Traumas faciais: uma revisão sistemática da literatura

  • Milena Tatiana Ferreira Lima de Moura Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Rafael Moreira Daltro Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Tatiana Frederico de Almeida Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Resumo

Introdução: os traumatismos craniofaciais são observados, diariamente, em hospitais de urgência e acometem especialmente jovens, tendo como causas importantes a agressão física e os acidentes de trânsito. A epidemiologia do trauma de face é importante para seu correto conhecimento e tratamento. Dessa forma, faz-se necessário estabelecer a ocorrência e etiologia desse agravo, de modo a melhor compreendê-lo. Objetivo: o objetivo deste estudo foi realizar uma revisão sistemática da literatura, analisando estudos nacionais sobre traumas faciais quanto aos objetivos, metodologia e resultados nos últimos cinco anos. Materiais e método: revisão sistemática da literatura, na qual dezesseis estudos epidemiológicos foram rastreados nas bases de dados Lilacs, Scielo e BBO do período entre 2010 e 2015. Resultados: o sexo mais acometido foi o masculino. A mandíbula foi o local em que ocorreu maior número de traumas. A faixa etária entre 19 e 40 anos foi a mais afetada. A principal etiologia dos traumas faciais foi a violência interpessoal. Conclusões: políticas de saúde pública devem ser traçadas no intuito de controlar e prevenir esse problema, sendo que a ocorrência dos traumatismos pode ser reduzida por medidas educativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-06-27
Como Citar
Moura, M. T., Daltro, R., & Almeida, T. (2017). Traumas faciais: uma revisão sistemática da literatura. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 21(3). https://doi.org/10.5335/rfo.v21i3.6158
Seção
Artigos