Influência da manipulação da resina composta na resistência adesiva à dentina

Rafael Boaretto Lorencet, Júlia Cadorim Facenda, Carlo Theodoro Raymundi Lago, Pedro Henrique Corazza

Resumo


Objetivo: Avaliar a influência da manipulação de uma resina composta (RC) com diferentes luvas na sua resistência adesiva à dentina. Metodologia: 25 terceiros molares hígidos foram seccionados 2 mm abaixo do sulco central, expondo a dentina (D). A D foi condicionada com ácido fosfórico 35%, lavada, e o sistema adesivo Single Bond Universal (3M ESPE) foi aplicado. Os dentes foram distribuídos aleatoriamente em 5 grupos, de acordo com o tipo da manipulação da RC: C (controle)- RC inserida diretamente do tubo para a D; LL- RC manipulada com luvas de látex antes da inserção; LV- RC manipulada com luvas de vinil; LC- RC manipulada com luvas de látex contaminadas; VC- RC manipulada com luvas de vinil contaminadas. Após, o conjunto foi seccionado em uma máquina de corte para a obtenção dos palitos com área aproximada de 1 mm², que foram armazenados em água destilada a 37°C por 6 meses. O teste foi realizado em uma máquina de ensaio (EMIC), com velocidade de 0,5 mm/min. Os valores de resistência adesiva foram calculados (MPa) e comparados com ANOVA, Tukey (α=0,05) e Weibull. Resultados: O grupo com maior resistência adesiva foi o LV (38,74 ± 3,63 MPa), estatisticamente superior a C (29,12 ± 3,30 MPa). A análise de Weibull apenas das falhas adesivas demonstrou que a resistência característica de LV e VC foi superior a LL. Conclusão: A manipulação da RC com luvas de vinil resulta em maior resistência de união à dentina comparada à não manipulação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5335/rfo.v22i2.7140