfo.v22i3.7598
Seção
Artigos