Análise do uso da terapia fotodinâmica no tratamento endodôntico com base em um Congresso Odontológico

Manuela Gouvêa Campêlo dos Santos, Lívia Natália Sales Brito, Lucas Emmanuell de Morais Neves, Mariele Silva de Azevedo, Thayana Karla Guerra dos Santos

Resumo


Um dos objetivos do tratamento endodôntico é a máxima desinfecção do sistema de canais radiculares, bem como, a prevenção da sua reinfecção. A terapia fotodinâmica surge como um método coadjuvante na etapa de desinfecção obtendo significativa redução microbiana. Objetivo: traçar um panorama do perfil de uso da terapia fotodinâmica na endodontia no Brasil com base num Congresso de Odontologia e analisar o protocolo utilizado na desinfecção do sistema de canais radiculares. Materiais e método: realizou-se um estudo transversal, por meio da observação indireta dos resumos publicados nos anais da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica acerca do uso da terapia fotodinâmica na endodontia nos anos de 2013 a 2016. A coleta foi realizada por dois examinadores e as informações foram organizadas e analisadas no programa Statistical Program Software e apresentadas por meio da estatística descritiva. Resultados: foram encontrados 97 trabalhos com 37,1% no ano de 2016; 26,8% no ano de 2014; 18,6% em 2015 e 17,5% em 2013. Observou-se que 40,2% correspondiam a estudos in vitro, 68% tendo finalidade antibacteriana. Em 25,8% associaram o hipoclorito de sódio com outras substâncias químicas auxiliares e 81,4% utilizaram o hidróxido de cálcio como medicação intracanal. O azul de metileno foi o fotossensibilizador mais descrito. Conclusão: a terapia fotodinâmica mostra-se promissora como coadjuvante ao tratamento endodôntico convencional. Fazem-se necessárias mais pesquisas, pois ainda não existe um protocolo padrão para o uso da terapia fotodinâmica na endodontia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5335/rfo.v22i1.7008