Ocorrência de doença periodontal, cárie e perda dentária em tabagistas pacientes de uma clínica-escola de Odontologia no sul do estado de Minas Gerais: estudo caso-controle

  • Letizia Monteiro Barros Universidade José do Rosário Vellano - Unifenas
  • Marília Gomes Gouvêa
  • Ingrid Sabrina Moura Reis
  • Jacqueline de Carvalho Bueris
  • Laís de Lima Pereira
  • Roberta Bessa Veloso Silva

Resumo

Objetivo: comparar a ocorrência de doença periodontal, cárie e perda dentária em tabagistas de ambos os gêneros, adultos, admitidos para tratamento odontológico integrado em uma escola de odontologia, comparados a um grupo-controle não tabagista. Métodos: foram avaliados exames clínicos dentários e periodontais em prontuários de 31 pacientes fumantes e de 46 não fumantes, quanto à ocorrência de: sangramento e/ou supuração gengival; perda de suporte periodontal por bolsa ou retração gengival; hipermobilidade dentária; dentes cariados, restaurados e dentes perdidos. Para comparar as médias entre os grupos, foi utilizado o teste t de Student (p≤ 0,005) e a correlação entre as variáveis foi obtida por análise multivariada. Resultados: os tabagistas relataram fumar, em média, 11,32 ± 8,599 cigarros/dia, sendo que 54,83% deles fumavam mais de 10 cigarros/dia. Observou-se que as variáveis: número de dentes com perda de inserção, bolsa periodontal, retração gengival, hipermobilidade, sangramento/ supuração, perda média de inserção (em mm) e idade estão altamente correlacionadas e são diretamente proporcionais. O número de dentes hígidos foi inversamente proporcional à idade e o índice de placa correlacionou-se com o número de dentes cariados, perdidos e com cálculo. Entretanto, não foi observada diferença estatisticamente significativa entre os grupos para nenhum parâmetro, exceto quanto à perda dentária, com os fumantes apresentando, em média, mais dentes perdidos do que os não fumantes (p=0,0171). Conclusão: o tabagismo não influenciou significativamente na ocorrência de cárie ou de doença periodontal na população estudada, porém os fumantes têm maior perda dentária do que os não fumantes, e deveriam ser aconselhados a abandonar o tabaco.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letizia Monteiro Barros, Universidade José do Rosário Vellano - Unifenas
Departamento de Clínica Integrada Oodntológica, área de Periodontia e Semiologia.
Publicado
2017-06-27
Como Citar
Barros, L., Gouvêa, M., Reis, I., Bueris, J., Pereira, L., & Silva, R. (2017). Ocorrência de doença periodontal, cárie e perda dentária em tabagistas pacientes de uma clínica-escola de Odontologia no sul do estado de Minas Gerais: estudo caso-controle. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 21(3). https://doi.org/10.5335/rfo.v21i3.6608
Seção
Artigos