Resistência compressiva da resina composta na face proximal de cavidades classe II em diferentes profundidades: estudo in vitro

  • Laryssa Signor Universidade Federal de Santa Maria – UFSM
  • Angela Isabel Dullius Universidade federal de Santa Maria
  • Gislaine Rosa Biacchi Universidade federal de Santa Maria

Resumo

Introdução: Apesar do notável aumento de restaurações posteriores com resinas compostas nos últimos anos, ainda existem dificuldades quanto à técnica restauradora em se tratamento de cavidades com envolvimento da face proximal. Considera-se que a intensidade de luz que atinge os incrementos da resina na base é menor do que a intensidade próxima à superfície, podendo comprometer as propriedades mecânicas e o sucesso da restauração. Objetivo: Investigar a resistência compressiva dos incrementos de resina composta de uso direto na base da caixa proximal de restaurações classe II em diferentes profundidades. Material e método: Foram confeccionados 40 espécimes de resina composta (Z100, 3M ESPE) com espessura de 2mm, em dentes preparados nas respectivas profundidades e divididos em quatro grupos: G1 (uso de resina Alpha Plast autopolimerizável, na profundidade de 2mm); G2 (2mm); G3 (4mm) e G4 (6mm). Após, os espécimes foram armazenados em soro fisiológico durante 30 dias e, posteriormente, submetidos ao teste de resistência à compressão em máquina universal de ensaios EMIC DL-2000, com célula de carga de 50 KgF e velocidade de 0,5mm/min. Resultado: A média dos valores de resistência à fratura (MPa), pelo teste ANOVA, foram: 52,86; 48,55; 44,89; 42,67 para G1, G2, G3 e G4 respectivamente. Conclusão: Não houve diferença significativa na resistência à compressão entre incrementos de resina composta inseridas na base da face proximal de preparos do tipo classe II em diferentes profundidades utilizando-se o protocolo adotado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laryssa Signor, Universidade Federal de Santa Maria – UFSM
Acadêmica do Curso de Odontologia da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM, Santa Maria, RS, Brasil
Angela Isabel Dullius, Universidade federal de Santa Maria
Professora Adjunta do Curso de Matemática e estatística da Universidade federal de Santa Maria, RS, Brasil
Gislaine Rosa Biacchi, Universidade federal de Santa Maria
Professora Adjunta do Departamento de Odontologia Restauradora da UFSM, Santa Maria, RS, Brasil
Publicado
2017-12-19
Como Citar
Signor, L., Dullius, A., & Biacchi, G. (2017). Resistência compressiva da resina composta na face proximal de cavidades classe II em diferentes profundidades: estudo in vitro. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 22(2). https://doi.org/10.5335/rfo.v22i2.6555
Seção
Artigos