Perfil e percepção de profissionais dos Centros de Especialidades Odontológicas do Rio Grande do Sul

Karla Frichembruder, Fernando Neves Hugo, Juliana Balbinot Hilgert

Resumo


Objetivo: traçar o perfil e descrever a percepção dos profissionais sobre condições e relações de trabalho e o grau de satisfação ao atuar no Centro de Especialidades do Rio Grande do Sul. Sujeitos e método: 108 profissionais de 17 Centros de Especialidades Odontológicas do Rio Grande do Sul participaram do estudo e responderam a um questionário estruturado. Resultados: os resultados revelaram a presença de um grupo equilibradamente distribuído segundo o sexo, com idade média de 41,9 anos (±11,2), predomínio de etnia branca, alta frequência de pós graduados (81,5%) e maior proporção de vínculo empregatício formal (67,6%). A maioria dos elementos relativos às condições e relações de
trabalho foi julgada positivamente, com exceção do aspecto salarial e do dimensionamento da equipe de auxiliares em saúde bucal. O grau de satisfação com o trabalho nos Centros de Especialidades Odontológicas
foi alto. Conclusão: os resultados apontam para uma relação positiva entre os profissionais e destes com seu ambiente de trabalho. Os elementos de maior fragilidade foram: condições de vinculação de trabalho no interior do Estado, condições salariais, atividades de capacitação, ações de educação permanente e o dimensionamento da equipe de pessoal auxiliar.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5335/rfo.v22i1.7109