Prevalência do risco da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono na população adulta de uma capital brasileira+

Walter Leal de Moura, Carolina Soares de Moura, Thalisson Saymo de Oliveira Silva, Graciela Maria Oliveira Sipaúba, Mariá Soares Leal de Moura, Gregório Antonio Soares Martins

Resumo


Objetivo: Estimar a prevalência de indivíduos com risco da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono e fatores associados, em adultos de uma capital do nordeste brasileiro.Métodos: Trata-se de um estudo transversal, que utilizou como instrumento de aferição o Questionário de Berlim para uma amostra probabilística composta por 574 indivíduos acima de 30 anos, residentes em Teresina, Piauí, Brasil.Com base nas respostas do questionário, os indivíduos foram classificados em alto e baixo risco para a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono. Dados demográficos como idade, gênero, peso e altura foram também obtidos. Teste qui-quadrado de Pearson e regressão logística, com nível de significância de 5%, foram utilizados para análise estatística. Resultados: Observou-se prevalência de alto risco da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono de 29,1%. Roncar, parar de respirar enquanto está dormindo, acordar cansado, ficar cansado em seu tempo desperto, Índice de Massa Corporal ≥ 30 kg/m2 e hipertensão arterial, são fatores significativos para Apneia Obstrutiva do Sono. Conclusão: O alto risco para a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono foi expressivo em indivíduos adultos de Teresina, Piauí, sendo associado significativamente com os itens do questionário de Berlim.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5335/rfo.v22i3.7390