Eficácia antibacteriana de agentes de limpeza na desinfecção de superfícies de consultórios odontológicos

Tiago Butzge Genz, Tássia Callai, Vânia Rosimeri Frantz Schlesener, Caio Fernando de Oliveira, Jane Dagmar Pollo Renner

Resumo


Introdução e objetivos: a desinfecção é um processo que visa à eliminação de microrganismos de objetos inanimados e superfícies. O objetivo deste estudo foi isolar e identificar os microrganismos antes e depois da desinfecção com quatro diferentes agentes em clínicas odontológicas de uma universidade no período de março a abril de 2016. Metodologia: foi realizado um estudo transversal e de intervenção, onde foram analisadas 80 superfícies das mesas de apoio e refletor de luz das clínicas antes e depois da utilização dos desinfetantes álcool 70%, peróxido de hidrogênio, hipoclorito de sódio 5% e Incidin®. A coleta de material foi realizada com o uso de swab estéril, que foi rolado sobre 1 cm2 da superfície a ser analisada e incubado em 5 ml de caldo BHI (Brain Heart Infusion). As bactérias que cresceram após a inoculação do caldo BHI em meios sólidos foram identificadas por metodologia microbiológica convencional. Resultados: os agentes de maior eficácia foram o Incidin® e o hipoclorito de sódio 5% com 100% de eficácia. Os testes com peróxido de hidrogênio e o álcool 70% apresentaram 90 e 50% de eficácia, respectivamente. Das 80 placas semeadas, os microrganismos encontrados antes do uso dos desinfetantes foram Staphylococcus Coagulase Negativa (80%) Staphylococcus aureus (30%) e Corynebacterium sp. (20%). Em 24 amostras foi encontrado mais de um microrganismo. Conclusão: hipoclorito de sódio 5% e Incidin® apresentaram 100% de eficiência na desinfecção dos manipuladores dos refletores de luz e das bancadas dos consultórios odontológicos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5335/rfo.v22i2.6781