Potencial erosivo de doces azedos (sour candies) dissolvidos em água e saliva artificial

  • Maria Mercês Aquino Gouveia Farias Universidade do Vale do Itajaí-UNIVALI
  • Ana Keila Soares Universidade do Vale do Itajaí-UNIVALI
  • Brenda Bonvini Universidade do Vale do Itajaí-UNIVALI
  • Silvana Marchiori de Araújo Universidade do Vale do Itajaí-UNIVALI
  • Beatriz Helena Eger Schmitt Universidade do Vale do Itajaí-UNIVALI

Resumo

O consumo frequente de balas e doces ácidos está associado a etiologia da erosão dental. Objetivo: mensurar o potencial erosivo de doces azedos (sour candies) dissolvidos em água e saliva artificial. Métodos: os doces Sour Tubes Ácido Fini® sabores: maçã-verde, tutti-fruti, morango e melancia, foram selecionados e agrupados em 2 grupos. Doces dissolvidos em água destilada (G-1) e doces dissolvidos em saliva artificial (G-2). O pH foi mensurado utilizando um potenciômetro e eletrodo combinado de vidro previamente calibrado com soluções padrão pH 7,0 e pH 4,0, antes de cada leitura. A acidez titulável foi mensurada, adicionando-se alíquotas de 100 μL NaOH 1M, até alcançar o pH 5,5. Os resultados foram submetidos à Análise de Variância (ANOVA) e as comparações das médias realizadas pelo teste Tukey, em um nível de 5% de significância (p<0,05). Resultados: todas as balas apresentaram valores de pH abaixo de 5,5 quando dissolvidas em água (G-1) e saliva artificial (G-2). Na comparação entre os grupos, houve elevação significante do pH após dissolução em saliva artificial (G-2). A acidez titulável mostrou-se significantemente menor no grupo G-2. Conclusão: todos os doces ácidos dissolvidos em água e saliva artificial são potencialmente erosivos podendo contribuir para a etiologia da erosão dental.

Biografia do Autor

Maria Mercês Aquino Gouveia Farias, Universidade do Vale do Itajaí-UNIVALI
Professora do curso de graduação em odontologia da UNIVALI Mestre em Odontopediatria
Ana Keila Soares, Universidade do Vale do Itajaí-UNIVALI
Graduada em Odontologia pela Universidade do Vale de Itajaí (UNIVALI), Itajaí/SC,
Brenda Bonvini, Universidade do Vale do Itajaí-UNIVALI
Graduada em Odontologia pela Universidade do Vale de Itajaí (UNIVALI), Itajaí/SC,
Silvana Marchiori de Araújo, Universidade do Vale do Itajaí-UNIVALI
Professora do curso de graduação em odontologia da UNIVALI Doutora em Odontopediatria
Beatriz Helena Eger Schmitt, Universidade do Vale do Itajaí-UNIVALI
Professora do curso de graduação em odontologia da UNIVALI Mestre em Odontopediatria
Publicado
2017-12-19
Como Citar
Farias, M. M., Soares, A., Bonvini, B., de Araújo, S., & Schmitt, B. H. (2017). Potencial erosivo de doces azedos (sour candies) dissolvidos em água e saliva artificial. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 22(2). https://doi.org/10.5335/rfo.v22i2.7278
Seção
Artigos