Resistência à microtração de resinas compostas com diferentes viscosidades

Júlia Cadorim Facenda, Andra Eduarda Sassett Donati, Cristiano Taufer, Roberto César do Amaral

Resumo


Objetivo: avaliar a resistência à microtração de resinas compostas com diferentes viscosidades. Materiais e Método: foram confeccionados 40 corpos de prova (CPs) em forma de ampulheta (3 x 2 x 2 mm), sendo 10 para cada grupo testado (n=10): G1: compósito fluído de incremento único SDR (Dentsply, EUA); G2: compósito micro-híbrido fluído Opallis Flow (FGM, Brasil); G3: compósito micro-híbrido Esthet-X (Dentsply, EUA); G4: compósito micro-híbrido condensável Filtek P-60 (3M ESPE, EUA). Os CPs foram fotoativados conforme o tempo preconizado pelos fabricantes. A área de secção transversal de cada CP foi mensurada com um paquímetro digital e eles foram submetidos ao teste de microtração
em uma máquina de ensaios universal com velocidade de 1 mm/min. A resistência à microtração foi analisada por ANOVA e teste de Tukey (α=0,05). Resultados: as médias (MPa) foram: G1: 39,83; G2: 26,0; G3: 37,51; G4: 32,16. G1, G3 e G4 obtiveram médias estatisticamente semelhantes e superiores a G2. Conclusões: pode-se constatar que o compósito fluído SDR, de incremento único, demonstrou um desempenho
similar de resistência à microtração em comparação aos compósitos micro-híbridos convencionais e superior ao compósito fluído tradicional.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5335/rfo.v22i1.6452